ajuda federal

Auxílio emergencial fez circular mais de R$ 670 milhões na economia da região

O dinheiro garante a comida na mesa, movimenta pequenos negócios e alivia o peso da crise provocada pela pandemia em 39 municípios do centro do Estado

18.404
Foto: Foto: Pedro Piegas (Diário)
Moradora da Vila Maringá, Rafaela está sem emprego e usa parte do auxílio para comprar no mercado do bairro: ?Ajuda muito?

Foto: Pedro Piegas (Diário) 
Moradora da Vila Maringá, Rafaela está sem emprego e usa parte do auxílio para comprar no mercado do bairro: ?Ajuda muito?

Em meio à crise provocada pelas medidas restritivas impostas a diversos setores para tentar  frear o coronavírus, o auxílio  emergencial, distribuído pelo  governo federal, mostra-se uma  importante injeção de dinheiro  na economia brasileira. Ao todo,  118 milhões de pessoas foram contempladas pelo benefício,  que vai distribuir, até o final do  ano, R$ 250 bilhões no país. 

Nos 39 municípios da região  do Diário, mais de 207 mil pessoas já receberam o auxílio, o  que representou um impacto de  R$ 678,6 milhões na economia.  Santa Maria é a que teve mais  pessoas contempladas: 68,9 mil beneficiados. 

Inicialmente, o governo federal havia anunciado o pagamento de três parcelas de R$ 600.  Contudo, com o avanço da doença e a alta taxa de desemprego no  país, o presidente Jair Bolsonaro  (sem partido) anunciou mais  duas parcelas de R$ 600 e mais  três de R$ 300, que se estenderão até o final do ano.

Enquanto isso, o desemprego bate recorde desde o início da  pandemia. Segundo o Instituto  Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), setembro contabilizou 13,8 milhões de desempregados. O montante significa  3,7 milhões de pessoas a mais  do que foi registrado no mês de maio - uma elevação de 33%. 

Dia de Finados terá comércio fechado e mercados abertos em Santa Maria

Sem nenhuma sinalização por parte do governo de prorrogar o benefício, com a última  parcela sendo paga em dezembro, o temor é pelas consequências econômicas a  partir de janeiro de 2021, já que menos  dinheiro estará em circulação.

- Geralmente, nos meses de janeiro e fevereiro, observamos uma redução de emprego. Em um momento crucial como este, além de termos essa redução, o auxílio emergencial vai deixar de ser pago. Alguma coisa o governo precisa pensar. Uma forma de transição para isso. É um cenário extremamente complexo - diz o professor Daniel Coronel, do Departamento de Economia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). 

Depois de Santa Maria, a cidade da região que mais recebeu o auxílio foi São Gabriel. A Terra dos Marechais teve um incremento de R$ 59 milhões na economia. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do município, João Moure, relata a preocupação com a economia gabrielense no próximo ano. No entanto, ele ressalta, também, a importância do resultado da safra para a região.

Novas regras para controladores de velocidade entram em vigor neste domingo

 - Aqui é uma cidade mais agrícola, o resultado vai depender também de como vai ser a safra, já que vai diminuir a área de plantio em função da estiagem. Isso tudo vai influenciar. O auxílio ajudou muito. Injetar R$ 59 milhões significa quase 30% da nossa geração de renda - constata. 

Muitos prefeitos cobram medidas mais brandas de restrições por parte dos governos federal e estadual. O chefe do Executivo de Agudo, Valério Vili Trebien (MDB), afirma que o fechamento de diversos setores da economia acaba por influenciar nos cofres municipais. 

- Queremos que essa pandemia acabe ou, pelo menos, que os órgãos de controle deixem trabalhar quem quiser trabalhar. Se voltarmos a produzir, volta a arrecadação - cobra. 

Santa Maria é a cidade que mais obteve recursos

Santa Maria foi a cidade que mais se beneficiou do auxílio emergencial na região, com R$ 223,5 milhões sendo distribuídos a 69,8 mil pessoas. É dinheiro injetado na veia da economia, sendo revertido tanto para as pessoas que recebem quanto para pequenos empreendedores que comercializam seus produtos e para o Executivo, que ganha pela geração de impostos.

Na tarde de sexta-feira, Rafaela Gomes de Oliveira, 29 anos, realizava compras no Mercado Econômico, na Vila Maringá. Desempregada desde maio, ela depende do benefício federal para comprar produtos básicos no supermercado.

Decisão será entre os dois nomes fortes da política de Santa Maria

- Pretendo, em 2021, já estar trabalhando. O auxílio está me ajudando muito. Mas, como meu marido trabalha, a minha situação acaba sendo muito melhor do que muitas pessoas, que só têm esse dinheiro e nada mais - constata.

A dona do mercado, que também vende materiais de construção, Ivete Steyding, relata o aumento do movimento em função do auxílio emergencial, Contudo, para o próximo ano, ela se mostra preocupada.

- Acho que vai ter uma queda.  considerável nas minhas vendas porque muita, mas muita gente que vem aqui, compra com o dinheiro do auxílio - afirma.

Embora a economia santa- -mariense, neste ano, tenha ganhado um importante incremento de renda, os salários do funcionalismo público ainda são o motor da economia. Por ano, são injetados mais de R$ 2 bilhões no município, contando servidores municipais, estaduais e federais.

- Esse salário não é comprometido. Isso quer dizer que a hora que as pessoas puderem sair, com medidas menos restritivas, naturalmente a economia vai se recuperar. O lojista se pergunta por que ele não vende roupa. Não está vendendo porque não há eventos sociais. Quando as coisas voltarem, a economia vai voltar a girar - acredita o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ewerton Falk.  

Horários de ônibus serão reforçados no Dia de Finados em Santa Maria

Quanto cada município recebeu do auxílio emergencial até agora e o número de beneficiados de cada cidade no centro do Estado:

  • Agudo recebeu 13,2 milhões por meio de 4,1 mil beneficiados 
  • Caçapava do Sul recebeu R$ 32,8 milhões por meio de 9,9 mil beneficiados 
  • Cacequi recebeu R$ 12,1 milhões por meio de 3,6 mil beneficiados
  • Cruz Alta recebeu R$ 53,4 milhões por meio de 16,2 mil beneficiados
  • Dilermando de Aguiar recebeu R$ 2,7 milhões por meio de 827 beneficiados 
  • Dona Francisca recebeu R$ 3,1 milhões por meio de 997 beneficiados
  • Faxinal do Soturno recebeu R$ 5,1 milhões por meio de 1,6 mil beneficiados
  • Formigueiro recebeu R$ 6,4 milhões por meio de 2 mil beneficiados 
  • Itaara recebeu R$ 4,8 milhões por meio de 1,5 mil beneficiados 
  • Itacurubi  recebeu R$ 3,1 milhões por meio de 947 beneficiados 
  • Ivorá recebeu R$ 1,3 milhão por meio de 429 beneficiados  
  • Jaguari recebeu R$ 8,1 milhões por meio de 2,6 mil beneficiados  
  • Jari  recebeu R$ 3,1 milhões por meio de 991 
  • Júlio de Castilhos recebeu R$ 18 milhões por meio de 5,5 mil beneficiados  
  • Lavras do Sul recebeu R$ 6,9 milhões por meio de 2,1 mil beneficiados 
  • Mata recebeu R$ 4,2 milhões por meio de 1,3 mil 
  • Nova Esperança do Sul recebeu R$ 2,7 milhões por meio de 879 beneficiados  
  • Nova Palma recebeu R$ 3,5 milhões por meio de 1,1 mil beneficiados 
  • Paraíso do Sul recebeu R$ 5,5 milhões por meio de 1,7 mil beneficiados 
  • Pinhal Grande recebeu R$ 3,3 milhões por meio de 1,1 mil beneficiados  
  • Quevedos recebeu R$ 2,6 milhões por meio de 825 beneficiados  
  • Restinga Sêca recebeu R$ 13,5 milhões por meio de 4,2 mil beneficiados 
  • Rosário do Sul recebeu R$ 38,3 milhões por meio de 11,3 mil beneficiados  
  • Santa Maria recebeu R$ 223,5 milhões por meio de 69,8 mil beneficiados 
  • Santa Margarida do Sul recebeu R$ 2,4 milhões por meio de 732 beneficiados
  • Santana da Boa Vista recebeu R$ 8,7 milhões por meio de 2,7 mil beneficiados 
  • Santiago recebeu R$ 39,9 milhões por meio de 12,6 mil beneficiados 
  • São Francisco de Assis recebeu R$ 17,5 milhões por meio de 5,3 mil beneficiados 
  • São Gabriel recebeu R$ 59 milhões por meio de 17,5 mil beneficiados 
  • São João do Polêsine recebeu R$ 1,9 milhão por meio de 615 beneficiados
  • São Martinho da Serra recebeu R$ 2,8 milhões por meio de 877 beneficiados 
  • São Pedro do Sul recebeu R$ 14 milhões por meio de 4,4 mil beneficiados 
  • São Sepé recebeu R$ 21,1 milhões por meio de 6,4 mil beneficiados  
  • São Vicente do Sul recebeu R$ 7,9 milhões por meio de 2,4 mil beneficiados 
  • Silveira Martins recebeu R$ 1,6 milhão por meio de 527 beneficiados 
  • Toropi recebeu R$ 2,3 milhões por meio de 759 beneficiados 
  • Tupanciretã recebeu R$ 21,7 milhões por meio de 6,3 mil beneficiados 
  • Unistalda recebeu R$ 2,3 milhões por meio de 703 beneficiados  
  • Vila Nova do Sul recebeu R$ 4,3 milhões por meio de 1,3 mil beneficiados  


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190