covid-19

Por recomendação da Anvisa, vacinação para grávidas está suspensa em Santa Maria

Campanha para gestantes e puérperas começaria na manhã desta terça. Cerca de 20 mulheres foram para local de vacinação

18.398

Foto: Pedro Piegas (Diário) 
Na Fisma, mulheres chegaram a procurar vacinação e foram avisadas da nova orientação 

A prefeitura de Santa Maria suspendeu a vacinação contra a Covid-19 para grávidas e puérperas nesta terça-feira. A ação estava prevista para ocorrer na sede da Fisma (Rua José do Patrocínio, 26), a partir das 8h. A medida ocorre após a divulgação de uma nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que recomendou, na noite de segunda-feira, a suspensão imediata da vacina Oxford/AstraZeneca em mulheres gestantes.  A confirmação da prefeitura sobre cancelar a ação para o grupo foi pouco antes do início da campanha, e nenhuma mulher ou gestante chegou a tomar a dose na cidade. 

- Cheguei hoje bem cedo, na Fisma, mas só recebi a notícia do cancelamento quando cheguei aqui. Assim como todas as outras gestantes que estão aqui, fiquei bem chateada, porque é um momento que todos estamos esperando né, essa vacinação é muito importante para todos nós, para nos mantermos saudáveis e na luta contra o coronavírus - comenta Daniela Pozzobon, jornalista que estava na fila. 

Nova remessa de CoronaVac chega a Santa Maria

Em nota, a prefeitura informa que aguarda posicionamento oficial por parte do Estado para verificar se todas as demais ações destinadas para esse público serão suspensas em definitivo.

Todas as cidades da região já registram mortes por Covid-19

A vacinação em gestantes contra a Covid-19 em Santa Maria está marcada para ocorrer em mais cinco datas diferentes, em dois locais. Conforme a prefeitura, as puérperas (mulheres que tiveram filhos em até 45 dias), que estavam incluídas junto a gestantes no público-alvo da ação desta terça-feira, também não receberão a primeira dose da vacina neste momento.

A prefeitura explica que as doses ficarão garantidas para gestantes e puérperas, mas que o Executivo aguarda posicionamento e orientação da Secretaria Estadual de Saúde (SES) para ter alguma definição. Por meio da assessoria de comunicação, a SES disse que avalia a situação e mais tarde deve se posicionar a respeito.

ANTES DO AVISO, TEVE FILA 

Às 8h, horário previsto para começar a vacinação desse grupo, 19 mulheres estavam na fila, a primeira, chegou às 5h. O secretário de Saúde, Guilherme Ribas, foi até o local por volta de 8h para explicar a situação e disse que tentaria uma orientação até o meio-dia. Ainda conforme Ribas, a ideia é vacinar pelo menos as mulheres puérperas (45 dias depois do parto) na tarde desta terça-feira, caso seja permitido pelos órgãos sanitários. A nota lançada pela Anvisa ainda na noite de segunda-feira somente cita gestantes, e não puérperas. Por isso, há uma indefinição ainda, tanto da prefeitura quando a Secretaria Estadual de Saúde, sobre a continuidade na ação para esse grupo.

- Por prevenção, por cuidado com gestantes e puérperas, preferi suspender na parte da manhã. Caso receba alguma informação oficial, que diga que podemos seguir com a vacinação, nem que seja somente com as puérperas, estou com as equipes organizadas - disse Ribas.

Uma das puérperas que aguardavam pela dose completou na terça-feira 44 dias do parto. A mulher, de 38 anos, que preferiu não se identificar, discorda da posição da prefeitura, já que a nota da Anvisa não citou as puérperas. Caso a definição atrase mais dois dias, ela não terá mais direito a receber a vacina.

A prefeitura recolheu os nomes e os contatos das gestantes e puérperas que compareceram na Fisma durante a manhã. As doses da vacina não chegaram a ser levadas até o local, mas Ribas garante que o município já reservou cerca de 2 mil doses para o grupo, o que representa 55% do necessário para imunizar todas as gestantes e puérperas do município.

O QUE DIZ O ESTADO

Em nota enviada ao Diário, a SES informou que "recomenda a suspensão temporária da aplicação da vacina Oxford/AstraZeneca em gestantes e puérperas no território gaúcho, como medida preventiva, seguindo a recomendação da Anvisa, até que seja esclarecido o possível Evento Adverso Pós-Vacinação".

Confira a nota técnica da Anvisa na íntegra:

"A Anvisa recomendou nesta segunda-feira (10/5) a suspensão imediata do uso da vacina Covid da AstraZeneca/Fiocruz em mulheres gestantes. A orientação está em Nota Técnica emitida pela Agência.

A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina AstraZeneca seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). A orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas Covid em uso no país.

O uso "off label" de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente. A bula atual da vacina contra Covid da AstraZeneca não recomenda o uso da vacina sem orientação médica."


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190