coronavírus

Média de testagem da população na região é de 2,4%

Nos dez maiores municípios foram testados 7,7 mil habitantes. Caçapava do Sul lidera o ranking com 5% da população testada

18.303
Foto: Foto: Divulgação (Prefeitura de São Pedro do Sul)

Foto: Divulgação (Prefeitura de São Pedro do Sul)

Um dos termômetros dos gestores públicos para aplicação de políticas públicas de saúde e até para o isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus é o resultado dos testes na população. Nos dez municípios de maior território da região depois de Santa Maria, a média de testagem é de 2,4% da população. Conforme levantamento nessas cidades, foram testados 7.743 habitantes até o dia 13 de julho. O município que mais testou a população foi Caçapava do Sul, com índice de 5%, seguido de Cruz Alta com 4% dos moradores. São Pedro do Sul teve a menor testagem até a data, com 0,71% da população testada (confira abaixo a lista completa). 

Caçapava do Sul também foi o município que investiu o maior valor na compra de testes com R$ 200 mil. O menor investimento neste tipo de controle da pandemia foi em São Pedro, onde todos os testes aplicados foram repassados pelo governo do estado. 

Conforme o Ministério da Saúde, até 11 de julho, 1.683.709 exames para o diagnóstico molecular da covid-19 (RT-PCR) haviam sido feitos no Brasil. No Rio Grande do Sul, o número de exames na data era de 54.939. Portanto, considerando somente os testes moleculares, a média de testagem é de 0,8% da população brasileira e de 0,48% dos gaúchos. 

AUXÍLIO FEDERAL 
Os recursos repassados pelo governo federal por meio do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus para diminuir os efeitos da queda na arrecadação dos municípios tem como um dos objetivos auxiliar nos gastos como aquisição de equipamentos de proteção individual, contratação de pessoal e testagem (confira abaixo quando cada município vai receber no total). O montante está sendo repassados em quatro parcelas. Uma parte dos recursos, inclusive, precisa ser aplicada exclusivamente para ações de saúde e assistência social. No entanto, conforme alguns prefeitos, o valor não é suficiente. 

- Não vai ser suficiente. Tanto que mandamos um projeto para a Câmara para não pagar o RPPS (Regime Próprio de Previdência Social, a previdência dos servidores) até o final do ano e reparcelar ele, a partir do ano que vem, para fazer esse enfrentamento. A queda do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e ICMS são maiores do que o valor repassado pelo governo federal pelo programa, de longe - defende Léo Girardello (PP), prefeito de São Sepé. 

O prefeito de Lavras do Sul, Sávio Prestes (PDT), disse que o município já recebeu duas parcelas do auxílio federal e que, mesmo com diminuição de receita, o município segue investindo: 

- A previsão é de uma redução em torno de R$ 300 mil por mês de ICMS e o FPM. Hoje estamos numa tarefa árdua de honrar os compromissos e a folha de pagamento. Conseguimos alguns testes por meio do governo do Estado, mas também investimos na testagem e em outras medidas, como a equipagem de uma UTI móvel, para garantir o transporte de usuários para tratamento. 

Vaquinha arrecada dinheiro para tratamento de câncer de rosariense

QUANTIDADE
De acordo com o professor do Departamento de Saúde Coletiva e de Epidemiologia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Marcos Lobato, o percentual de testagem na região, nesta fase da pandemia, é baixa: 

- Não existe número dito como adequado, mas, em alguns momentos, a própria OMS citou que os países que mais testavam, tinham índices a partir de 10% da população, mas isso depende de quantos casos temos. Se a gente tem uma pequena prevalência, a testagem pode ser menor. Talvez no início da pandemia, 2,4% fosse suficiente, mas agora que temos uma transmissão maior, é pouco - analisa. 

Embora os gestores lidem com falta de recursos, oferta de testes e limitação da capacidade de processar os resultados, o médico explica que a busca ativa de contatos é uma maneira eficaz de controlar a doença: 

- Temos um critério que chamamos de clínico epidemiológico, que pressupõe que não precisaríamos testar todo mundo para diagnosticar as pessoas. Por exemplo, se tem uma pessoa em uma casa testa positivo e outras três pessoas nessa mesma casa tiveram sintomas, a gente não precisaria testar todas para aferir que estão dentes e que se contaminaram, e aí tomar as medidas de controle. 

O especialista ressalta ainda que a testagem é de extrema importância não para trata ou curar, mas para planejar o isolamento de maneira mais eficiente. 

Drive-thru de cachorro-quente: iniciativa solidária quer arrecadar alimentos

O PANORAMA DE TESTAGEM

Júlio de Castilhos 

  • Total de testes aplicados - 443 (308 da rede pública, 135 da rede privada) - 2,2% da população
  • Investimento da prefeitura - R$ 15.400 (115 testes) 
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 2, 5 milhões

São Vicente do Sul 

  • Total de testes aplicados - 135 (6 privado, 129 rede pública) ­- 1,5% da população 
  • Investimento da prefeitura - R$ 3.300 (25 testes) 
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 1, 1 milhão 

São Pedro do Sul 

  • Total de testes aplicados 116 (7 particulares e 109 pela rede pública) - 0,71% da população 
  • Investimento da prefeitura - O município não comprou testes. Todos os da rede pública foram repassados governo do estado
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 2, 1 milhões 

Restinga Sêca 

  • Total de testes aplicados - 192 (108 privados, 84 rede pública) -- 1,2% 
  • Investimento da prefeitura - R$ 24,5 mil (200 testes) 
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 2 milhões

Lavras do Sul 

  • Total de testes aplicados - 229 (todos da rede pública) - 2,9% da população 
  • Investimento da prefeitura - R$ 9,7 mil (75 testes) - não utilizados ainda. A prefeitura recebeu ainda 340 testes do Ministério da Saúde 
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 972,9 mil  

Cruz Alta 

  • Total de testes aplicados - 2.454 (587 privados, 1.867 rede pública) - 4% da população 
  • Investimento da prefeitura - R$ 120 mil (1.000 testes)
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 7, 8 milhões

Agudo 

  • Total de testes aplicados - 239 (3 privados, 92 rede pública) - 1,4% da população 
  • Investimento da prefeitura - R$ 23,8 mil (200 testes) 
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 2, 1 milhões

Santiago 

  • Total de testes aplicados - 1.350 (410 privados, 940 rede pública) - 2,7% da população 
  • Investimento da prefeitura - R$ 45 mil (500 testes) 
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 6,4 milhões 

São Sepé 

  • Total de testes aplicados - 742 (560 da rede pública 182 da rede privada) - 2,2% da população 
  • Investimento da prefeitura - R$ 70.650 (2.325 testes) 
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 3 milhões 

Caçapava do Sul

  • Total de testes aplicados - 1.843 (738 privados, 1.105 rede pública) - 5,4% da população 
  • Investimento da prefeitura - R$ 200 mil (2 mil testes) 
  • Previsão de recebimento de recursos do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus - R$ 4,3 milhões 

*Dados levantados até 13 de julho de 2020


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190