na justiça

Governo recorre da decisão que suspende aulas presenciais

Decisão em primeira instância permite somente ensino remoto durante a bandeira preta

18.398

Foto: Anselmo Cunha (Diário) 

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) interpôs, na tarde desta segunda-feira, recurso da decisão do Tribunal de Justiça (TJRS) que decidiu que as atividades presenciais devem ficar suspensas nas escolas durante o período em que todo o Estado está em bandeira preta.

Lojas, restaurantes, bancos: saiba o que pode e o que não pode na bandeira preta

No recurso, a PGE alegou que, em caráter extraordinário das medidas sanitárias referentes à bandeira final preta em todo o Estado e da suspensão da cogestão, a educação só admite atividades na modalidade remota, ressalvados apenas a educação infantil e os anos iniciais do ensino fundamental (1º e 2º anos), se reduzindo, assim, a movimentação de pessoas e, consequentemente, a circulação do vírus.

Antes da decisão do TJ, publicada na noite de domingo, escolas estavam definidas a voltar a receber os alunos a partir desta segunda-feira. Enquanto não houve decisão sobre o recurso, as atividades presenciais ficam proibidas. 


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190