tecnologia

VÍDEOS: qual o caminho seguir na hora de criar uma startup?

Em Santa Maria, a UFSM é o berço das empresas incubadas

Joyce Noronha


Foto: Pedro Piegas
Vizzotto, Carloto e Maziero (da esq. p/ dir.) começaram a empresa durante a graduação. Agora, a Fox IoT completa três anos

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) é o berço de empresas incubadas, muitas vezes conhecidas como startups. Mas o caminho para iniciar uma destas empresas dentro de uma incubadora é longo e cheio de etapas. Depois de iniciada, a startup tem que encontrar clientes e elaborar seus produtos para conseguir se manter, para, quem sabe, ter o retorno esperado no começo desta trajetória. 

O Diário conversou com os diretores da Fox - Internet of Things (Fox IoT) para entender o processo de criação da startup, que completa três anos neste mês e que tem três sócios: Lucas Maziero, 29 anos, Filipe Carloto e William Vizzotto, ambos de 25. Os rapazes foram colegas na graduação de Engenharia Elétrica, na UFSM, e decidiram criar algo junto para ser o objeto de estudo do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) deles.

Grupo da Serra quer erguer hotel em Santa Maria

Ao percorrer o caminho, os três perceberam que a ideia tinha potencial para ser algo maior e que poderia se tornar uma empresa. Eles participaram do processo para entrar na Pulsar Incubadora, gerida pela Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agittec) e foram selecionados.

CRESCIMENTO
Hoje, os sócios são mestrandos da UFSM e a Fox IoT está instalada, em uma sala maior, na Incubadora Tecnológica de Santa Maria (Itsm), também dentro da universidade. Algo que Carloto avalia como "o esperado" no crescimento da empresa. Os rapazes também contrataram quatro estagiários, que são graduandos dos cursos de Engenharia de Controle e Automação, Tecnologia em Redes de Computadores, Ciência da Computação e Engenharia Elétrica. 

Receita abre na segunda consulta ao primeiro lote de restituição do Imposto de Renda

Contudo, eles dizem que o processo é de aprendizagem constante. Vizzotto pontua que muitas das coisas que ele e os sócios aprenderam com a startup não são ensinadas durante a graduação:

- Essa parte empresarial não é ensinada durante a faculdade. As startups têm apoio da UFSM e da Agittec, com cursos, mas tem muita coisa que só aprendemos aqui, na prática, no dia-a-dia - afirma o rapaz.




EQUIPAMENTOS DA FOX IOT ESTÃO EM USO NA UFSM

Em maio deste ano, um dos equipamentos elaborados pela Fox IoT começou a ser usado no Sistema Inovador de Gestão e Gerenciamento de Energia Elétrica da UFSM. O sistema dá continuidade ao Projeto de Eficiência Energética da universidade, que conta com financiamento da Companhia Piratininga de Força e Luz (CPFL Energia).

A Fox é responsável pela entrega dos medidores inteligentes, que são os equipamentos que fazem a medição do consumo de energia elétrica de cada prédio da universidade e por manter a rede de comunicação ativa do servidor. A startup também desenvolveu este servidor, em parceria com professores da UFSM.

GESTÃO
O coordenador de empreendedorismo da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agittec), Silon Procath, lembra que a Fox começou na Pulsar Incubadora. 

Empresas têm prazo ampliado para envio de informações do eSocial

Para ele, para uma startup ter futuro precisa ter um bom modelo de negócio, uma boa equipe, estar disposta a testar ideias, ter a capacidade de mudar estratégias quando necessário e sempre ouvir o cliente.

Ele diz que a Pulsar Incubadora tem 20 startups e que em 2018 faturou R$ 4 milhões.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190