santiago

Em Santiago, moradores do Bairro São Vicente encontram gafanhotos

Espécie se alimenta de vegetação e plantas daninhas, com baixo risco de danos à produção agrícola

18.398

Foto: Divulgação/Prefeitura de Santiago

Moradores do bairro São Vicente, em Santiago, se depararam com uma grande quantidade de gafanhotos na manhã desta quarta-feira. A moradora Terezinha Macedo (na foto) notou a presença de uma quantidade expressiva de insetos em um terreno ao lado de sua residencia e relacionou o fato com as notícias que ouviu sobre a proximidade de nuvens de gafanhotos na fronteira da Argentina com o Rio Grande do Sul. Agentes da Defesa Civil e da Inspetoria Veterinária de Santiago estiveram no local analisando a origem e a espécia dos insetos.

Bolsonaro suspende compras de seringas até que preços 'voltem à normalidade'

- Os insetos que aterrissaram por lá são gafanhotos soldados, chamados assim por causa de sua coloração 'estilo militar'. Até o momento (início da tarde de terça), nenhum outro relato foi recebido da presença de gafanhotos em outros locais - explica a técnica Elizandra Pavanelo.

Em nota oficial, a prefeitura de Santiago explica que a espécie encontrada na região não é a mesma encontrada na Argentina no ano passado. Segundo o texto, a espécie predominante da ocorrência é Chromacris speciosa, o gafanhoto-soldado, de coloração preta com manchas vermelhas quando jovem, evoluindo para verde camuflado quando adulto. Essa espécie alimenta-se de vegetação nativa e plantas espontâneas e daninhas, com baixo risco de danos à produção agrícola.

Abertas inscrições para alistamento obrigatório

SE VIR, AVISE 
A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Estado (SEAPDR) esclarece que estas espécies são nativas, de ocorrência comum no Rio Grande do Sul e não estão manifestando comportamento de praga agrícola, com ocorrências sem danos às plantas cultivadas e lavouras comerciais. A orientação inclusive é de não realizar o controle, tendo em vista que estas espécies desempenham função ecológica no meio ambiente e eventuais supressões possibilitariam desequilíbrio local e efeitos adversos ao meio ambiente. Em caso da observação de ocorrências com expressivas populações desses insetos, deve-se providenciar a comunicação imediata à SEAPDR, pelos contatos (51) 9 8412-9961 ou [email protected] (Com informações da prefeitura de Santiago) 



fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190