segurança

Cerca de 200 armas foram apreendidas em oito meses em Santa Maria

Balanço leva em conta meses de janeiro a agosto de 2020. O número representa armas de fogo e facas

Fabricio Minussi

Foto: Brigada Militar (Divulgação)
Mais de 90% das armas apreendidas têm relação com o tráfico de droga, segundo comando do 1º RPMon

Os gestores da segurança pública são unânimes em afirmar que a percepção de segurança do cidadão aumenta à medida em que a polícia consegue tirar de circulação armas irregulares que estão em poder de criminosos e seriam utilizadas em ações como roubos e assaltos. Um dos órgãos responsáveis pela segurança na cidade, a Brigada Militar, já retirou, de janeiro e agosto deste ano, um total de 198 armas de circulação. 

VÍDEO: Brigada Militar distribui presentes para crianças da Escola Nossa Senhora da Conceição

Segundo o levantamento dos dados do Sistema Avante de Consultas Integradas da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), de janeiro a agosto de 2020, as ações dos esquadrões do 1º Regimento de Polícia Montada (1º RPMon) apreenderam 86 armas de fogo e 112 armas brancas (facas, facões e outros objetos, que não armas de fogo, que possam ferir uma pessoa) , um total de 198 armas fora de circulação.

No mesmo período, em 2019, os números são um pouco mais expressivos. Conforma aponta o Sistema Avante, foram 97 armas de fogo e 164 armas brancas apreendidas, somando 261 armas fora de circulação.



Foto: Brigada Militar (Divulgação)

QUASE UMA AMA POR DIA
A estatística representa que a polícia, nos primeiros oito meses deste ano, tirou quase uma arma por dia das ruas de Santa Maria. Para o comandante do 1º RPMon, tenente-coronel Cleberson Braida Bastianello, as operações de desarmamento são cada vez mais necessárias:

- Com base nos números, podemos afirmar que: cada arma que tiramos de circulação representa uma vida que estamos salvando. E uma vida, para nós que trabalhamos na linha de frente da segurança pública, significa muito.

Região receberá 127 fuzis e 178 coletes para equipes da BM

Bastianello salienta, também, que a grande maioria dos casos de armas apreendidas está relacionada ao comércio de drogas:

- Tudo gira em torno do tráfico. As drogas estão em tudo ou em quase tudo. Mais de 90% dos casos envolvendo apreensões de armas envolve drogas ou usuários de entorpecentes. Mas o fato é esse. Esse ano, no que diz respeito a questão de pandemia, estamos num momento diferente. Estamos intensificando essas operações de desarmamento. Estamos cada vez mais focados em tirar arma da mão do criminoso.

Foto: Fabricio Minussi (Bei) 
Tenente-coronel Cléberson Braida Bastianello, comandante do 1º Regimento de Polícia Montada (1º RPMon)

PARA ONDE VÃO AS ARMAS
Cada arma apreendida tem a sua origem verificada. Dependendo do tipo de arma e do histórico dela, segundo o delegado regional de Polícia Civil, Sandro Meinerz, existe um caminho a ser percorrido.

- As armas brancas apreendidas em abordagens da polícia têm destino certo. Se ela não está relacionada a outro crime, é feito um termo circunstanciado (TC). Depois, ela vai para o quartel da BM, onde é feita toda a documentação para que essa arma seja entregue ao Fórum. Já a arma de fogo, após apreendida, vai diretamente para a delegacia de polícia. A maioria das armas apreendidas está com a numeração raspada, pois são objetos de furto ou roubo. Após a conclusão do inquérito relacionado à apreensão, ela também é colocada à disposição da Justiça.

Foto: Brigada Militar (Divulgação)

AS APREENSÕES
A tecnologia tem sido aliada na otimização das ações de segurança pública e de enfrentamento à criminalidade. Nesse sentido, o 1º RPMon conta com uma ferramenta de georreferenciamento, que reúne todas as informações que auxiliam na identificação, por exemplo, dos locais onde um determinado tipo de ocorrência ocorre com mais frequência.

- Essa ferramenta tem nos auxiliado muito no planejamento das nossas ações e nos ajudam a identificar, melhor, onde, por exemplo, acontecem mais casos de furto, roubo e até de apreensão de armas - disse o comandante do 1º RPMon.

Capitão da BM fala sobre as ações de segurança no Bairro Camobi

NO MAPA
No mapa desenhado pelo georreferenciamento da BM (confira, abaixo), duas regiões de Santa Maria chamam a atenção: o Centro, seguido pelas áreas Norte e Oeste concentram a maior quantidade de apreensões de armas nos primeiros oito meses do ano.

- São regiões de grande circulação de pessoas e comércio forte. Por isso, indivíduos de outras regiões acabam migrando para esses locais com o objetivo de promover ações criminosas. Por isso, estamos cada vez mais apreendendo arma irregulares e tirando essas pessoas de circulação. Cabe reforçar que 90% dessas armas apreendidas não têm procedência comprovada - explicou o comandante do 1º RPMon.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190