diário nos bairros

Insegurança e lixo atrapalham moradores do Bairro Camobi

Alagamentos e animais abandonados também causam transtornos à vizinhança

Foto: Charles Guerra
Lixo toma conta de terreno onde deveria ter sido construída uma creche do programa Proinfância

A Vila Soares do Canto, localizada na zona leste de Santa Maria, no Bairro Camobi sofre com problemas antigos. A vizinhança reclama bastante de um terreno que pertence à prefeitura e que está abandonado há anos, na Rua Canadá. Conforme a aposentada Nair de Oliveira, 70 anos, antes, até havia grades que impediam o acesso das pessoas ao local. Agora, sem cerca, o terreno virou um grande depósito de lixo.

- Às vezes, as pessoas chegam a vir de caminhão. Eles simplesmente param aqui na frente e descarregam todo o lixo de vários pontos da cidade. Se fosse colocado um cercado, portão ou qualquer outro tipo de proteção e uma placa proibindo descartar lixo aqui, tudo ficaria melhor - acredita Nair.
O QUE DIZ A PREFEITURA Sobre o lixo acumulado e a falta de cercamento no terreno baldio:
Conforme a Secretaria de Saúde do município, os terrenos que irão receber creches do Programa Pró-Infância passarão por um processo de limpeza e retirada de restos de materiais dos locais. Não foi dado prazo para a realização do serviço no bairro 

Sobram problemas e falta manutenção no Bairro São José

O terreno era destinado a uma das creches do Programa Proinfância do Ministério da Educação, mas, até agora, a obra não começou. A única manutenção feita no terreno foi o aterramento do local com terra vermelha. De acordo com os moradores, em dias de chuva, o barro se espalha pela rua e torna a passagem quase impossível. A vizinhança também reclama que muitos objetos furtados ou roubados são escondidos nos fundos do terreno e, que depois, os criminosos voltam para buscá-los.

- É bem complicado isso, já que não temos mais segurança aqui na rua. Precisamos ficar trancados dentro de casa, enquanto eles (criminosos) estão soltos e circulando por aqui - disse um morador que pediu para não ser identificado. ara não ser identificado. 
O QUE DIZ A PREFEITURA Sobre a falta de segurança:
Aprefeitura atua de maneira integrada com as forças de segurança do Estado

Buracos e insegurança preocupam moradores do Bairro Camobi

Além disso, os moradores acreditam que o aterramento do terreno ajudou na formação de uma sanga e entupiu os canos da via. Em dias de chuvarada, os pátios das casas vizinhas ficam alagados.

- Eu tinha uma horta linda, com um monte de vegetais e temperos e um jardim com flores. Mas tudo foi morrendo a cada alagamento, e eu desisti de voltar a plantar. Além disso, tem o odor que exala. Já tivemos até que colocar água sanitária para amenizar o cheiro - reclama Nair.

A situação se repete em outros pontos do bairro, já que vários bueiros estão entupidos, provocando alagamentos em várias casas.
O QUE DIZ A PREFEITURA Sobre os alagamentos:
De acordo com a prefeitura, o problema é motivo de ação no Ministério Público, assim como de um projeto em andamento em relação às obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em uma tentativa de solucionar os problemas de infraestrutura. Não há prazo para a solução do problema
O QUE DIZ A PREFEITURA Sobre os bueiros entupidos:
As redes pluviais, conforme a prefeitura, recebem manutenção quando aberto protocolo na Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos pelo telefone (55) 3223-1616 ou na Avenida Nossa Senhora Medianeira, número 179. Não há prazo para a limpeza. 

Vizinhos do Bairro Juscelino Kubitschek sofrem com buracos e faltam de ônibus

Outro agravante que prejudica os moradores de Camobi é a falta de rede esgoto, que está sendo instalada. 
O QUE DIZ A PREFEITURA Sobre a falta de esgoto: 
A Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) está trabalhando na implantação da rede de esgoto no Bairro Camobi

Além disso, muitos animais são abandonados nas ruas do bairro.

Moradores do bairro Rosário convivem com assaltos a pedestres e estabelecimentos

- Nós já falamos várias vezes com a prefeitura, mas eles não fazem nada. Funcionários já vieram aqui três vezes por causa do terreno, mas só olharam. Toda hora aparece bicho morto atrás desse terreno, além do cheiro horrível que fica. É crime maltratar animais. O pessoal que passa no trem nos fundos do terreno joga lixo. É uma vergonha. Não sabemos mais a quem recorrer - diz o aposentado Paulo Gomes, 70 anos, que há 50 mora no bairro.
O QUE DIZ A PREFEITURA Sobre os animais abandonados:
A Secretaria do Meio Ambiente está trabalhando em um projeto de controle de população de cães e gatos, que está em fase de capitação de recursos. Denuncias de maus-tratos aos animais podem ser feitas pelo telefone (55) 3921-7138 

Está bem difícil passar pelas ruas do Bairro Lorenzi

Outro pedido é de colocação de suporte para lâmpadas nos postes de energia elétrica já que, à noite, muitas ruas ficam escuras por conta da falta de estrutura. Os moradores que precisam voltar à noite para casa ou vão de carro ou pedem a alguém da família para buscá-los na parada. A falta dos suportes já dura mais de um ano.

- A gente paga impostos, vem sempre descontado na luz a taxa de iluminação pública, mas quando precisamos, teremos que pagar a taxa - diz Nair.
O QUE DIZ A PREFEITURA Sobre os suportes de lâmpada faltantes:
Conforme a prefeitura, novas luminárias serão adquiridas pelo Fundo Municipal de Custeio do Serviço de Iluminação Pública (Fumcip). Não há prazo


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190