são martinho da serra

Eduardo Leite assina ordem de serviço, e asfaltamento da ERS-516 deve começar semana que vem

Governador garantiu que não faltarão recursos para a pavimentação dos 17,3 quilômetros

Maurício Araujo e Pâmela Rubin Matge

Foto: Renan Mattos (Diário) 

De estrada pedregosa e poeirenta a uma via asfaltada, na ERS-516 cruzarão bem mais que veículos. Para cerca de 3,2 mil pessoas, o caminho aponta para o desenvolvimento econômico de um município e da região, bem como marca o fim de uma espera que já dura pelo menos cinco décadas.

A rodovia, que liga Santa Maria a São Martinho da Serra, deve ser pavimentada. Na tarde desta quinta-feira o governador Eduardo Leite (PSDB) esteve na cidade vizinha, onde assinou a ordem de serviço para o asfaltamento dos 17,3 quilômetros da via. O serviço deve começar já na próxima semana, após o feriado de 7 de Setembro.

Presidente da AM Centro considera que aprovação por privatizar a Corsan 'chegou de cima para baixo'

Ovacionado, o governador e a comitiva foram recebidos pela comunidade. Em pronunciamento, Leite garantiu que o fluxo financeiro está assegurado, e os valores para a obra estão previstos no orçamento do Estado. Os recursos são do Tesouro do Estado, fruto do processo de ajuste fiscal e reformas estruturantes do governo e integram o programa Avançar.

Também serão feitos serviços de terraplanagem, drenagem, pavimentação asfáltica, obras de arte correntes e obras complementares.

- Entendo o ceticismo da população. Ao longo das últimas décadas, o Estado teve suas dificuldades, e acabou frustrando as expectativas. Mas fizemos a lição de casa. Na primeira metade do governo, enfrentamos temas sensíveis, de reformas para dentro da máquina pública e que ajudaram a reduzir as despesas com pessoal. Reformas que foram até antipáticas, como previdência e carreira dos servidores públicos. Mas tudo isso nos ajudou a reduzir a despesa de pessoal. Montamos bem nosso cronograma de investimento. Por isso, só anunciamos recentemente, depois de muito trabalho para organizar esse fluxo financeiro e ter segurança no desembolso. Está assegurado o recurso - afirmou Leite.

O novo trajeto asfáltico implica na qualidade de vida da população, desde o escoamento da safra, o acesso a serviços médicos especializados no Coração do Rio Grande e a diversidade e barateamento de mercadorias de algumas empresas que nem sequer chegavam ao município por conta da estrada de chão batido, até então, com precárias condições de trafegabilidade.

Em entrevista coletiva à imprensa, o chefe do Executivo gaúcho falou sobre outros assuntos, colocando-se como uma terceira via à corrida presidencial - Leite disputará as prévias do PSDB, em novembro, para ser o candidato ao Planalto pelo partido. Ainda, pronunciou-se sobre a privatização da Companha Riograndense de Saneamento (Corsan), rebatendo críticas da AM Centro - que alegou ter faltado diálogo com o prefeitos da região sobre o assunto - e afirmou o compromisso em quitar a dívida do Estado com os hospitais gaúchos até o fim do ano.

VERBA GARANTIDA
Ao CDN Entrevistas, o diretor-geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Luciano Faustino, reiterou que estão garantidos R$ 13,5 milhões, de imediato, para a pavimentação de 8,5 quilômetros da rodovia. Conforme a capacidade técnica da empresa em avançar as etapas, serão aportados mais valores para que o serviço não pare:

- A obra começa agora e não deve parar mais, pois a empresa tem as condições, com recursos garantidos. Vamos concretizar a rodovia e tirar São Martinho da Serra do mapa dos municípios gaúchos que não têm acesso.

Conforme o diretor-geral, dependendo da agilidade da construtora, a conclusão dos serviços deve acontecer até 2023.

REGIÃO
Os prefeitos da região, além dos de Santa Maria e de São Martinho da Serra, Jorge Pozzobom (PSDB) e Robson Trindade (DEM), respectivamente, participaram da solenidade, ressaltando a importância da conquista para o desenvolvimento das cidades. Vereadores dos dois municípios, o deputado estadual Beto Fantinel (MDB) e o secretário de Logística e Transportes, Juvir Costella, também participaram da solenidade.

Trindade destacou a importância da obra para diversos segmentos e mencionou o fato de o município ter grande extensão territorial, voltado à agricultura e à pecuária:

- É um dia muito especial para todos. Ficaremos atentos às movimentações das obras e em relação aos prazos.

Pozzobom celebrou a iniciativa, destacando que a pavimentação é essencial para o desenvolvimento das duas cidades.

- São Martinho se emancipou de Santa Maria em 1992, mas essa grande ligação entre as duas cidades continua e isso implica no nosso desenvolvimento econômico regional.

CLIMA DE COMEMORAÇÃO

Em clima de comemoração, os martinhenses foram para a rua celebrar a ordem de serviço, um dos primeiros passos para ver o trecho asfaltado. Porém, a notícia chega até a comunidade com certo receio e depara com pessoas que, cansadas de esperar as promessas anteriores, preferem não depositar todas as expectativas em mais um anúncio. Mesmo que alguns prefiram segurar a comemoração, a festa tomou conta da Avenida 24 de Janeiro. Não é a primeira vez que o asfalto é alvo de festejo ou manifestações reivindicatórias. Quando uma outra ordem de serviço assinada nos anos 1990 completou 15 anos, o protesto foi com bolo, simbolizando o debut de uma espera que é mais longa que os 17 quilômetros de estrada de chão.

Na quinta-feira, porém, o cenário foi figurado por agricultores, produtores rurais, comerciantes, profissionais do transporte e representantes políticos que movimentaram a cidade com bandeiras, faixas e cartazes pró-asfalto.

Quando o helicóptero pousou, às 15h56min, o governador Eduardo Leite foi aplaudido fortemente pela comunidade. Parado pelas pessoas para um cumprimento ou uma foto, ele levou cerca de 20 minutos para atravessar a rua, do estádio da cidade até o ginásio onde a ordem de serviço foi assinada diante dos munícipes.

IMPACTO

Valdete Venturini Ribeiro, 46 anos, é comerciante e já vislumbra os benefícios e impactos positivos que chegarão junto com o asfalto. Ela explica que algumas mercadorias nem chegam a São Martinho da Serra e as que chegam acabam sofrendo alterações no preço:

- Tenho a lancheria há 19 anos. Tem coisa que é mais cara para vender porque o fornecedor também vende mais caro por não ter acesso asfáltico. Agora, esse asfalto transformará nosso dia a dia e ajudará no desenvolvimento da nossa cidade, na melhoria do deslocamento, no próprio acesso à educação e à saúde. Temos esperança que, desta vez, vai sair.


DÉCADAS DE ESPERA E PROMESSAS

  • O asfaltamento da estrada que liga Santa Maria a São Martinho da Serra é uma demanda antiga da comunidade local. Com asfalto, a via é considerada estratégica para fortalecer a economia regional
  • Os moradores reivindicam a estrada há mais seis décadas. Em 1939, o então secretário e Obras Públicas, Walter Jobim enviou uma carta respondendo pedidos da população, antes de virar governador
  • Em 1998, o governador Antonio Britto prometeu a obra. A empresa Andraus Participações e Empreendimentos venceu a licitação
  • Em 1999, com 5% do trabalho executado, a empresa passou por uma divisão de sócios e solicitou ao Daer a mudança de nome para poder receber as verbas e o licenciamento para obra. Desde então, o empreendimento empacou
  • Em 2010, o governo estadual traçou um plano de asfaltamento de 25 estradas e acessos a municípios gaúchos, incluindo São Martinho da Serra
  • O projeto foi repactuado e o custo atualizado para R$ 12,11 milhões, mas a mudança do nome não aconteceu
  • Em 2011, o governo estadual reiterou o compromisso de retomar obras de asfaltos em 104 vias, uma delas, a ERS-516. Na época, o projeto passou a incluir a localidade de Santa Terezinha (no distrito de Santo Antão) no projeto. Antes, o trecho estava excluído dos planos de asfaltamento
  • A estrada e a falta de asfaltado viraram pauta de muitos protestos entre os moradores, que ainda convivem com a poeira da maior parte do trajeto, que é de terra entre Santa Maria e São Martinho
  • Em junho deste ano, um novo anúncio do governo estadual de asfaltar estradas e concluir acessos a municípios gaúchos, acendeu, novamente, a esperança de ver a ERS-516 asfaltada
  • No dia 9 de junho, Eduardo Leite prometeu um plano de ações para todo o Estado. Na região, além do acesso a São Martinho da Serra, estão outras estradas que também são demandas antigas da comunidade: a ERS-392, que liga Tupanciretã à localidade de Santa Tecla e o acesso a Pinhal Grande, prometido há, pelo menos,11 anos, e a ERS-348, de Ivorá a São João do Polêsine e o acesso a Faxinal do Soturno
  • O plano de ações ainda prevê recuperação de outras estradas. São 12 que passam pela região central do Estado. Outras duas obras devem receber o planejamento no mesmo pacote: os acessos a Jari e Quevedos



fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 

© 2021 NewCo SM - Empresa Jornalistica LTDA


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
atendi[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7188
(55) 3213-7190