estradas da região

VÍDEO: rodovias tiveram menos acidentes graves, mas mais mortes neste ano

Levantamento feito com Batalhão Rodoviário da Brigada Militar e Polícia Rodoviária Federal compara o acumulado de acidentes de janeiro a julho na região

18.398
Foto: Foto: Renan Mattos (Diário)

Foto: Renan Mattos (Diário)

A Região Central registrou queda de 24% no número de acidentes com feridos na comparação entre o primeiro semestre de 2020 e o mesmo período de 2019. O número de acidentes com mortes, contudo, aumentou de 16 para 20 no mesmo intervalo. O aumento nos óbitos é de 25%.

Junto há 60 anos, casal morre por Covid-19 no mesmo dia em São Gabriel



RODOVIAS ESTADUAIS
Entretanto, ao olhar apenas para as rodovias estaduais, os dois dados apresentaram queda. No primeiro semestre de 2019, foram 105 acidentes com feridos, 12 a mais que os 93 do período em 2020. Isso representa uma queda de 22%. Os acidentes com morte tiveram redução ainda maior. De oito, foram para cinco, o que indica queda de 38%.

O comandante da 3ª Companhia do Batalhão Rodoviário da Brigada Militar, capitão Gustavo Dubou, atribui os números à otimização do trabalho de monitoramento. Segundo Dubou, os pontos considerados mais críticos, ganham mais atenção, principalmente com a retomada do fluxo de veículos, que aconteceu a partir de maio.

- No início da pandemia, sim, tivemos menos acidentes pelo fluxo. Mas agora já está normalizado. O que buscamos é atuar mais direcionados ao problema, onde sabemos que são os pontos mais críticos - conta.

Trabalhadores dos Correios de Santa Maria aderem à greve nacional

O ponto da região para o BRBM que mais causa preocupação é a RSC-287. O motivo é que a rodovia é, entre as estaduais, a que mais tem maior fluxo já que liga o interior à Capital. Nesta e em outras rodovias, o principal trabalho de prevenção é o monitoramento da velocidade dos motoristas.

- Muitos acidentes não podemos prever, porque o número que temos não é grande para criar padrões exatos. Mas o trabalho de verificação de velocidade é importante, principalmente, porque uma coisa é um acidente de um veículo a 80 km/h, outra bem diferente é a 140 km/h - explica Dubou.

Foto: Renan Mattos (Diário)

RODOVIAS FEDERAIS
Nas rodovias federais, o número de acidentes com mortes aumento na comparação entre os períodos. Foram de oito para 15, em um aumento de 87%. O número de acidentes com feridos, contudo, reduziu. Foram de 173 para 119, queda de 32%.

O chefe de operações da delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Santa Maria, Daniel Pozzobon, acredita que a diferença entre os períodos se explica pelos acidentes de 2020 terem mais gravidade.

- A PRF faz o esforço de monitorar locais e horários estratégicos, mas tem casos que não conseguimos prever. Tivemos menos acidentes, mas mais mortes pela gravidade dos acidentes que levaram a óbitos - fala.

Nas rodovias federais, é nítido, segundo o agente, que o fluxo ainda está longe do normal. A anormalidade se dá, principalmente no perímetro urbano.

- No perímetro rural, está mais próximo do normal, mas, no perímetro urbano, ainda está bem longe. Muito pelas universidades estarem sem aulas presenciais. Quando voltar, pode ser que normalize - avalia Pozzobon.

PRIMEIROS MESES DE ISOLAMENTO
Em março, no primeiro mês de isolamento, os acidentes graves chegaram a ter queda de 39% em relação ao mesmo mês do ano passado. O comportamento dos dados foi semelhante ao acumulado do primeiro semestre: acidentes graves caíram, mas mortes subiram. Na época, as autoridades de segurança das rodovias atribuíram a queda dos acidentes ao menor número de veículos circulando. Com a pista mais livre, entretanto, motoristas imprimiam maior velocidade. Desse modo, foram mais acidentes fatais.

Já em abril, no segundo mês de isolamento, número de acidentes e de mortes apresentaram queda em relação ao mesmo mês de 2019. Nas rodovias estaduais, o BRBM contou com a convocação de 100% do efetivo para reforçar pontos com histórico de mais ocorrências. Nas rodovias federais, o fluxo se manteve normalizado pela circulação de veículos de carga, o que impediu a ocorrência mais intensa de acidentes graves devido a infrações de velocidade, já que não foi comum encontrar a pista "mais livre".

*A área de cobertura do Batalhão Rodoviário da BM e da 9ª Delegacia da PRF não cobre todas as cidades da área de cobertura do Diário. O Batalhão, por por meio do Grupo Rodoviário de Santa Maria atua de Júlio de Castilhos a Vila Nova do Sul e de Toropi a Restinga Sêca. Já a 9ª Delegacia da PRF atua de Júlio de Castilhos a Caçapava do Sul e de Mata a Cachoeira do Sul


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190