denúncia

Tribunal de Contas suspende licitação para coleta de lixo em Cruz Alta

O prefeito Vilson Roberto Bastos dos Santos (PT) tem 15 dias para prestar esclarecimentos solicitados

José Mauro Batista
Foto: Foto: Prefeitura de Cruz Alta (Divulgação)


Foto: Prefeitura de Cruz Alta (Divulgação)

A prefeitura de Cruz Alta vai ter que refazer o edital de licitação da coleta de lixo após denúncia de uma das empresas concorrentes ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS). Com base na reclamação da Onze Construtora e Urbanizadora Ltda, a corte determinou a suspensão do edital. A decisão é de 25 de junho, mas foi divulgada hoje pelo tribunal. A abertura das propostas estava prevista para esta quinta-feira. O prefeito Vilson Roberto Bastos dos Santos (PT) tem 15 dias para prestar esclarecimentos solicitados.

Alunos de escolas de Nova Palma terão aulas de canoagem

Segundo a assessoria de imprensa do TCE-RS, o relator do processo, conselheiro Pedro Figueiredo, considerou que, embora a licitação tenha sido separada em três lotes diferentes, há a exigência dos mesmos atestados de capacidade técnica operacional para serviços de naturezas diferentes, como a coleta convencional e a de resíduos de saúde.

No entendimento do relator, essa circunstância pode causar direcionamento da licitação para um grupo reduzido de empresas aptas à prestação de todos os serviços. Da mesma forma, pode comprometer a competitividade na concorrência "e a busca da melhor proposta para administração pública".

Além da coleta de resíduos sólidos domiciliares, a licitação prevê a terceirização de coleta, transporte, tratamento e destinação final do lixo hospitalar (resíduos sólidos de saúde) e, ainda, a disponibilização e operação de unidade de transbordo do lixo da coleta regular , que inclui aterro e tratamento final.

Cruz Alta terá leilão de 856 sucatas e veículos em julho

O procurador jurídico da prefeitura de Cruz Alta, Virlei Becker, disse que sua orientação é para que a determinação do TCE seja cumprida e que um novo edital seja publicado. Becker alega que o Executivo elaborou o edital a partir de um manual de licitação de lixo divulgado pelo próprio TCE. Além disso, as regras da licitação foram submetidas aos auditores da Regional de Santa Maria do tribunal.

- Elaboramos a planilha de custo e o edital e submetemos previamente aos auditores. Eles apontaram mais de 20 itens a serem corrigidos e nós corrigimos todos. O que estranhamos é que o edital prevê prazo de impugnação e a empresa foi direito ao Tribunal de Contas quando o natural seria que buscasse o caminho administrativo. Agora, vamos fazer as correções e submeter novamente ao tribunal - diz o procurador jurídico.

Em abril deste ano, o TCE-RS emitiu medida cautelar determinando que a prefeitura de Cruz Alta realizasse nova licitação do lixo no prazo de três meses. Na época, o conselheiro Marco Peixoto argumentou que houve o descumprimento de decisão do tribunal em processo de Inspeção Especial no município. Por meio dessa inspeção, foi recomendado que o contrato em vigor não fosse prorrogado. A corte também determinou a separação dos certames, conforme a natureza e a complexidade de cada serviço. 


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190