alagamentos

VÍDEOS: Defesa Civil atendeu mais de 30 ocorrências relacionadas à chuva em Santa Maria

Ao longo desta sexta, órgão vai percorrer 14 pontos para fazer vistorias

18.398

Foto: Anselmo Cunha (Diário)
No Bairro Passo D'Areia, uma cratera se abriu

ATUALIZADA: matéria atualizada às 15h40min em 29 de janeiro de 2021

Os mais de 70 milímetros de chuva que caiu em apenas duas horas, na tarde desta quinta-feira, deixaram estragos por Santa Maria. De acordo com a prefeitura, foram 36 residências afetadas com alagamentos, sendo cerca de 145 pessoas atingidas e uma gestante que foi realocada. Já foram entregues 55 metros de lonas. 

FOTOS + VÍDEO: leitores mostram alagamentos pela cidade

Ao longo desta sexta-feira, o órgão vai percorrer pelo menos 14 pontos que registraram alagamentos, deslizamentos de terra ou algum tipo de transtorno. Na quinta, uma reunião emergencial ocorreu no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) para definir e organizar as frentes de atendimento. Nesta sexta, o prefeito Jorge Pozzobom (PSDB) e equipes das secretarias de Infraestrutura e Serviços Públicos e de Estruturação e Regulação Urbana vão contabilizar os estragos em vias públicas e obras em andamento e definir as estratégias para resolver as situações emergenciais.

Conforme a prefeitura, os pontos mais críticos devido a alagamentos foram registrados no Bairro Jóquei Clube, na Rua Cláudio Amândio; no Bairro Noal, nas ruas Bege e G; e no Bairro Divina Providência e na Vila Brenner.

No Bairro Passo D'Areia, uma cratera (foto acima) se abriu após um deslizamento de terra, na esquina das ruas Coronel Valença e Antonio João. O local foi isolado pela Defesa Civil. Conforme moradores, o buraco já existia, mas aumentou na quinta-feira, e agora ameaça o pátio e a residência de Patrícia Rosa, 46 anos. A área fica ao lado do Arroio Cadena e do canteiro de obras da Perimetral Dom Ivo Lorscheiter. 

- Com o volume de chuva, o Cadena subiu bastante, o que é normal, e a gente tem essa área em obras, que começaram a sete, oito meses. E aqui desce muita água que vem da rua. Eu ouvi um barulho de terra, o chão tremeu. Quando saí, isso tudo estava tomado por água, a rua tinha vindo abaixo, o lado da minha casa tinha descido e o fundo da casa da vizinha estava sem sustentação - conta Patrícia.


Foto: Anselmo Cunha (Diário)

Com o aumento do buraco, parte da rua foi interditada e um poste com fiação elétrica corre o risco de ser engolido pela cratera. Durante a manhã, representantes da empresa que realiza a obra da perimetral estiveram no local para avaliar o problema. Uma equipe da Defesa Civil também faria uma vistoria.

Conforme a prefeitura, não há necessidade de retirada de moradores do local. Por e-mail, o Executivo informou que pediu, como medida de emergência, celeridade para a empresa responsável pela obra da Perimetral, a Sul Cava, para amenizar os riscos. A empresa trabalha na colocação de pedras para conter o deslizamento e, após, irá executar o serviço de drenagem pluvial. Conforme a prefeitura, o surgimento do buraco "tem relação com a obra da perimetral porque, no final da Rua Coronel Valença, há as saídas da drenagem de todo o Bairro Passo D'Areia". A drenagem pluvial que dará vazão a essa água até o Arroio Cadena está no projeto da Perimetral. Por isso, foi realizado o desassoreamento no local que estava obstruindo a saída de água do bairro. Para não ocorrerem inundações, a empresa já havia feito o serviço no local, mas, em decorrência da chuva intensa na quinta-feira, o aguaceiro lavou toda a via, que é formada de depósito sedimentar em areia. No mesmo local, a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) já foi informada a respeito de uma rede de esgoto cloacal que precisa ser ampliada. Assim, a Prefeitura poderá instalar a tubulação da drenagem pluvial.

Outros pontos também tiveram problemas. De acordo com o Executivo, um buraco de grande proporção foi aberto na Rua Oscar Henrique Zappe, no Bairro Itararé. O problema é recorrente, pelo menos, desde 2019. Conforme a prefeitura, a empresa Continental, responsável pela obra de drenagem que havia sido realizada no local, adotará as medidas necessárias para o conserto da rede pluvial. O trânsito está em meia pista. Na Rua Conde de Porto Alegre, no Centro, em frente à Escola Estadual de Ensino Médio Professora Maria Rocha, o solo cedeu próximo ao meio fio por deslocamento da rede pluvial. O local foi vistoriado e sinalizado com cone e cavalete. Há também registro de alagamento no loteamento Madre Paulina, no Bairro Nossa Senhora Medianeira. No Beco da Tela, no Bairro João Goulart, um bueiro se rompeu.

Um pavilhão desabou na manhã de sexta-feira na Avenida Medianeira. Entretanto, não é possível dizer que há uma relação direta do fato com as fortes chuvas das últimas horas. Quem precisar registrar alguma ocorrência relacionada a chuva ou pedir ajuda pode acionar a Defesa Civil pelo telefone 153, o Corpo de Bombeiros pelo 193 ou para as equipes da prefeitura pelos Whatsapps (55) 99217-8122, (55) 99167-8452 e (55) 99167-8452.

A Defesa Civil também aceita doações para auxiliar os atingidos pela chuva. Podem ser doados roupas, alimentos e materiais de construção. As doações devem ser encaminhadas para a sede do órgão, na Avenida Pedro Cezar Saccol, 605 (eixo secundário 8), no Parque Industrial e Tecnológico de Santa Maria, ao lado do Tecnoparque.

* Com informações da Superintendência de Comunicação da prefeitura


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 

© 2021 NewCo SM - Empresa Jornalistica LTDA


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7188
(55) 3213-7190