crônica

Por quem os sinos dobram

Confira a crônica de Tânia Lopes na Revista Mix

Pela manhã, quase sempre, ouço o sino da Catedral. É como se alguém nos chamasse para um despertar e viver:
- Tá na hora! Dimm dão, Dimm dão, Dimm dão...

Sei que os sinos têm, em suas batidas, algumas diferenças significativas. Todas despertam minha curiosidade, mas nunca a ponto de perguntar para os padres e/ou os encarregados de batê-los, por que ou a quem estão chorando ou reverenciando.

Fico imaginando. Quem sabe, chamando para a missa, culto diferenciado, festa. Ou urgência, anunciando tragédia...
O famoso romance de Hemingway, Por Quem os Sinos Dobram, ambientado numa guerra e, mesmo assim, o amor explodiu numa paixão avassaladora, segundo a minha leitura de mais de décadas!

Hoje, vivemos uma guerra não menos perniciosa.
E, só agora, não tenho porquê mentir, descobri a existência John Donner (1624), que escreveu:

Nenhum homem é uma ilha, um ser inteiro em si mesmo; todo homem é uma partícula do continente, uma parte da terra. Se um Pequeno torrão carregado pelo mar deixa menor a Europa, como se todo um promontório fosse, ou a Herdade de um amigo seu, ou até mesmo a sua própria, também a morte de um único homem me diminui, porque eu pertenço à humanidade. Portanto, nunca procures saber por quem os sinos dobram. Eles dobram por ti.

Até nosso Raul Seixas teve sua leitura em poema musicado versando sobre isso!

"Por quem os sinos dobram (Raul Seixas)

Nunca se vence uma guerra lutando sozinho

Você sabe que a gente precisa entrar em contato

Com toda essa força contida é que vive guardada

O eco de suas palavras não repercutem em nada

É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro

Evita o aperto de mão de um possível aliado, é

Convence as paredes do quarto, e dorme tranquilo

Sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo

Coragem, coragem

Se o que você quer é aquilo que pensa e faz

Coragem, coragem

Eu sei que você pode mais

É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro

Evita o aperto de mão de um possível aliado

Convence as paredes do quarto, e dorme tranquilo

Sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo

Coragem, coragem

Se o que você quer é aquilo que pensa e faz

Coragem, coragem

Eu sei..."

Agora, se eu tivesse oportunidade, pediria às igrejas, que combinassem, independentes do credo, que em uníssono tocassem seus sinos em alto som no dia que os hospitais zerassem as internações e/ou as mortes por Covid.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190