eleições 2020

Planos de governo: a escrita a ser acompanhada pelo prefeito eleito pelos próximos quatro anos

Conheça as áreas que figuram em destaque nos projetos dos concorrentes ao comando do município a partir de 2021

18.302

O investimento em saúde, educação, segurança, cultura e fortalecimento da economia se desdobram entre os mais genéricos aos mais audaciosos projetos que integram os planos de governo dos seis candidatos a prefeito de Santa Maria. Os documentos já foram todos apresentados à Justiça Eleitoral, que impôs normas sobre o registro de candidaturas e estabeleceu a obrigatoriedade dos planos. A íntegra dos materiais pode ser consultada no site do Tribunal Superior Eleitoral ( TSE).

Dentro dos planos dos prefeituráveis, há propostas quantificadas, assim como as que pouco explicam o modo como serão instrumentalizadas. Em linhas gerais, todos buscam "ampliar, fortalecer, incentivar programas, além de propor a criação de outras frentes".

As exceções estão em iniciativas de melhorias na área de saúde mental, creches e Unidades Básicas de Saúde (UBS), o tripé aparece na maioria do planos. Todos também são unânimes em propor uma administração com mais tecnologia e menos burocratização.

COVID-19

É possível que, em 2021, tenha de se articular para o enfrentamento da pós-pandemia ou do já popularizado novo normal. Mas, também é provável que os casos de Covid-19 não deem trégua tão cedo, e a doença siga sendo uma ameaça ao cotidiano dos santa-marienses. A pandemia do novo coronavírus, principal rescaldo de 2020, aparece com diferentes abordagens nos projetos de gestão. Jader Maretoli (Republicanos) é o único entre os seis prefeituráveis que não menciona a crise do coronavírus em seu plano. Marcelo Bisogno (PDT) defende, na introdução das propostas, uma reorganização pós-pandêmica que não fique "dependente de políticas dos governos estadual e federal". O tema aparece, depois, no âmbito da educação, quando é proposto um "projeto de reforço escolar pós-pandemia" e na importância de fortalecer a gestão em saúde. O candidato Evandro Behr (Cidadania) se vale do assunto para mencionar que a pandemia expôs consequências das "limitações de planejamento e gestão" da cidade, além de afirmar a urgência de responsabilidades e da preservação de vidas. De forma sucinta, mas enfática, Sergio Cechin (Progressistas) traz uma interpretação do cenário pandêmico, o impacto já percebido e a necessidade de mudanças a partir de uma gestão de protagonismo junto a diversas áreas de conhecimento.

A trajetória pessoal e a vida pública: conheça os seis candidatos a prefeito de Santa Maria

Os planos de Luciano Guerra (PT) e Jorge Pozzobom (PSDB) são onde o tema é mais contemplado. O primeiro destaca a defesa e o fortalecimento do SUS, o cuidado com as populações vulneráveis e programas de formação para servidores e professores. O segundo traz o argumento de já saber como enfrentar a crise e eleger prioridades, além de informar ações executadas diante do cenário pandêmico, desde março deste ano.

SIGLAS E NÚMEROS

Dois candidatos optaram por "rimar" o número das siglas partidárias no material que reúne as propostas. São Pozzobom com 45 páginas, e Guerra com exatas 13 metas dentro do plano que totaliza 93 páginas. Jader, Cechin, Behr e Bisogno, contudo, trazem um material distribuído em 11, 9, 21 e 27 páginas, respectivamente.


JADER MARETOLI (REPUBLICANOS)

Foto: Pedro Piegas (Diário)/


Com apresentação em primeira pessoa, o plano de governo da coligação "Avança Santa Maria", com Jader Maretoli e Maria Helena Rodrigues à majoritária pelo Republicanos e candidatura apoiada pelo PSC, estrutura-se em 11 páginas e conta com 11 propostas: gestão; educação; saúde; transporte e infraestrutura; habitação; saneamento básico e sustentabilidade; cultura, esporte e turismo; segurança e mobilidade urbana; desenvolvimento econômico, trabalho e renda; assistência e desenvolvimento social; agricultura, pecuária, pesca e abastecimento.

O documento dá ênfase a projetos e pontua ações e mudanças. Prevê a redução de 30% do quadro de Cargos de Comissão (CC), a extinção de secretarias municipais (sem especificar quais) e a criação de uma Secretaria de Segurança. Também estão contempladas a criação de escola cívica-militar, Fundação Saúde, Farmácia Solidária, Mercado Público, fábrica de fraldas e absorventes, canil municipal, Central de Polícia, Centro de Tratamento de Dependentes Químicos e Casa de Passagem feminina. A ativação da usina de asfalto e alteração da gestão do aterro municipal e o fomento a eventos como Acampamento Farroupilha e Olimpíadas do Conhecimento.

"Estamos amparado na realidade de Santa Maria. Buscando ideias novas e caminhos possíveis para uma cidade com futuro melhor. Visando o retorno da economia e da geração de emprego, dando a atenção para a saúde das famílias, e melhor Infraestrutura urbana e rural"

Coligação Avança Santa Maria

  • 11 páginas
  • 11 propostas (gestão; educação; saúde; transporte e infraestrutura; habitação; saneamento básico e sustentabilidade; cultura, esporte e turismo; segurança e mobilidade urbana; desenvolvimento econômico, trabalho e renda; assistência e desenvolvimento social; agricultura, pecuária, pesca e abastecimento)

SERGIO CECHIN (PROGRESSISTAS)


A coligação "Santa Maria agora sim", com PL, Solidariedade, PRTB, Avante, Patriotas e PROS, PP e MDB, tem Sergio Cechin na cabeça de chapa, e Francisco Harrisson para vice, apresenta um plano de governo elaborado a partir de uma pesquisa feita com cerca 10 mil moradores de Santa Maria e estudo dos quatro planos de desenvolvimento econômico nos últimos 30 anos. É o mais enxuto dos planos, disposto em nove páginas. Está estruturado em quatro eixos: cidade digital, dignidade humana, zeladoria e crescimento econômico. O documento tem o tom mais oposicionista entre os seis candidatos, traz análise crítica de dados locais chegando a mencionar o município como "ultrapassado" e com "estatísticas desfavoráveis" e sendo "a 12ª economia no Estado e o "316º PIB/per capita dos municípios". Cita ainda que a cidade tem "apenas 20% do orçamento de receita própria" e uma "baixíssima arrecadação de ISSQN". Promover mudanças com uma administração marcada pelo protagonismo do gestor e fazer de Santa Maria uma cidade-lar ao mesmo tempo que se desenvolva sob o conceito de cidade inteligente integram os argumentos apresentados no texto, que não aponta especificidades quanto a criação ou extinção de projetos.

"Nosso objetivo é tornar Santa Maria próspera. Por isso ,o plano de governo é alicerçado em quatro eixos: cidade digital, dignidade humana, zeladoria e crescimento. Assim, chegaremos ao pleno desenvolvimento"

Coligação Santa Maria agora sim

  • 9 páginas
  • 4 eixos (cidade digital; dignidade humana; zeladoria e crescimento econômico)


LUCIANO GUERRA (PT)


"Você na prefeitura", coligação formada pelo PT e PSD que apresenta Luciano Guerra para prefeito de Santa Maria e Marion Mortari (PSD) a vice, traz o mais extenso plano de governo entre os prefeituráveis. Tem 93 páginas e 13 grupos temáticos: saúde; educação; direitos humanos; assistência social; habitação, regularização fundiária, comunitária e participação popular; segurança pública; infraestrutura e mobilidade urbana, desenvolvimento urbano, centro da cidade e proteção animal; gestão administrativa e inclusão digital; desenvolvimento rural e economia solidária; desenvolvimento social e econômico, desenvolvimento industrial e inovação; esporte e lazer; cultura e turismo; comunicação social e transparência. O material aprofunda cada aspecto abordado contextualizando percentuais e com estatísticas pontuando ações locais e no país. O fortalecimento do SUS integra as prioridades de gestão, bem como contempla políticas voltadas aos direitos humanos. Estão entre as propostas, a implantação de conselhos setoriais, a recriação do Banco do Povo e a criação de fundos da juventude, habitação, segurança pública e meio ambiente, esporte, cultura e para economia solidária, além de uma legislação para prever "área livre de agrotóxicos".

"Santa Maria precisa de mudança. Nós queremos renovar com participação, diálogo e parcerias. Vamos vencer a Covid-19 e avançar na infraestrutura, saúde, empregos e demais áreas sem promessas. É pé no chão e projeto na mão."

Coligação Você na prefeitura

  • 93 páginas
  • 13 grupos temáticos ( saúde; educação; direitos humanos; assistência social; habitação, regularização fundiária, comunitária e participação popular; segurança pública; infraestrutura e mobilidade urbana, desenvolvimento urbano, centro da cidade e proteção animal; gestão administrativa e inclusão digital; desenvolvimento rural e economia solidária; desenvolvimento social e econômico, desenvolvimento industrial e inovação; esporte e lazer; cultura e turismo; comunicação social e transparência)


EVANDRO BEHR (CIDADANIA)

Foto: Renan Mattos (Diário)

A Coligação "A Santa Maria que queremos, a cidade que merecemos", que tem o apoio do Democracia Cristã (DC), traz Evandro de Barros Behr a prefeito e Carla Kowalski a vice, explana, nas 21 páginas do plano de governo, sete eixos: compromisso social e pertencimento; empreendedorismo, emprego e renda; saúde e qualidade de vida; educação e cidadania; cultura, esporte e lazer; meio ambiente; instrumentos de gestão transparente, eficiente, responsável e integrada. O material foi construído por colaboradores partidários e união de estratégias de gestões anteriores. O documento aponta um município ainda com limitações de planejamento e projeta um novo ciclo social e econômico para Santa Maria, a tornando, inclusive, uma referência e "uma região metropolitana na região central do Estado". Nesse sentido, menciona conceito de cinturão verde para extrapolar os limites físicos do município, incentivar o turismo e integrá-lo com demais atividades da região. Integram as propostas, a redução de Cargos de Confiança (CC), a criação de um cartório municipal e de um cargo para ouvidor municipal a ser votado por todos os cidadãos, uma rede de acolhimento 24 horas e o autofinanciamento para realização do carnaval. 

"Retomar o protagonismo de Santa Maria, através de uma gestão qualificada, inteligente e inovadora, estimulando a participação social, para melhorar a qualidade de vida e, assim, atingirmos o desenvolvimento social e econômico que nós merecemos"

Coligação A Santa Maria que queremos, a cidade  que merecemos

  • 27 páginas
  • 7 eixos (compromisso social e pertencimento; empreendedorismo, emprego e renda; saúde e qualidade de vida; educação e cidadania; cultura, esporte e lazer; meio ambiente; instrumentos de gestão transparente, eficiente, responsável e integrada)


MARCELO ZAPPE BISOGNO (PDT)

Foto: Gabriel Haesbaert (Diário)

O plano de governo da coligação "Um novo caminho para Santa Maria", com apoio do PCdoB, Rede, PV, Marcelo Zappe Bisogno (PDT) para prefeito e Fabiano Pereira (PSB) a vice, é apresentado em 27 páginas. O projeto se estrutura em três propostas norteadoras: desenvolvimento econômico, desenvolvimento humano e o município digital. O material propõe um modelo de cidade inteligente, moderna e descentralizada. Ter alunos 100% alfabetizados e resgatar a cidade como polo regional de gestão plena são as apostas em Educação e Saúde. Elevar o PIB, promover o investimento econômico junto de cadeias produtivas de turismo e alimento, integram os caminhos para o desenvolvimento nos meios urbano e rural, inclusive propondo a municipalização da antiga Fepagro. O documento faz menção ao corte de "despesas supérfluas" e prevê a criação da Secretaria de Turismo e Eventos, Secretaria Extraordinária de Captação de Recursos e Projetos, Farmácia Alternativa, Caps 24h, Programa Santa Maria Recicla, Parque Municipal de eventos, creches distritais, Centro de Referência à mulher e centro técnico para desenvolver APPs. Efetivar a cobrança de royalties de outros municípios pela utilização do aterro municipal e fazer valer a lei que trata da realização do carnaval.

"O plano objetiva assegurar um futuro para Santa Maria, através de uma estratégia que enfrente a crise nacional e reorganização da economia pós-pandemia. Trabalharão o desenvolvimento econômico, desenvolvimento humano, trabalho e renda com a cidade digital"

Coligação Um novo caminho para Santa Maria

  • 27 páginas
  • 3 propostas (Desenvolvimento econômico, desenvolvimento humano e município digital)


JORGE POZZOBOM (PSDB)

Assessoria

A coligação "Em frente, Santa Maria" com DEM, PTB, PTC e Podemos, com Jorge Pozzobom (PSDB) que concorre à reeleição para prefeito e apresenta Rodrigo Decicmo (PSL) como vice, estrutura o plano de governo em 45 páginas onde constam as cinco frentes do projeto de gestão: saúde; segurança pública; desenvolvimento econômico com geração de emprego e renda; educação, cultura, desenvolvimento e inclusão social; infraestrutura e qualidade urbana. O documento traz propostas com tom de prestação de contas, pontuando com ações já realizadas. A tônica da continuidade do projeto iniciado em 2017, o quantitativo de iniciativas e os valores investidos permeiam o material. A área da saúde é retomada como um das principais do plano de governo do último pleito, com destaque para abertura do Hospital Regional, implantação da Central Telefônica do Samu, informatização dos agendamentos. A proposta de transformar o PA do Patronato em UPA segue apontada como meta. Item do plano 2017-2020, o Centro Integrado de Segurança Pública (Ciosp) aparece como dever cumprido bem como a criação do programa Poupa Tempo. Problemas crônicos e históricos do município, nas áreas ambiental, estrutural e urbanística são exaltados.

"Nosso Projeto de Governo foi norteado pelas ações que estão sendo desenvolvidas nesta gestão e que integram o Plano Plurianual. São diretrizes para dar continuidade ao que já está sendo realizado e transformado em Santa Maria com responsabilidade."

Coligação Em frente, Santa Maria

  • 45 páginas
  • 5 frentes (saúde; segurança pública; desenvolvimento econômico com geração de emprego e renda; educação, cultura, desenvolvimento e inclusão social; infraestrutura e qualidade urbana)


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190