plural

PLURAL: os textos de Marcio Felipe Medeiros e Nara Suzana Stainr

Coluna traz multiplicidade de opiniões e abre espaço ao diálogo

As falácias atribuídas a Paulo Freire
Marcio Felipe Medeiros
Sociólogo e professor universitário

Dentre os inúmeros autores citados, idolatrados ou criticados, sem sombra de dúvidas, o mais citado no Brasil, e o menos lido, é Paulo Freire. O intelectual mais citado no mundo, referência em educação nas maiores e mais prestigiadas universidades do mundo, é utilizado das formas mais bizarras e distorcidas possíveis. Uma frase muito comum é "a culpa da educação estar ruim é da pedagogia do Paulo Freire". Como se o fato de os alunos não respeitarem o professor fosse culpa de sua pedagogia. Desafio alguém encontrar uma linha em toda a obra de Freire na qual falta de respeito, turma descontrolada ou poder total ao aluno esteja escrito.

EDUCAÇÃO CLIENTELISTA

Muitas das críticas atribuídas a Paulo Freire estão no clientelismo educacional. É comum encontrar instituições de ensino, sobretudo no universo privado, que dão enorme poder quase irrestrito aos alunos com medo de perder "clientes". Com isso, o professor fica refém da predileção do aluno, necessitando utilizar da simpatia, carisma e outros tipos de subterfúgios motivacionais para agradar o aluno e manter seu emprego. Essa ideia de que o professor está ali para agradar o aluno, e não para ensinar, talvez seja um dos grandes problemas educacionais, que não possui relação alguma com a pedagogia freiriana.

Além disso, a metodologia freiriana é voltada para a alfabetização de adultos. Certamente pode ser utilizada para crianças, o que eventualmente ocorre. Sua proposta é de o ensino ser uma relação de saberes. O professor busca ampliar o repertório do aluno através de informações novas, que dialoguem com os conhecimentos que já existem na mente do aluno. Para isso, o respeito ao saber do aluno é importante, pois sem compreender esta dimensão, o processo educacional se torna um monólogo incompreensível. Quando o conhecimento dialoga, ele se torna compreensível e útil ao receptor. Cabe lembrar que existe uma distância muito grande entre levar a sério o aluno e ele ser aquele que controla a aula.

100 ANOS DE FREIRE

Recentemente, comemoramos o centenário de Paulo Freire, e muitas homenagens foram feitas pela sua obra. Freire dedicou a vida à alfabetização de adultos, trazendo uma pedagogia que dialoga com o universo conceitual do aluno. Cabe a proposta de aqueles que elogiam ou detratam Freire, gastarem um tempo para lerem sua obra e se posicionarem em relação ao autor a partir daquilo que ele realmente falou, e não de elucubrações fantasiosas.

O uso das mídias e a democracia
Nara Suzana Stainr
Doutora em Direito

Refletir a questão do valor da democracia política, em sua acepção comum é conhecer tema vastamente difundido. Porém, alude a concepção das condições e direção que a Democracia pode tomar se não houver controle na divulgação das redes e mídias sociais por meio da internet.

O conhecimento de sociedade democrática se apresenta caracterizada por uma forma de igualdade de status entre seus membros, o que remete, de imediato, à teoria social estabelecida por Alexi de Tocqueville em "A democracia na América". O que significa é que a democracia contorna uma forma de tomada de decisões e de exercício de poder político, com a participação do povo, pela representação e exercício de poder.

No entanto, existem fatos na história de ataques cibernéticos contra pessoas e instituições, com o objetivo de interferir, inclusive, em decisões políticas ou jurídicas, que levantam inquietudes e principiam a problemática ao expor se a utilização indevida ou manipulada das ferramentas utilizadas via internet, pode ou não atingir a direção da democracia.

A importância desta discussão viabiliza o entendimento de que a democracia política é precisamente reconhecida como instrumento viabilizador da participação do povo que, através de representantes eleitos, devem exercer a responsabilidade deliberativa que a mesma política impõe.

Enquanto a internet, resultado das transformações e inovações tecnológicas, ganha usuários que se apresentam tanto experientes quanto iniciantes, tornando-se ao mesmo tempo neste cenário organizadores, comentaristas e protagonistas de protestos, manifestações e até mesmo articulações políticas. É neste sentido que as redes ou mídias sociais podem se tornar instrumento de espaços de participação social organizada. No entanto, categoricamente, necessitam dentro da realidade, oferecer suas potencialidades e os limites dessas redes, pois a sociedade pode não estar preparada para utilizar de maneira eficaz tal instrumento para a defesa de direitos, de debate sociopolítico ou de novos projetos, o que pode levar a serem manipuladas politicamente.

As mídias e redes sociais têm sido empregadas em grandes mobilizações sociais e políticas internacionalmente, ou mesmo ativadas em períodos de grandes catástrofes ou em situações de crise. Na verdade, assim como acontecem variáveis positivas, é recorrente lembrar que podem ser instrumento para disseminar discursos falaciosos.

Mesmo sabendo-se que o tema requer complexidade, ressalta-se que não se adentra no mérito da discussão das demais formas de governo, nem dos instrumentos legais e meios organizacionais tomados para sua execução, mas busca-se instigar os questionamentos no sistema de organização política da sociedade para cotejar com a utilização da internet neste panorama.

Neste cenário, seria necessário para incorporar conhecimento de maneira eficiente e ideias de muitas pessoas rumo à inteligência coletiva, o fornecimento de plataformas de deliberação online para realizar uma democracia digital melhorada, com maiores oportunidades de participação para os cidadãos, além da própria fiscalização com as informações postadas em redes. Isto posto, em razão de que esta questão com que se defronta poderá ser gerida, além do poder público, também por meio de contribuições da sociedade civil. Desvendar a democracia significa lembrar ao cidadão que este seja prudente, cauteloso e busque a verdade fidedigna.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 

© 2021 NewCo SM - Empresa Jornalistica LTDA


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7188
(55) 3213-7190