benefício

Clientes relatam sumiço de auxílio emergencial em contas Nubank e PicPay

Instituições explicam que montante supostamente desaparecido retornou para Caixa

18.395
Foto: Foto: Pixabay (Divulgação)

Clientes das contas digitais Nubank e PicPay acusam desde terça-feira (7) o sumiço de dinheiro de suas contas. O montante supostamente desaparecido é do auxílio emergencial, mas ele não sumiu e sim voltou para a Caixa.

Estado finaliza o pagamento dos salários de maio nesta quarta

O auxílio emergencial é depositado em contas digitais e precisam administrar o dinheiro pelo aplicativo Caixa Tem. Para que não haja aglomerações em filas de agências e a falta de dinheiro em espécie, a Caixa criou um cronograma para saque dos valores. Ao anunciar o pagamento da terceira parcela do auxílio emergencial, referente a junho, o calendário restringiu também as transferências para outros bancos.

Essas transações dependem da data de nascimento do beneficiário e poderão ser feitas a partir de 18 de julho com um calendário que se estende até setembro. Enquanto isso, o beneficiário pode usar o aplicativo para ler QR codes em maquininhas de cartão e pagar compras no comércio e também para pagar boletos.

Boa parte das contas digitais de fintechs do país aceita depósitos de dinheiro em boleto, um serviço criado para driblar as altas taxas de transferências bancárias do tipo DOC e TED. No contexto do auxílio emergencial, a ferramenta passou a ser usada para transferir o dinheiro para uma conta antes do calendário da Caixa.

O banco público procurou na terça Picpay e Nubank afirmando que havia identificado pagamento de boletos em duplicidade e pediu o estorno de valores. Segundo fontes do mercado financeiro, o pedido é praxe.

Petrobras eleva novamente preço da gasolina nas refinarias

No entanto, após o início das devoluções do dinheiro, as fintechs perceberam que várias das operações não eram em duplicidade, mas dois boletos de mesmo valor pagos e com os respectivos comprovantes. Em vez de pagar um único boleto de R$ 600, por exemplo, os clientes estavam pagando dois de R$ 300. Os estornos à Caixa foram interrompidos após o diagnóstico do problema.

INSTABILIDADE
No Caixa Tem, a função de pagamento de boletos apresenta problemas e pede ao usuário que tente fazer a operação mais tarde.

Em nota, o PicPay afirma que 2,9 milhões de usuários transferiram benefícios para a conta digital e que a falha foi resultado de uma instabilidade de no aplicativo da Caixa.

O Nubank escreveu em suas redes sociais que atendeu ao pedido da Caixa, mas que ao perceber as críticas dos clientes, suspendeu os estornos e devolveu os valores.

A Caixa não respondeu os questionamentos até a publicação desta reportagem.

Desconto de horas preocupa trabalhadores do comércio

Esse é apenas um dos problemas do aplicativo da Caixa, que atende 65,2 milhões de brasileiros que perderam renda durante a pandemia do novo coronavírus. Para entrar no aplicativo, há uma fila de espera de horas.

Além dos beneficiários do auxílio emergencial, a Caixa vai usar o Caixa Tem para pagar o saque de R$ 1.045 do FGTS. Os valores serão transferidos da conta do fundo do trabalhador para a Caixa até 21 de setembro, também de acordo com calendário que segue o mês de aniversário. Os saques e as transferências, no entanto, só estarão disponíveis de de 25 de julho a 14 de novembro.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190