é fake

5 informações falsas sobre o coronavírus

Veja a explicação de boatos sobre a covid-19

18.398

Foto: Leonardo Catto (Diário)

Com o aumento de casos do covid-19, o novo coronavírus, no Brasil, o assunto se torna um terreno fértil para fake news. A desinformação, além de prejudicar o que população sabe sobre a doença, pode levar pessoas a exposições à contaminação do vírus. 

Prefeitura convoca 12 profissionais da saúde para atuar no combate ao coronavírus

Neste momento, além de manter a calma e redobrar os cuidados - lavando as mãos e ficando sempre em casa, se possível - é importante buscar os meios oficiais para checar as informações duvidosas sobre o vírus e, antes de tudo, não repassar quando perceber que há algo estranho na mensagem. O Ministério da Saúde, por exemplo, está disponibilizando um número de WhatsApp para envio de mensagens da população. Não é um canal para tirar dúvidas, mas um espaço exclusivo para receber e apurar informações que estão sendo compartilhadas. O número é (61) 99289-4640. O ministério também possui um espaço em seu site apenas para desmentir informações falsas. Para acessar, basta acessar ao  site.

Veja cinco boatos sobre o coronavírus:

  1. COVID-19 resiste a temperaturas superiores a 26ºC
    Em temperaturas acima de 30 graus, o tempo de permanência do vírus no ambiente pode ser reduzido, mas não eliminado por completo. O Ministério da Saúde também ressalta que não há nenhum indicativo de que a informação seja verdadeira e lembra que o vírus tolera, pelo menos, 36ºC, temperatura do corpo humano
  2. Produtos importados da China podem conter o vírus
    O vírus não sobrevive mais de 24 horas fora do corpo humano e de outros seres vivos. Além de não ter nenhuma informação sobre produtos da China infectados, o tempo de tráfego dos mesmos é alto, eliminando a presença do vírus nas embalagens. O Ministério da Saúde também reforça que a Anvisa monitora diariamente aeroportos, portos e fronteiras.
  3. Gargarejo com água morna ou chá elimina o vírus
    Não há nenhuma comprovação científica para o boato. Conforme o Dr. Drauzio Varella publicou em seu site, a utilização de enxaguantes bucais não previne contra contaminação do coronavírus, servindo apenas para eliminar micróbios presentes na boca.
  4. Coronavírus veio dos animais
    Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), não há nenhuma informação de que o coronavírus tenha vindo dos animais. O órgão ressalta, ainda, que as investigações sobre a origem do vírus ainda estão em andamento.
  5. Vitamina C ajuda na prevenção
    Tanto a OMS quanto o Ministério da Saúde desmentem a mensagem que circula com essa informação. Até o momento, não há um remédio específico contra o vírus. A principal medida preventiva contra a contaminação segue sendo lavar constantemente as mãos com água e sabão e evitar contato com pessoas infectadas

*Com informações da Agência Educa Mais Brasil


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190