mão de obra dos presos

Apenados reformam Presídio Estadual de Cacequi

Iniciativa da 2ª Delegacia Penitenciária Regional (DPR) utiliza a mão de obra dos presos para reduzir custos e diminuir o tempo ocioso deles

18.398
Foto: Foto: Susepe (Divulgação)
Antes e depois de uma mesma cela reformada pelos presos

Foto: Susepe (Divulgação)
Antes e depois de uma mesma cela reformada pelos presos

Uma ação desenvolvida pela 2ª Delegacia Penitenciária Regional (DPR), sediada na Região Central, utiliza a mão de obra dos apenados em prol do Estado. Até o início de agosto, devem ser finalizadas as reformas no Presídio Estadual de Cacequi. Todo o trabalho é feito pelos presos. Eles utilizam conhecimento e experiência em diversos ofícios, como pedreiros, encanadores ou pintores, para revitalizar a estrutura do local.

De acordo com o delegado Anderson Prochnow, responsável pela 2ª DPR, o principal objetivo é ocupar a maior parte possível do tempo dos apenados e, ainda, reduzir custos para a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe). A cada três dias trabalhados, eles diminuem um dia na pena. Entre as melhorias, rebocos foram refeitos, troca de pias e o sistema elétrico renovado:

- Com o tempo, os prédios públicos se deterioram. O presídio de Cacequi é antigo. É uma iniciativa da nossa gestão oferecer aos apenados oportunidade de trabalhar, em obras, sejam elas de manutenção, faxina, entre outras. O importante é envolvê-los em atividades deste tipo.

VÍDEO: como é a rotina e o trabalho de um bombeiro voluntário

A pintura das paredes do lado de fora do presídio está em fase final. Para trabalhar na área externa, os presos do regime fechado precisam de uma autorização judicial.

OPORTUNIDADE

Conforme a administradora do presídio, Alice Leonardi Pacheco, ainda não foram revitalizados duas celas e o parlatório (lugar onde advogados atendem os presos). Interfones também devem ser instalados no prédio, a fim de agilizar a comunicação entre servidores e o público que visita o local.

Rio Grande do Sul tem 33 novos óbitos e se aproxima de mil mortes pela Covid-19

Um dos apenados comenta que o trabalho na casa prisional serve para ele aprimorar os conhecimentos sobre rede elétrica, hidráulica e construção civil.

- Assim, posso buscar uma melhor colocação no mercado de trabalho após o cumprimento da pena - diz ele.

O delegado Prochnow quer ampliar a iniciativa para outras unidades da área da 2ª DPR, que, além de Cacequi, abrange Santa Maria, São Sepé, Agudo, Júlio de Castilhos, Caçapava do Sul, São Vicente do Sul, Jaguari, Santiago e São Francisco de Assis.

*Colaborou Rafael Favero


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190