Maradona

Argentinos se despedem do maior ídolo no futebol

Velório de Maradona reuniu uma multidão na Casa Rosada em Buenos Aires

18.395

Foto: Divo Calvo (Folhapress)
Fãs se despediram do ex-camisa 10 por meio de inúmeras provas de idolatria

Milhares de pessoas já esperavam para entrar na Casa Rosada, sede do governo argentino, às 6h desta quinta-feira, quando as portas do edifício histórico se abriram para receber os fãs de Diego Maradona. O ex-jogador morreu na quarta-feira, após não resistir a uma parada cardiorrespiratória. Mais de 1 milhão de pessoas marcaram presença no velório, que criou filas enormes nas ruas de Buenos Aires.

Jogo entre Inter e Boca pelas oitavas de final da Libertadores é adiado

As tentativas de manter o distanciamento social por conta da pandemia do coronavírus e a organização da entrada dos admiradores fracassaram logo de cara. Havia grades de metal para tentar conter o volume de gente, mas elas eram constantemente derrubadas, porque alguns queriam passar adiante dos outros. Muitos desses fãs haviam passado a noite entre o Obelisco e a Praça de Maio, onde foram realizadas as homenagens na quarta, e vários estavam embriagados.

Com bastante esforço, seguranças conseguiam convencer que alguns pelo menos colocassem a camiseta e a máscara antes de entrar no recinto. Houve focos de confusão, e a polícia, com equipamento de choque, chegou a intervir para dispersar. Na fila, ainda do lado de fora, houve momentos de cantoria, choro, pessoas que chegavam abraçadas, famílias, pais com filhos.

Aos 60 anos, Maradona morre na Argentina

Do lado de dentro, bem mais controlado, o caixão com o corpo de Maradona ficou no salão interno, fechado e coberto com uma camiseta da seleção Argentina de número 10 e outra do Boca Juniors. As pessoas passaram rapidamente diante dele e gritaram: "Obrigado, Diego", "Você é Deus", além de jogarem camisetas de vários times, terços e outros objetos. Pouco antes de abrirem as portas para a multidão que já estava na Praça de Maio desde o dia anterior, a família do ídolo se despediu dele numa cerimônia privada, à qual os jornalistas não tiveram acesso.

Estavam presentes sua ex-mulher, Claudia Villafañe, suas filhas mais velhas Dalma e Giannina, e também sua companheira mais recente, Veronica Ojeda, com o filho mais novo, Dieguito Fernando, além da outra filha do ex-jogador, Jana Maradona. Apenas um dos filhos reconhecidos, Diego Júnior, não compareceu, por estar na Itália, em tratamento por conta do coronavírus.Também compareceram alguns ex-jogadores que foram companheiros de Maradona (Oscar Ruggeri, Sergio Batista e Jorge Burruchaga), e alguns ídolos argentinos mais recentes, como Carlitos Tévez, Martín Palermo e Javier Mascherano.

Leia mais sobre Esportes

O horário da cerimônia de despedida para o craque argentino, inicialmente previsto para ir até as 16h, foi estendido até as 19h, diante da massa de fãs que aguardavam na fila por horas e não conseguiriam dar adeus ao ídolo na programação original. Pouco depois desse anúncio, porém, a visitação foi interrompida, e o caixão com o corpo de Maradona, retirado do local onde estava exposto.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190