infraestrutura

FOTOS: obra no Calçadão de Santa Maria deve durar mais um mês

Autor: Eduardo Tesch

Fotos: Renan Mattos (Diário)
Pedestres precisam desviar de buraco aberto no calçada para o conserto da rede pluvial. Serviço deve ser concluído em um mês

Quem costuma passar pelo Calçadão de Santa Maria precisa estar atento: a prefeitura realiza uma obra para consertar a rede coletora de chuva, que passa por baixo de toda a calçada. As obras iniciaram no fim de janeiro e, segundo o vice-prefeito Sérgio Sechin (PP), os serviços devem durar, no máximo, mais um mês para serem finalizados.

O próximo passo, após a finalização da rede coletora de chuva, é o conserto das lajotas e imperfeições do Calçadão, garantiu a prefeitura. 

- Está dando para caminhar mesmo com obra aqui, bem tranquilo. O que quero ver é se vão arrumar as lajotas, que, mesmo antes da obra, já estavam muito esburacadas - diz o motorista Pedro Grizut, 43 anos. 

O atual piso do Calçadão foi colocado em 2003, durante as obras de recuperação do principal espaço do comércio local. À época, várias partes do piso precisaram ser refeitas poucos meses depois da inauguração porque algumas lajotas se soltaram.

A OBRA DA REDE COLETORA DE ÁGUA
Ao todo, estão sendo trocados 166 metros da tubulação que serve para escoar a água da chuva. Em dezembro, lojistas do Calçadão enfrentaram problemas com o alagamento de salas comerciais que ficam abaixo do nível da calçada. A Livraria da Mente, que foi uma das mais atingidas, precisou instalar mangueiras com baldes para escoar a água da chuva.

Rajadas de vento chegam a 70 Km/h e temperatura despenca em cinco minutos em Santa Maria

Para resolver o problema, que os comerciantes dizem ser histórico, as administradoras da Livraria da Mente e do Shopping Santa Maria resolveram propor uma alternativa ao Executivo: as próprias empresas poderiam pagar custos da nova tubulação desde que a prefeitura ficasse responsável pela mão de obra.

- A prefeitura disponibilizou todos os equipamentos necessários, e nós entramos com a tubulação. Dividimos de forma igual com a Livraria da Mente, que também estava sofrendo com o problema. Antes, molhava todo o 1º andar do shopping pela entrada da Alberto Pasqualini. Era muito complicada a situação - afirma a administradora do Santa Maria Shopping, Oneide Serro.

Ao todo, a livraria e o shopping desembolsaram quase R$ 7 mil para a aquisição de 166 tubos, ao custo de R$ 42 cada um. Com a reforma, a expectativa é que os problemas causados pela água acabem de forma definitiva.

- Depois da chuvarada de dezembro, a água começou a infiltrar pelas tomadas, por tudo. Ainda está tudo separado. Estávamos sendo muito prejudicados. Estamos falando com outros colegas para ver se nos ajudam com a obra também - diz a sócia diretora da Livraria da Mente, Maria Odete Fleig.

CAMINHÃO
Além das fortes chuvas do final do ano passado, a passagem de um caminhão pelo Calçadão também contribuiu para que a água acabasse inundando e prejudicando o trabalho em algumas lojas, como explica o vice-prefeito Sérgio Cechin.

- Como um caminhão passou lá e andou quebrando a tubulação, estamos tendo todo o cuidado para verificar toda a canalização, que é o ramal que cada loja tem. Essa parceria (com as lojas) é muito importante nos dias de hoje, em que todos vivem dificuldades financeiras - pondera.

Carregando matéria

Conteúdo exclusivo!

Somente assinantes podem visualizar este conteúdo

clique aqui para verificar os planos disponíveis

Já sou assinante

clique aqui para efetuar o login

8 concursos estão com inscrições abertas no Rio Grande do Sul Anterior

8 concursos estão com inscrições abertas no Rio Grande do Sul

Incêndio no Flamengo expõe o que não aprendemos com a Kiss Próximo

Incêndio no Flamengo expõe o que não aprendemos com a Kiss

Geral