portaria nº 1.030

Reitor da UFSM garante que retomada presencial não deve ser feita antes da vacina

Instituições e sindicatos de Santa Maria se manifestaram contrários a definição de retomar as atividades presenciais em ensino superior no mês de janeiro

Natália Müller Poll
Foto: Foto: Pedro Piegas (Diário)


Foto: Pedro Piegas (Diário)

Depois de analisar a Portaria Nº 1.030 do Ministério da Educação (MEC), instituições e sindicatos de Santa Maria se manifestaram contrários a definição de retomar as atividades presenciais em ensino superior no mês de janeiro.

Em nota, o reitor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Paulo Burmann, que se recupera da Covid-19 em isolamento domiciliar, disse que a medida será analisada com prudência. 

MEC determina retorno às aulas presenciais em universidades federais a partir de janeiro

Em uma live, promovida pela Associação dos Servidores da Universidade Federal de Santa Maria (Assufsm), portaria era discutida, entre outros assuntos. Na ocasião, Burmann garantiu que não existe a possibilidade de uma retomada de atividades presenciais antes de existir uma vacina para a Covid. 

Ele também pede tranquilidade para a população, pois qualquer medida que a universidade tomar, não estará nos planos qualquer possibilidade dessa retomada. 

No mesmo bate papo estavam presentes Heverton Padilha, advogado, e Marcia Helena Lorentz, pró-reitora de gestão de pessoas. Heverton acredita que seja necessário questionar se os benefícios de retomar as atividades presenciais são maiores do que os riscos que ela representa para a comunidade. Ele analisa a possibilidade de avaliar judicialmente e dispara que essa atitude é uma "pressão política e ideológica". 

A pró-reitora de gestão de pessoas afirmou que não existe nenhuma data que a universidade possa sinalizar uma retomada e garante que o trabalho da instituição é em prol da comunidade em geral, que é onde a comunidade universitária está inserida.

UFSM mantém suspensão das atividades presenciais até o final deste ano

SEDUFSM
Conforme assessoria da Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm), a diretoria ainda vai se manifestar oficialmente, mas garante não estar de acordo com a portaria. Em um primeiro momento, a Sedufsm afirma que nada muda diante dessa determinação e que está em conformidade com a Reitoria da universidade.

Gihad Mohamad, tesoureiro-Geral lembra que os números da Covid ainda estão aumentando e o fato da UFSM movimentar tanta gente - a maioria de fora da cidade - ainda não é seguro.

FASUBRA
A Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil publicou nota oficial no Facebook. Leia abaixo trechos:

"Tal medida vem na contramão das medidas sanitárias de combate a disseminação da Covid19, situação agravada atualmente pelo aumento da curva de contágio, que em algumas regiões já ultrapassa os números máximos da primeira onda(...)Ou seja, o governo Bolsonaro continua tratando a Covid-19 como uma gripezinha(...)A FASUBRA Sindical defende a autonomia universitária, a ciência e a vida, tanto da população como da comunidade universitária, e já está buscando junto à sua assessoria jurídica, e a entidades parceiras do movimento sindical e estudantil, assim como em conjunto com a ANDIFES, medidas no sentido de sustar esta portaria."

Bandeira vermelha muda horário das lojas de shoppings em Santa Maria

DCE UFSM
Em nota, Kauã Arruda Wioppiold, membro do DCE-UFSM e diretor da União estadual dos estudantes do Rio Grande do Sul (UEE-RS) declarou que:

"A volta às aulas presenciais nas instituições federais neste momento coloca em risco a vida de milhares de estudantes e funcionários. A portaria n°1030 é divulgada de forma precipitada e irresponsável, visto que temos tido um aumento no número de mortes em todo país e vivido o pior quadro da pandemia no Rio Grande do Sul desde de março, de acordo com o governo do estado. Na UFSM, está em vigor um calendário em REDE (Regime de Exercícios Domiciliares Especial), que adaptou o ensino para a modalidade virtual. Solicitar o retorno presencial dessa forma significa, além de um ato de negligência e descaso com a saúde, significa ter que rever mais uma vez o que já foi discutido penosamente. Assim, devemos garantir a autonomia universitária e repudiar o retorno do ensino presencial enquanto não houver medidas de biossegurança necessárias, especialmente a vacina."


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190