investigação

Após relatos de ex-alunas na internet, MP denuncia professor de Santa Maria

Fatos teriam acontecido entre 2013 e 2019, e investigação começou após divulgação nas redes sociais

18.398

O Ministério Público denunciou o professor Vinícius Pompeo por estupro de vulnerável e importunação ofensiva ao pudor. Ele já havia sido indiciado pelos mesmos crimes após investigação conduzida pela Polícia Civil em agosto. Os casos vieram à tona depois que uma ex-aluna do professor usou as redes sociais para relatar situações assédio e recebeu relatos de outras meninas que diziam ter passado pela mesma coisa. As vítimas relataram que o professor dava beijos e abraços e tocava em partes íntimas do corpo delas. Os crimes investigados teriam acontecido entre 2013 e 2019, segundo a Polícia Civil, em diferentes escolas e cursinhos pré-vestibulares de Santa Maria

O caso já está na 4ª Vara Criminal de Santa Maria. De acordo com o juiz titular da vara, Vinicius Borba Paz Leão, o conteúdo será analisado ainda nesta semana. A partir da análise do juiz, se a denúncia for aceita é aberto um processo e o professor pode virar réu.

Presos por furto de luvas vão responder em liberdade

O indiciamento apontou quatro vítimas. Duas foram descritas como vítimas de estupro de vulnerável. Nestes dois casos, o crime se enquadra em estupro por envolver vítimas menores de 14 anos na época dos fatos. O professor deve responder ainda por importunação a uma outra menina e por ato não divulgado a uma quarta vítima, que, por ser adolescente, teve o sigilo do fato preservado. As demais foram vítimas de contravenções, já não mais tipificadas como crimes.

O Diário tentou contato com Vinícius Pompeo. Por telefone, o irmão dele disse que a família ainda não teve acesso à denúncia e que por isso o professor não irá se manifestar no momento.

A INVESTIGAÇÃO
A delegada Roberta Trevisan, que conduziu as investigações, disse que a Polícia Civil ficou sabendo dos fatos a partir do compartilhamento de vídeos pela ex-aluna e, a partir daí, começou a apurar os fatos. De acordo com a delegada, foram ouvidas mais de 50 pessoas e 21 relataram que sofreram algum tipo de violência sexual. Ainda segundo ela, nos depoimentos, não houve menção de relações sexuais, portanto as imputações foram por toques.

Em seu depoimento à polícia, o professor negou as acusações e disse que não tinha nenhuma conduta que não fosse ética.

Em caso de condenação, a pena prevista para o crime de estupro de vulnerável varia de oito a 15 anos de reclusão. Já a importunação sexual está prevista no artigo 215a como a prática de ato libidinoso sem consentimento para satisfação própria ou de terceiros com pena de um a cinco anos de reclusão.

COMO DENUNCIAR

  • Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente - Rua Serafim Valandro, 360
  • Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA) com plantão 24h - Rua dos Andradas, 1397
  • Telefone: (55) 3221-0459
  • WhatsApp: (55) 98404-9140


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190