dia do autismo

VÍDEO: diagnóstico precoce é a chave para o acompanhamento de crianças autistas

Os sinais podem ser observados ainda nos primeiros anos. Entre eles estão dificuldades na comunicação, interação e comportamento

Foto: Renan Mattos (Diário)
Daiane Velasquez acompanha o filho, Ricardo, nas atividades

Hoje é o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. A data foi definida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2007. Conforme a diretora da clínica Mundo Novo, a educadora especial e psicopedagoga Cristiane Kubaski, o Transtorno do Espectro de Autismo (TEA), trata-se de um transtorno de neurodesenvolvimento que causa prejuízo na comunicação, interação e comportamento:

- Algumas das características do autismo são a dificuldade em brincar, compartilhar e interagir.

Mercados abrem pela manhã na Sexta-feira Santa

A professora Daiane Velasquez, 40 anos, descobriu que o filho Ricardo, 8, era autista quando ele tinha dois anos e meio de idade. No entanto, o diagnóstico foi confirmado quando ele já tinha 4. Hoje, ele é acompanhado por psicólogo, fonoaudiólogo e por um educador especial:

- Ele não falava, fazia poucos sons, não olhava no olho e não compreendia o significado das palavras e dos gestos. Se dizíamos que, na geladeira, tinha um suco. Ele não entendia, mas, quando queria, sinalizava. Depois, escrevia, mas não falava.

COMPORTAMENTO

Segundo Cristiane, o autismo não é uma doença. Ele pode ser percebido por atitudes comportamentais e não por características físicas, como a Síndrome de Down. Em função disso, uma das campanhas do Mundo Novo se chama "O autismo não tem cara".

- É preciso ser ao comportamento da criança, visto que o diagnóstico precoce ajuda muito no acompanhamento - diz ela.

Fiocruz recomenda Páscoa em casa para prevenir Covid-19

A psicopedagoga acrescenta que o autista precisa ser avaliado por educadores especiais, fonoaudiólogos, psicólogos, fisioterapeutas, psiquiatras e neurologistas, ou seja, por profissionais que podem dar o diagnóstico e medicação adequados.

Ricardo está no 3º ano do Ensino Fundamental na Escola Medianeira. Quando as aulas ainda eram presenciais, uma monitora o acompanhava.

- Ele realiza todas as atividades dentro das próprias limitações - garante Daiane.

ALGUNS SINAIS

  • Baixo contato visual
  • Ausência de atenção compartilhada
  • Poucas expressões faciais
  • Ser muito agitado ou passivo demais
  • Não balbuciar
  • Pouco engajamento sociocomunicativo
  • Preferência por objetos em vez da interação com pessoas
  • Não apontar
  • Não responder quando chamado pelo nome (parecer surdo)
  • Apresentar movimentos repetitivos
  • Não utilizar gestos convencionais (dar tchau, jogar beijinho)
  • Ausência de brincadeiras funcionais
  • Não seguir comandos simples
  • Ausência de palavras com significados

*Colaborou Gabriel Marques


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190