contatos Assine
obituário

Morreu o pedreiro Nelson de Oliveira

02 Março 2018 12:00:00

Uma vida de muito trabalho e orgulho da profissão

Fotos: Arquivo Pessoal

Nascido e criado em Santa Maria, o pedreiro Nelson de Oliveira, 51 anos, criou os filhos Franciele, 34, Giliane, 32, e Alex, 30, na Vila Oliveira, no Bairro Passo D'Areia. Com o falecimento prematuro da primeira esposa, Fatima Catarina da Silva Ramos, ele educou os filhos sozinho. Ela faleceu com 37 anos, quando eles tinham 15 anos de casados. 

Com o passar dos anos, Oliveira conheceu Fatima Py Taschetto. Juntos há 14 anos, ela acompanhou o crescimento dos enteados e era companheira inseparável do marido.

- Ele era muito amável comigo e com todos - relembra Fatima.

Alex conta que o pai não gostava de ficar parado. Enquanto preparava o churrasco de domingo, fazia reparos em casa e ouvia músicas gauchescas.

- Embora não frequentasse Centro de Tradições Gaúchas (CTG), ele era bem tradicionalista. Todos os anos, convidava os filhos e os netos para assistir ao desfile de 20 de setembro. As crianças adoravam estar com ele, que fazia piadas e inventava brincadeiras a todo momento - diz.

Oliveira orgulhava-se em reunir os filhos para contar histórias das obras que construía. Era comum ainda que enfatizasse que aprendeu o ofício com o pai e os irmãos mais velhos. Quando criança, frequentemente Alex ajudava o pai nas empreitadas.

Alex afirma que o pai sempre teve ótima saúde e disposição. Contar piadas, fazer risoto e receber os amigos eram suas atividades preferidas. De manhãzinha, o mate era o companheiro certo antes de ele sair para trabalhar. Ao final do dia, a cuia era novamente sua companhia, desta vez, para relaxar.

- Os patrões do pai tinham muita confiança nele. Era o primeiro a chegar e iniciar o trabalho do dia. Com 30 anos de profissão, era reconhecido como um excelente profissional - afirma Alex.

Aos finais de semana, Oliveira e Alex costumavam ir para um balneário em São Martinho da Serra. Os dois também eram companheiros de acampamento e pescarias no distrito de São Valentim, na casa de uma familiar de Oliveira. Outra grande paixão do pedreiro eram suas duas cachorras de estimação: a poodle Belinha e a maltês Mel. As duas eram grandes companheiras dele e o acompanhavam em todos os lugares da casa. 

Conforme o filho, Oliveira era calmo e estava sempre alegre. Para ele, fica a lembrança de uma pessoa que não gostava de brigas e era exemplo de dignidade.

Oliveira faleceu em 31 de janeiro no Hospital Universitário de Santa Maria (Husm). Ele foi sepultado no dia seguinte no Cemitério Jardim da Saudade, no Bairro Caturrita. A família preferiu não divulgar as causas do falecimento.

Morreu serviços gerais Wilson da Silva Vieira

OUTROS FALECIMENTOS EM SANTA MARIA E REGIÃO  

Funerária Cauzzo

13/02

Atila Margarida Keller Graciolli, aos 69 anos, sepultada no Cemitério Municipal, em São Pedro do Sul

16/02

Mario Vicente Poerschke, aos 66 anos, sepultado no Cemitério de São Martinho, em São Martinho da Serra

17/02

Carmem Righe Lafoucade, aos 59 anos, sepultada no Cemitério Sarandi, em Santa Maria

19/02

Adir Terezinha Depra Colusso, aos 65 anos, sepultada no Cemitério São Marcos, no distrito de Arroio Grande, em Santa Maria

20/02

Tania Pires Martins, aos 65 anos, sepultada no Crematório Dom José, em Santa Rosa

Algenny Lopes Garcia, aos 86 anos, sepultada no Cemitério Santa Rita, em Santa Maria

22/02

Valdir Ferreira Alves, aos 62 anos, foi sepultado no Cemitério Ecumênico Municipal, em Santa Maria

As informações sobre falecimentos podem ser enviadas para natalia.zuliani@diariosm.com.br ou pelo telefone (55) 3213-7122

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249