segundo turno

Como foi a movimentação nas seções eleitorais em Santa Maria

Durante todo o dia, movimento foi tranquilo

18.398
Foto: Foto: Pedro Piegas (Diário)

Foto: Felipe Backes (Diário)
Manhã foi movimentada, mas sem nenhum problema na Paulo Lauda, maior colégio eleitoral de Santa Maria 

ATUALIZAÇÃO: matéria atualizada às 17h16min em 29 de novembro de 2020

O domingo de votação foi tranquilo e de menor movimento em relação ao primeiro turno em Santa Maria. Antes das 7h, cerca de 100 pessoas formaram fila em frente da Escola Paulo Lauda, no Bairro Tancredo Neves. Mas assim que as portas do maior colégio de eleitoral da cidade foram abertos, os eleitores foram encaminhados para as 19 seções do local e o movimento seguiu tranquilo. Neste endereço, mais de 7,2 mil eleitores são esperados para votar ao longo do dia. 

O aposentado José Roberto da Silva, 69 anos, era o primeiro da fila. Para ele, não foi preciso muito esforço para chegar por volta de 6h30min:

- Sempre levanto cedo mesmo, às 6h.


Assim como a Paulo Lauda, a escola Augusto Ruschi, segundo maior local de votação do município, também teve as primeiras horas de votação com tudo calmo. 

Foto: Felipe Backes (Diário)

O cenário se repetiu nas escolas Duque de Caxias, onde votou Sergio Cechin (PP), João Link Sobrinho e Walter Jobim. O processo de votação foi ágil. Ao contrário do primeiro turno, os eleitores sabiam o local da seção e se dirigiam rapidamente à urna. O processo de votação também foi mais rápido, já que era necessário digitar apenas o número do candidato a prefeito.

Na antiga Reitoria, por volta do meio-dia, não houve formação de filas e o movimento de eleitores era menor do que no primeiro turno.

- Não sabemos se o movimento será maior à tarde ou se o número de abstenções será mais alta do que no primeiro turno, quando registramos em torno de 25% dos votantes das 4 seções - afirmou o administrador do prédio, Rodrigo Gastaldo Rigon.

Na Escola Walter Jobim, no Bairro Itararé, o movimento baixo surpreendeu os fiscais. No primeiro turno, uma enorme fila se formou entre 10h e 11h. Para o segundo turno, os voluntários organizaram um esquema de filas com cadeiras, mas não foi necessário. Em nenhum momento houve aglomeração ou fila pela manhã.

Durante a tarde, o movimento seguiu baixo. Na Escola Professora Margarida Lopes, em Camobi, que é o quarto maior colégio eleitoral da cidade, em algumas seções os eleitores chegavam a formar fila, de seis ou sete pessoas, mas rapidamente se dispersava.

Foto: Pedro Piegas (Diário)
O aposentado Luiz Rogério Friggo Martins, 60 anos, é morador de Camobi e votou na Escola Professora Margarida Lopes

MESÁRIOS AUSENTES
Na Escola Manoel Ribas, o 5º maior colégio eleitoral da cidade, três mesários não compareceram nesta manhã. Para evitar problemas, outros três foram realocados de outros locais de votação. Quem não deixou de ir até o local foi Irena Viana, 71 anos, cabeleireira aposentada. Apesar de ter o direito de não votar, por causa da idade, ela fez questão de participar do segundo turno: 

- Quis participar da escolha do prefeito da cidade. Apesar da pandemia, acho que se tomar todos os cuidados, é seguro votar. Hoje foi bem rápido, em questão de segundos já tinha feito a minha parte - conta. 

Foto: Gabriel Haesbaert (Diário) 

SUPOSTA AGRESSÃO
Pouco antes de terminar o horário de votação, a Brigada Militar atendeu uma ocorrência de uma suposta agressão na escola Augusto Ruschi, no Bairro Nova Santa Marta. Segundo informações dos policiais, o presidente de uma das seções alegou ter sido empurrado e ameaçado por um eleitor, mas quando a guarnição chegou ao local o suspeito não estava mais lá. Uma ocorrência foi registrada na Polícia Federal. 

PROBLEMA NAS URNAS
Das 541 urnas usadas neste domingo na cidade, somente uma apresentou problemas. No final da manhã, um dos equipamentos, que fica na Margarida Lopes, parou de funcionar porque teve um superaquecimento. Entretanto, após o ar-condicionado da sala ser ligado, a máquina voltou a funcionar. Os votos não serão perdidos.

SEM LUZ
No Bairro Chácara das Flores, a Escola Luiza Ungaretti está sem luz nesta manhã. Porém, segundo a Justiça Eleitoral as urnas funcionam com bateria e a votação ocorre normalmente. Ainda segundo a Justiça Eleitoral, a RGE já foi informada para restabelecer o serviço no local. 

FISCALIZAÇÃO 
Agentes de diferentes órgãos de segurança trabalham, desde a noite de sábado, na segurança e fiscalização em casos de crime eleitoral. Pela manhã, houve a denúncia de uma boca de urna em um local de votação na Região Sul. A Polícia Federal foi até o local, mas não encontrou nenhuma irregularidade. Em Pains, também houve uma denúncia que acabou não se confirmando como boca de urna nesta manhã.

BLOQUEIOS NO TRÂNSITO 
O fluxo de veículos será restrito no entorno do Cartório Eleitoral na Avenida Nossa Senhora Medianeira. Está previsto o bloqueio total na avenida, entre as ruas do Acampamento e Dr. Turi. A alteração será das 7h às 19h, mas período pode ser estendido conforme a demanda da Justiça Eleitoral.

Foto: Luiza Oliveira (Diário)


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190