pobreza menstrual

Bolsonaro veta distribuição gratuita de absorventes a estudantes e pessoas pobres

Unicef estima que uma em cada quatro meninas vive em situação de pobreza menstrua

Maurício Araujo

Relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) estima que uma em cada quatro meninas vive em situação de pobreza menstrual. O assunto cada vez mais ganha repercussão devido à relevância do tema. Distribuir gratuitamente absorventes em escolas públicas seria uma política necessária para a promoção da saúde e da higiene de milhões de mulheres. Ontem, no entanto, o presidente Jair Bolsonaro, vetou a distribuição gratuita do item com a justificativa de que o projeto não indicou fonte de recursos orçamentários - a proposta já tinha sido aprovado na Câmara e no Senado.

VÍDEO: o que fazer se perder a carteira de vacinação?

O projeto busca atingir estudantes de baixa renda de escolas públicas, mulheres em situação de rua ou em vulnerabilidade e presidiárias.

Em seu argumento, Bolsonaro destaca que absorventes não constam na lista de medicamentos considerados essenciais e que o projeto não atendia ao princípio de universalidade do Sistema Único de Saúde, pois estipulava beneficiárias específicas. O presidente, dessa forma, por avaliar que o projeto não atenderia a todas, preferiu por nenhuma, mesmo sabendo que quem mais sente os efeitos da pobreza menstrual são mulheres pobres e vulneráveis socialmente.

VÍDEO: Escola Maria Rocha comemora 80 anos de dedicação ao ensino

Agora, cabe ao Congresso Nacional, em até 30 dias, revogar o veto do presidente ou, o que seria um retrocesso, mantê-lo.

LEIA TAMBÉM
'Não dá para deixar de fazer um almoço ou de comprar uma bolacha para as crianças para comprar absorvente'
'Pessoas que não menstruam precisam saber sobre menstruação, por que estão tomando decisões sobre a vida e o corpo das mulheres '

REPERCUSSÃO
No dia 25 de setembro, o Diário publicou a reportagem "A mulheres e meninas, direitos básicos, respeito e mais informação". Na edição, a repórter especial Pâmela Rubin Matge explicou didaticamente sobre o que é pobreza menstrual e como a falta de uma política pública adequada interfere e afeta a vida de milhares de meninas e mulheres. Por meio de uma rede social, a deputada estadual Luciana Genro (PSol) elogiou a reportagem, e citou que já apresentou dois projetos de lei para combater este problema no Rio Grande do Sul. 


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 

© 2021 NewCo SM - Empresa Jornalistica LTDA


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7188
(55) 3213-7190