vida e saúde

Temperos da vida

Colunista Tereza Blasi nos convida a lembrar dos sabores e cheiros da nossa infância e traz receita de um assado de legumes


Quando você é estimulado naturalmente a sentir o aroma e gosto de tudo que o cerca, a vida fica mais leve e prazerosa, tem maior sentido. Alguns estudos confirmam que se uma mãe, durante a gestação, consumir muitos alimentos diferentes e saudáveis - como frutas, verduras, legumes temperados com aquelas ervas inesquecíveis em seus aromas e sabores - o bebe quando começar a introdução de alimentos após o sexto mês de vida terá uma memória gustativa e olfativa diferenciada, portanto provavelmente irá comer de tudo. 

Bem, essa é uma afirmação bem forte e pontual que há em relação aos sabores e aromas dos alimentos.  

E, quando você cresce em meio a uma oferta abundante e variada de legumes verduras e algumas frutas da época, sua vida quando se refere a gostos já será diferente.

Em Joaçaba (Santa Catarina) - "capitinga" para quem conhece minhas falas de carinho pelo lugar onde nasci e cresci -, na antiga Rua Santa Terezinha, naquele terreno no sopé do morro, eu era rodeada de todos os sabores, cores e aventuras que a vida proporcionava cheia de liberdade para conhecer o entorno que não tinha limites. Nós costumávamos nessa época, no pequeno pomar, subir cada um em seu pé de laranja, ou lima, e partir daí, o cronômetro imaginário era ligado e fazíamos concurso de quantas laranjas comeríamos... Era excesso, sabíamos, mas o cheiro e o gosto daquelas laranjas até hoje estão presentes na memória. E quando descíamos das laranjeiras ou do pé de lima, pisávamos naqueles bagaços e cascas já frios meio deslizantes e macios, sim, porque não conseguíamos comer a laranja inteira... imaginem 10 a 15 unidades médias! Gripes, resfriados fugiam de nós, dificilmente adoecíamos.

O tempo passava e novas aventuras surgiam em meio aos temperos da horta, tipos de cebolas, alho, salsa, hortelã, manjerona, funcho, erva doce, capim limão... Quem conseguia provar de tudo, ganhava a oportunidade de subir na ameixeira - imaginem que competição saudável, aliás, nem conhecíamos essa palavra, vivíamos apenas.

Pensem bem, se eu não provava de tudo... A "dona" cebola só descia com uma folha de couve, mas fazíamos de tudo pelas ameixas maduras e  amarelas - aliás, eram bem ácidas e nem tão doces. Depois de provar todos os temperos, já não tínhamos mais tanto espaço nas papilas gustativas ávidas por algo mais doce, mas havia uma magia de encantamentos pela grande conquista. 

E assim seguiam os dias e nossa tarefa diária era a de apanhar temperos na horta dependendo do que a nossa mãe faria de almoço. Para o frango, dizia Dona Adélia: sálvia, salsinha, e cebolinha miúda. Quando havia feijão, manjerona, cebola e louro. Na salada de batata com ovos entravam salsa,  cebolinha e também cenoura que era cozida junto com as batatas. Era uma delicia, pois até mesmo o ovo íamos ver se a nossa amiga cocoricó já havia deixado de presente no ninho.

E os chás? Pois é, eles entravam no nosso jantar. O de cidreira e camomila eram bem-vindos assim como o de mate e hortelã com leite, pão, manteiga e mel ... e a gostosura inigualável que era aquele pão com erva doce. Precisava mais? Éramos felizes assim com nossas aventuras, nossos sentidos aguçados nossas experimentações e abertos sempre a um novo gosto, aroma, delicadezas sensoriais de tudo que nos rodeava.

Saborear todos os momentos que a vida traz tendo como memórias olfativas e gustativas, acontecimentos ligados aos temperos e suas propriedades fantásticas e únicas é um privilégio da vida.

Lembro que, no inverno, aos sábados, tínhamos sopa ou de feijão ou de legumes e frango com todos os temperos possíveis. Para finalizar, a sobremesa: canjica com muito cravo e canela em rama e pó de canela.

TEMPEROS
Descrevi apenas alguns acontecimentos da minha infância, mas você pode modificar o sentido da vida cultivando temperos, pois a oferta é imensa e se encontram em feiras de Santa Maria, práticos e bem fáceis de cultivar em casa: orégano, manjericão, hortelã, sálvia, pimentas, salsa, cebolinha, tomilho,  alecrim e tantos outros para misturar a tudo que fizer seus sentidos despertarem para o novo mundo saboroso.

Sugiro que cultivem essas ervas em casa e posso garantir que tudo terá mais sentido e "o tempero da vida" será mais uma história para contar.

ASSADO DE LEGUMES
Deixo aqui uma imagem de um assado de legumes (lembra a infância), prático e fácil de fazer com seis temperos: tomilho, louro, orégano, pimenta, cebola roxa, cebola branca, alho, salsa, cebolinha.

Como fazer
Cortar os legumes em fatias médias (claro, todos com casca que têm mais fibras): batata doce, abóbora, chuchu, berinjela, repolho roxo

Acrescentar sal e azeite a gosto

Passar um papel alumínio e assar por 15 minutos em 220°C

Retirar o papel alumínio e deixar no forno por mais 30 min em fogo baixo

E bom apetite com sentidos aguçados. 



fale conosco

redação
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
atendimento@diariosm.com.br
ouvidoria@diariosm.com.br
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190