"sai mosquito"

Alunos e professores da escola Sinos de Belém mobilizam comunidade da zona oeste para combater a dengue

Alunos e professores da escola Sinos de Belém mobilizam comunidade da zona oeste para combater a dengue

Foto: Eduarda Paz (Diário)

Músicas, cartazes e panfletos marcaram a ação da Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Sinos de Belém contra a dengue, nesta terça-feira (20). A iniciativa tem como objetivo conscientizar a comunidade para prevenir-se contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Durante a manhã, os pequenos, acompanhados das professoras, distribuíram panfletos para motoristas em frente à escola, e em um supermercado nas proximidades do local. O Bairro Juscelino Kubitschek, onde a Emei está localizada, é uma das regiões com mais casos positivos da doença no município. A instituição de ensino realiza ações, quase todos os anos, para conscientizar as crianças sobre a temática. 

Santa Maria tem mais de 1,8 mil casos confirmados de dengue. Na segunda-feira (19), o boletim epidemiológico apontou 1.886 pessoas com a doença e outras 74 em investigação. Além disso, até o momento, três mortes por dengue foram registradas na cidade.  

Dentre os bairros com mais casos positivos, estão Juscelino KubitschekLorenziNova Santa MartaPinheiro Machado e São João.

Conscientização começa com os pequenos

“Sai mosquito”, esta é a frase que os pequenos cantaram junto com a música escolhida pelas professoras para deixar a iniciativa mais animada. E toda a diversão da criançada tem um objetivo: conscientizar os adultos, explica a diretora da instituição, Bárbara de Almeida, 56 anos.

– Essa ação é a primeira do ano. Trabalhamos sobre a dengue todos os anos. Em 2022, ganhamos o segundo lugar na Educar e Empreender, na feira de ciência, com o repelente natural contra o mosquito da dengue que os alunos fizeram. Em 2018, fizemos uma ação na comunidade, visitando as casas para distribuir panfletos.

Além da música e confecção dos panfletos pelas crianças, a pequena Ana Clara Rosa Romão, 5 anos, estava vestida de Aedes aegypti. A pequena, como estava fantasiada, teve várias vezes a iniciativa de ir conversar com as pessoas da comunidade sobre a importância de não deixar água parada. 

– Temos que deixar o pátio limpo e não podemos deixar nenhuma água parada, porque senão ficamos com as manchinhas vermelhas (a vermelhidão na pele é um sintoma muito comum da doença) – conta a aluna. 

Ana Clara Rosa Romão, 5 anos, vestida de Aedes aegypti

Comunidade 

A ação com os motoristas teve a ajuda da Guarda Municipal e da Fiscalização de Trânsito. O agente de trânsito Denilson Borin Beck auxiliou os alunos e as professoras na distribuição dos panfletos para os motoristas. Ele reforça que toda a comunidade deve se envolver junto nas campanhas contra a doença. 

– Estamos nessa guerra contra o mosquito da dengue. Precisamos de crianças realizando essas iniciativas para atingir toda a família depois. 

A partir das 10h, a criançada, junto das professoras, foram para um supermercado próximo à Emei para continuar a ação. A faixa da campanha e a caixa de som com a trilha sonora da ação também foram colocadas em frente ao mercado para chamar a atenção dos consumidores. O autônomo Danrlei Soares de Melo, 41 anos, já estava de saída quando encontrou com a turminha da Emei Sinos de Belém. A pequena Ana Clara explicou para ele tudo que é preciso fazer para se prevenir da doença.

– Muito legal essa ação de conscientização para os moradores aqui da região. Porque temos muitos casos de dengue nos postos de saúde do município. A iniciativa é um dos passos para tentar terminar com a doença e muito bonito começar pelos pequenos – comenta Danrlei. 

A campanha da Emei Sinos de Belém vai continuar pela parte da tarde, a partir das 14h30min, nos mesmos locais. 

Dengue em Santa Maria 2023

  • Casos confirmados – 1.886
  • Casos em investigação – 74
  • Óbitos – 3

Fique atento aos sintomas

Ao apresentar sintomas, busque atendimento na unidade de saúde mais próxima.

  • Febre alta
  • Dor de cabeça
  • Dores no corpo e articulações
  • Cansaço
  • Fraqueza
  • Dor atrás dos olhos
  • Manchas vermelhas na pele

Previna-se!

  • Mantenha a caixa d’água sempre fechada
  • Encha de areia, até a borda, os potes e os vasos de plantas
  • Não deixe a água da chuva acumular em recipientes
  • Mantenha tampados tonéis e barris de água
  • Guarde garrafas de cabeça para baixo
  • Recolha seus resíduos
  • Use repelente
  • Utilize inseticida em locais escuros (perto do chão e proximidades de piscina)

Denúncia

Caso você suspeite de um foco da dengue, denúncias podem ser feitas para a Superintendência de Vigilância em Saúde das seguintes formas:

Carregando matéria

Conteúdo exclusivo!

Somente assinantes podem visualizar este conteúdo

clique aqui para verificar os planos disponíveis

Já sou assinante

clique aqui para efetuar o login

Projeto da UFSM promove evento em alusão do Dia Mundial do Refugiado Anterior

Projeto da UFSM promove evento em alusão do Dia Mundial do Refugiado

STF deve voltar a discutir sobre prisão de condenados pelo júri Próximo

STF deve voltar a discutir sobre prisão de condenados pelo júri

Geral