escola de sargentos

A vinda da ESA para a cidade que foi feita sob medida para os militares

Com o terceiro maior contingente de homens e mulheres do Exército, Santa Maria iniciou a vocação da defesa no século 20

18.398
Foto: Foto: Anselmo Cunha (Especial)


Foto: Anselmo Cunha (Especial)

Vista de fora, Santa Maria, no centro geográfico do Rio Grande do Sul, pode ser considerada uma cidade feita sob medida por militares. Fora do centro das capitais, o maior município do centro do Estado conta com números que reforçam a vocação voltada à defesa. Com 9,5 mil homens e mulheres e mais de duas dezenas de organizações militares, a cidade é estratégica ao Exército Brasileiro - uma vez que tem o terceiro maior contingente de militares do país. Para além dos números, a história de Santa Maria, no começo do século 20, remonta a estrutura militar. Desde sempre, os ciclos sociais e econômicos do município foram forjados sob a égide dos militares.

A vinda da ESA e o ganho imediato à cidade em meio a uma grave crise

São com essas credenciais, e tantas outras que a reportagem trará (nas páginas 17 e 18), que o município mostra-se preparado e cacifado para ser a sede da Escola de Formação de Sargentos das Armas (ESA), que há mais de 70 anos esteve situada em Três Corações (MG) e que, em breve, estará de mudança. Desde que um movimento do próprio Exército foi iniciado, ainda em 2020, em busca de um novo município-sede, Santa Maria entrou no radar dos militares.

No páreo por um investimento de R$ 1,2 bilhão, Santa Maria é a única cidade do Rio Grande do Sul nesta peleia que, conta ainda, com Ponta Grossa (PR) e com Recife (PE). A efeito de comparação, a projeção orçamentária da prefeitura, para este ano, é de uma receita de R$ 855 milhões. O número, a ser investido em um período de até cinco anos pelo Ministério da Defesa, é muito similar com o orçamento da maior instituição da cidade: a UFSM. A sexagenária instituição de Ensino Superior tem, em média, um orçamento de R$ 1,1 bilhão.

Regras podem congelar salários de servidores por até três anos

DATA PARA O ANÚNCIO
Em menos de 30 dias, Santa Maria terá, novamente, a vinda da comitiva militar ao município. Os setores econômicos e produtivos olham o calendário com otimismo duplo para o mês de maio, que é quando o Exército vai anunciar a cidade escolhida para receber a ESA.
Para a economia local, ao observar tanto a busca por receita (por parte do poder público) quanto para as pretensões do empresariado local, a garantia da Escola de Sargentos em solo santa-mariense seria um presente, que beneficiaria, aliás, toda a cadeia produtiva da cidade.

STF mantém a decisão de prender o deputado Daniel Silveira

O QUE ESPERAR
Dentro das exigências que são colocadas pelos militares, Santa Maria preenche todos os requisitos técnicos. Ou seja, existência de Colégio Militar e de Hospital Geral de Santa Maria, além do Hotel de Trânsito, o que são questões caras e que interessam à "família militar". A estrutura já está posta e à espera dos 2,2 mil alunos da ESA. O entendimento é de um alto integrante do Exército, que tem acompanhado a questão em torno da definição do endereço e que vê na cidade gaúcha "a escolha mais acertada":

- Não é só a questão de preencher esse ou aquele item, vejo que é bem mais que isso. Temos os relatos de militares, muitos hoje em Brasília e em postos-chave, que sabem que Santa Maria é uma cidade com qualidade de vida. Não vejo, hoje, como Santa Maria perder para outras cidades.

Prefeitura vai comprar 2 mil testes para Covid

Com investimentos da Fundação Habitacional do Exército (FHE)/Poupex, os militares têm a garantia de imóveis e, ainda, uma pujante construção civil local que se mostra aquecida e pronta para atender a demanda, de acordo com o próprio Sindicato da Construção Civil.
O Diário traz, nesta e nas próximas páginas, o que a cidade oferece, bem como suporte, para os alunos da ESA. Na reportagem especial da última edição de final de semana do Diário, os entrevistados - todos parte da família militar - revelaram os aspectos priorizados no momento de escolher Santa Maria para criar raízes: estrutura educacional, moradia, saúde e segurança.

Hospital Geral de Santa Maria (HGeSM)

  • O público, em média, gira em torno de aproximadamente 45 mil a 50 mil pessoas
  • O número abrange militares e dependentes de Santa Maria e de municípios da regiões Central e Fronteira-Oeste
  • Além de Santa Maria, as cidades atendidas são Cruz Alta, Rosário do Sul, São Gabriel, Santana do Livramento, Dom Pedrito, Bagé, Quaraí, Alegrete, Uruguaiana, Itaqui, São Luiz Gonzaga, Santiago, Ijuí, Cruz Alta, Santo Ângelo e Santa Rosa
  • Totaliza um apoio a 17 guarnições do Exército no Rio Grande do Sul
  • Já o Pronto-Atendimento (PA 24 horas) recebe, por mês, cerca de 3 mil pessoas, o que dá uma média de 100 atendimentos diários
  • Também há um ambulatório de especialidades, que trata aproximadamente 5 mil pacientes por mês
  • Recentemente, a instituição passou por um processo de modernização e reestruturação física, o que proporcionou a abertura do Centro de Terapia Intensiva (CTI) e das unidades de Oncologia e Neurologia

Vila Militar

  • Duas vilas militares: na Avenida Borges de Medeiros e no Edifício Marechal Gustavo Brown (na esquina das ruas Appel com a Dr. Bozano)
  • São, ao todo, 142 unidades habitacionais
  • Deste total, 74 apartamentos e 68 casas. Sendo fixado prazo de 4 anos para permanência no imóvel
  • Há fila de espera para uma unidade habitacional
  • O imóvel fica disponível para oficiais, subtenentes e sargentos

Referências

  • Estão em Santa Maria dois centros considerados de excelência em treinamento e simulações de combate
  • Um deles é o Centro de Instrução de Blindados General Walter Pires, que tem por missão especializar militares das Forças Armadas Nacionais e, ainda, de nações amigas na operação de meios blindados e mecanizados
  • O outro é o Centro de Adestramento-Sul, que contribui no adestramento de tropas de qualquer natureza, preferencialmente blindadas e mecanizadas, para as operações consideradas de amplo espectro, por meio da imitação do combate, com ênfase na utilização de meios de simulação

Colégio Militar

  • São, atualmente, 907 alunos e 80 professores
  • A unidade oferta educação do 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental, e do 1º ao 3º anos do Ensino Médio
  • A unidade educacional disponibiliza ensino de alta qualidade e é alinhada aos valores do Exército Brasileiro
  • A exemplo de outros colégios militares do país, a unidade de Santa Maria tem tido, ano após ano, os melhores resultados no Enem e no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)

Blindados

  • O Rio Grande do Sul conta com a maior concentração de blindados do país
  • No caso específico de Santa Maria, o município conta com o que há de mais moderno no quesito de viaturas blindadas
  • Ou seja, todos os modelos de blindados, sejam de transporte de tropas, viaturas de reconhecimento e de combate, estão em Santa Maria


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190