contatos Assine
violência

Cachorro é espancado até a morte em parque de Santiago

27 Dezembro 2018 00:28:00

Após a morte do cãozinho, um grupo de proteção de animais organiza um protesto neste sábado

João Pedro Lamas*
Foto: Foto: Divulgação
Conforme testemunhas, "Juliano", como foi batizado, vivia no parque

Foto: Divulgação

Um cachorro de rua foi espancado até a morte em Santiago no último domingo.

De acordo com a Brigada Militar (BM), um homem, já identificado, estaria preparando um churrasco com sua família no Parque Zamperetti, no bairro de mesmo nome, por volta do meio-dia, quando o animal, chamado de "Juliano" pela comunidade que vive próxima do local, se aproximou.

Idosa é detida por furto de produtos em supermercado de Santiago

Ainda conforme a BM, testemunhas disseram que esse homem, incomodado com a presença de Juliano, imobilizou o animal com o pé pelo pescoço e lhe agrediu com uma arma - não se sabe ao certo que arma era essa. Testemunhas contam que Juliano ainda tentou caminhar após ser espancado, mas morreu logo em seguida. 

Essas testemunhas disseram que o cachorro vivia no parque e era cuidado pela população. Foram elas que acionaram a BM.

O registro da ocorrência foi feito como "crime ambiental" e ainda deve ser remetido à Polícia Civil. Isso não teria sido feito ainda por conta do período de final de ano, que teria expediente reduzido.

Homem é morto a facadas durante briga em Cruz Alta

PROTESTO
Segundo o zelador do parque, Ernani Gonçalves, 69 anos, que cuidava de Juliano, o animal vivia no local há cerca de 5 anos. O zelador relata que deixou o animal solto pelo parque no dia, pois havia muitas crianças que gostavam de brincar e tirar fotos com o cachorro. 

- Estou muito abalado com a morte dele. Como eu sempre estive muito sozinho, ele era a minha companhia. Todo final de semana, quando eu ia para a igreja, ele caminhava do meu lado. Quando eu entrava na igreja, ela ficava na porta me esperando até a hora que a missa acabava, para voltar junto comigo - lembra Ernani.

Conforme a veterinária Eva Müller, a morte de Juliano causou comoção e indignação na cidade.

- Ele era muito amável com todo mundo. Quem passava pelo parque sempre parava um minuto para brincar com ele. Por isso, ficamos muito indignados. Isso não é admissível em qualquer situação. Ficamos muito chocados com o que as pessoas são capazes de fazer - contaa veterinária.

Um grupo de proteção aos animais de Santiago está organizando um protesto após a morte do cachorro. O protesto está marcado para iniciar às 16h do próximo sábado. O grupo deve sair em caminhada da Praça Moisés Vianna até Parque Zamperetti, local onde o animal foi morto. 

*Colaborou Janaína Wille


fale conosco

redação
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
atendimento@diariosm.com.br
ouvidoria@diariosm.com.br
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190