de volta para casa!

VÍDEO: primeiro paciente com Covid-19 em Santiago deixa o hospital após 63 dias

Caminhoneiro João Ravalha contraiu o vírus em Manaus no final de abril

18.398

Fotos: Reprodução

Depois de 63 dias de hospitalização após ter contraído a Covid-19, o santiaguense João Ravalha, 65 anos, recebeu alta na última segunda-feira. Com um quadro de saúde grave, ele precisou até mesmo de ajuda para respirar e ficou entubado por 35 dias no Hospital de Caridade de Santiago. 

VÍDEO: após 60 dias internada por Covid-19, idosa deixa o Husm

O momento da alta foi de emoção para ele, sua família e toda a equipe médica. Confira as imagens: 


Ravalha, que é caminhoneiro, estava há quase cinco meses longe de casa quando começou a apresentar sintomas de resfriado. Ele estava em Manaus, no Amazonas, e não conseguia atendimento médico. Por isso, voltou de avião para o Rio Grande do Sul e chegou em Santiago já com sintomas de Covid-19. Até mesmo seu aniversário, no dia 6 de junho, teve que ser comemorado dentro da instituição. 

Conforme o filho dele, Leonardo Ravalha, o prognóstico era ruim e o começo do tratamento não trazia boas perspectivas:

- Nem os médicos acreditavam na recuperação dele. O caso dele era extremamente grave, os primeiros dias eram só de notícias ruins, mas depois do oitavo ou décimo a gente começou a ter notícias de que ele estava reagindo. Mas ainda ficamos com aquele aperto no coração, porque a gente não tinha certeza de nada, estávamos em isolamento. Agora, faz alguns dias que a gente teve a plena certeza da recuperação dele e começamos a ter aquele sentimento de alegria, alívio e esperança renovada - explica Leonardo

Lauduz distribui doações em lares de idosos de Santa Maria

Nenhum dos membros da família, nem mesmo Leonardo, que trouxe o pai de carro, do aeroporto de Porto Alegre até Santiago, testou positivo para o coronavírus. Mas pelo menos dois membros da equipe do Grupo Hospitalar Santiago, incluindo um médico, foram infectados. Por isso, o agradecimento pelo atendimento recebido é ainda maior:

- Sem palavras para poder explicar o atendimento. Como eu deixei ele no hospital, ele já foi internado e, logo após, entubado. Então eu não tive mais contato nenhum, só por notícias que nos mandavam. Mas ali a gente sabe que os médicos fizeram de tudo, todo o possível, para que tivéssemos essa benção que foi a recuperação dele - agradece o filho. 

Para a médica Ana Paula Nicola Portela, que tratou o paciente na CTI, poder ver que o paciente venceu a doença só traz alegria e forças para continuar:

- Dois dias depois que ele chegou no hospital precisou ir para a CTI. Eu estava de plantão naquele dia e levei ele. Foi bem difícil, mas ele se mostrou guerreiro desde o início, ele queria lutar pela sua vida. Tanto nós, os médicos, quanto a equipe de enfermagem estávamos bem empenhados. Cada dia, cada pequena evolução que ele tinha era contado como uma vitória. Quando conseguimos dar alta da CTI a ele, foi um momento de muita alegria, porque a gente viu que consegue vencer essa doença - comenta Ana Paula. 

Segundo a médica, para chegar a um resultado positivo como esse, é preciso de união entre toda a comunidade. 

- É um trabalho que tem que ser feito com muita união não só dos profissionais com o paciente, mas precisamos de ajuda de toda a comunidade. Se todos se unirem e seguirem as normas, como uma boa higiene, o uso de máscara e só sair se for preciso, é dessa forma que vamos conseguir vencer o coronavírus - completa Ana Paula. 

Mesmo ainda precisando se recuperar completamente, Ravalha já espera ansioso para voltar a ativa assim que possível. 

 - Ele ainda está com uma certa dificuldade de caminhar, e uma das maiores preocupações dele é conseguir movimentar os pés. A vontade da família é que ele não volte, mas a gente vê que a vontade dele já é de retornar para as estradas - conta Leonardo.

Planos de Saúde deverão cobrir teste que detecta anticorpos da Covid-19

PROFISSIONAIS CONTAMINADOS
Conforme o diretor do Grupo Hospitalar, Ruderson Mesquita, o estado do médico Maurício de Vargas Soares, que acompanhou grande parte do tratamento do paciente João Ravalha e se contaminou com o coronavírus, também foi gravíssimo.  

- Ele estava na CTI e conseguiu sair ontem, mas segue internado. Foram cerca de 15 dias no CTI - conta.

Pelo menos outros dois médicos - um assintomático - e enfermeiros também testaram positivo para a Covid-19 ao longo da pandemia, mas não tiveram agravamentos de saúde. 

*Colaboraram Chaiane Appelt e Victoria Debortoli


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190