solidariedade

Horta comunitária vai auxiliar a comunidade do Loteamento Cipriano da Rocha

São cerca de 12 pessoas que colaboram nas atividades da ONG Mãos Unidas pelo Cipriano

Foto: Renan Mattos (Diário)
Melgares distribui alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade e, agora, também coordena a produção de hortaliças

A ONG Mãos Unidas pelo Cipriano da Rocha presta uma série de ajudas à comunidade santa-mariense, como brechó de roupas e entrega de marmitas a pessoas em vulnerabilidade social. Anderson Melgares, 45 anos, organiza as refeições há três anos, ele comenta que anteriormente entregava até 300 por final de semana, mas que com a pandemia, e a elevação dos preços dos alimentos, as doações diminuíram, e agora, entrega cerca de 80 unidades a cada 20 dias.

- Esperávamos que fosse o contrário, que com a Covid as pessoas se unissem em prol dessas causas e ajudassem mais, porque, agora, todos os problemas se agravaram - comenta Melgares.

São cerca de 12 pessoas que colaboram nas atividades da ONG. A ação mais recente é a construção de uma praça e horta para os moradores. Atualmente, o local já conta com alguns brinquedos como escorregador e casinha para as crianças, alguns bancos de pallets e outros bancos que antes eram usados no calçadão e que Melgares conseguiu junto à prefeitura.

- Quando conseguimos este terreno, tivemos que limpar tudo, havia muito lixo espalhado. Com a mudança, as pessoas já podem vir aqui, conversar, aproveitar o fim da tarde. Tem sido muito bom - avalia.

O que muda nas regras de restaurantes e comércio a partir deste sábado

Com a horta, espera-se que parte do que foi plantado seja vendido junto ao projeto Esperança Cooesperança, para arrecadar fundos para seguir realizando melhorias e para comprar alimentos para as refeições. A outra parte será para doação às pessoas do loteamento Cipriano da Rocha, Bairro Pinheiro Machado, região oeste de Santa Maria.

A vereadora Luci Duartes (PDT) é madrinha da Mãos Unidas pelo Cipriano e já colaborou com alimentos, panelas, roupas para doações, 10 palanques de concreto para pracinha e tintas.

O Rotary Club Santa Maria Sul ajudou na realização da horta doando os equipamentos necessários para preparar a terra e as mudas para o plantio de hortaliças. A intenção é que em maio a horta seja inaugurada. 

Cristiane Medeiros, 36, esposa de Anderson, conta que a maioria das pessoas atendidas pelas marmitas são catadores de material reciclável e pessoas em vulnerabilidade social.

- Criamos um grupo da janta no WhatsApp e, às vezes, nos perguntam se temos alimentos para doar. Por várias vezes, já tiramos comida do nosso próprio armário para poder ajudar - diz.

Sabrina de Paula Couto, 38 anos, mora em frente a ONG e, sempre que pode, pega as marmitas, que são a refeição para todas as pessoas de sua casa. Eles moram em cinco:

- A pandemia dificultou ainda mais para quem precisa procurar emprego, como eu. Então, ter esse amparo faz toda a diferença.

Colégio Marista realiza drive-thru solidário neste sábado

O casal espera construir uma cozinha industrial que facilite a preparação das marmitas e, posteriormente, um refeitório. No dia 25 de abril, a ONG vai fazer mais uma entrega de marmitas. Desta vez, serão 300 refeições doadas pela transportadora Alfa Transportes. 

PARA AJUDAR

Banco Sicredi
Cooperativa - 0434
Conta Corrente - 92888-0

*Colaborou Gabriel Marques


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190