eleições 2020

TSE enfrenta lentidão em apuração e problemas com e-título

Esta foi a primeira eleição municipal em que os dados vêm direto das seções eleitorais para serem totalizados no TSE

18.395
Foto: Foto: Rodrigo Nenê (Diário)

Foto: Rodrigo Nenê (Diário)

O primeiro turno das eleições municipais de 2020 foi marcado por problemas registrados na ferramenta do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) lançada com o objetivo de facilitar a vida do eleitor e lentidão da divulgação da apuração dos resultados.

Segundo o tribunal, o atraso para a divulgação dos resultados começou a ser resolvido pelos técnicos no início da noite deste domingo. É a primeira eleição municipal em que os dados vêm direto das seções eleitorais para serem totalizados no TSE.

Região Central já conhece 7 prefeitos eleitos neste domingo

De acordo com o tribunal, eles foram remetidos normalmente pelos TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) e recepcionados pelo banco de totalização, que estaria somando o conteúdo de forma mais lenta que o previsto.

Além disso, o e-título, aplicativo que substitui o título de eleitor, localiza as seções e permite justificar a ausência, apresentou instabilidade durante o domingo, e eleitores não conseguiram acesso.

O tribunal também sofreu uma tentativa de ataque em sua rede que, segundo o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, foi totalmente neutralizada, com a ajuda de empresas de telefonia. Segundo o tribunal, esse episódio não tem relação com a atraso na divulgação dos resultados.

Governador Eduardo Leite vota nas eleições municipais de Pelotas

Barroso passou o dia dando explicações sobre os problemas enfrentados. Pela manhã, ele chegou a atribuir o problema do acesso do aplicativo a eleitores "que deixaram para baixar em cima da hora".

Já durante a tarde, Barroso disse que as medidas tomadas pelo órgão para prevenir a invasão da rede contribuíram para as dificuldades registradas. Barroso justificou que, por conta da invasão da rede do STJ (Superior Tribunal de Justiça) na semana passada, o TSE resolveu desligar um de seus dois servidores da rede.

A medida, que era para reforçar a segurança do sistema do tribunal, acabou sobrecarregando o segundo servidor do órgão. Segundo o ministro, a origem da investida teria sido provavelmente de fora do país e "com um grande volume de tentativas", mas não entrou em maiores detalhes.

- Obviamente, houve um subdimensionamento ou problema técnico, sobretudo causado pelo desligamento de um dos servidores, uma coisa que não queria que tivesse acontecido, mas ocorreu. Tivemos uma dificuldade e vamos consertar já para o segundo turno - disse.

VÍDEO: Jader Maretoli é o último candidato a prefeito a votar em Santa Maria

Barroso também acrescentou não ter atribuído a responsabilidade pela instabilidade do sistema aos eleitores e que estava em contato com a empresa que produziu o aplicativo e com o Google para resolver o problema.

Antes de reforçar a segurança, o TSE relatou que sofreu um ataque aos dados pessoais de servidores, que chegaram a ser divulgados. A Polícia Federal informou que está investigando o caso e que já se sabe que os dados são antigos e que o acesso ocorreu em data anterior ao dia 23 de outubro.

Sobre a tentativa de invasão deste domingo, Barroso disse que provavelmente foi feita fora do país. Os invasores, segundo o ministro, agiram "com um grande volume de tentativas" para tentar derrubar o sistema.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190