colorido que encanta

VÍDEO+FOTOS: com auxílio de projeto da UFSM, agricultor cultiva e vende girassóis

Propriedade, que fica no Distrito de Arroio Grande em Santa Maria recebe experimentos de flores, que ajudam produtor a complementar a renda

18.398
Foto: Foto: Gabriel Haesbaert (Diário)


Foto: Gabriel Haesbaert (Diário)

Desde o início de outubro, a propriedade do agricultor Milton Cauzzo ganhou um colorido especial com o florescimento da plantação de girassóis. Os tons entre amarelo e laranja conferem às pétalas uma beleza ímpar. Além disso, sua flor é conhecida por acompanhar a trajetória do sol, do nascente ao poente. A produção é uma parceria do produtor com o projeto Flores Para Todos, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), que realizou o plantio e, agora, ajuda a colher as hastes de girassol a medida que desabrocham. 

Cauzzo, que já plantava outras flores em parceria com o projeto, está encantando com os girassóis. Ele vende cada haste a R$ 3 em feiras que ocorrem na Avenida Roraima, no Bairro Camobi, próximo do acesso à UFSM. O produtor se surpreendeu com a procura.

- A aceitação tem sido muito boa. São flores bonitas, diferentes, que chamam a atenção. De quase 200 hastes que eu levei esses dias, só sobraram umas 30. As vendas têm ajudado a incrementar a renda - destaca Cauzzo, que planta, ao lado dos girassois, também variedades de gladíolos e statices, em área que antes era ocupada por lavoura de soja. 

VÍDEO: com valorização do grão, área plantada de arroz deve aumentar na região

Duas vezes por semana, nas terças e sextas-feiras, a equipe da PhenoGlad, do projeto Flores Para Todos, se desloca até a propriedade para dar sequência aos estudos. As hastes precisam ser colhidas nas primeiras horas da manhã, enquanto a temperatura ainda não está muito alta e quando não há muita incidência solar. Até agora, foram feitas quatro colheitas

- Como ainda é um experimento, nós fazemos um acompanhamento das plantas, com medição das hastes, contagem de folhas... Depois de fazer o corte, parte das folhas são retiradas e o tamanho também é padronizado. Assim, o produtor já entrega o girassol pronto para o consumidor colocar em casa - explica uma das coordenadoras do projeto, a professora Lilian Uhlmann.

Os pesquisadores têm observado que a durabilidade dos girassóis depois de colhidos é de cerca de duas semanas, quando conservados em vasos com água. 

A PESQUISA QUE SAI DA UNIVERSIDADE
Há três anos, o projeto Flores Para Todos ajuda a introduzir a floricultura como fonte de renda para a agricultura familiar. Para isso, são escolhidas espécies que podem ser plantadas em escala, a campo e sem estufas. Por isso, não demandam tanto investimento, o que facilita a implementação nas propriedades. 

- No caso do girassol, as sementes testadas são fornecidas por duas empresas italianas, que são parceiras do projeto. As duas empresas são detentoras da genética que está sendo testada de forma inédita na região Sul do país - informa o professor Nereu Augsuto Streck.

O reitor da UFSM, Paulo Burmann, foi até a propriedade para conhecer o projeto. Ele destacou a importância para os produtores rurais e para os próprios alunos que integram o estudo, já que aprendem os ensinamentos na prática.

- O engajamento da equipe com os estudantes tem duplo sentido: estabelecer a relação com a comunidade e, ao mesmo tempo, oferecer uma oportunidade de formação prática - reitera Burmann. 

*Colaborou Janaína Wille

Imagens


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190