contatos Assine
vida e saúde

O que evitar e o que comer para prevenir o câncer de mama

23 Julho 2018 12:43:00

Colunista Tereza Blasi fala sobre prevenção diante da nova estatística de câncer de mama no Rio Grande do Sul


Estima-se que 59,7 mil novos casos de câncer de mama sejam diagnosticados 2018 e em 2019, com um risco estimado de 56,33 casos para cada 100 mil pessoas. Esses números nos levam a uma reflexão urgente sobre os agentes causais mais frequentes e o que fazer para evitar essa doença, pois  as Regiões Sul e Sudeste concentram 70% da ocorrência de casos novos. Em 2018, por exemplo, o Rio Grande do Sul registrou quase 200 novos casos para cada 100mil mulheres (dados do Instituto Nacional do Câncer).

Caldos e sopas para aquecer o corpo nos dias frios

A promoção de saúde ocorrerá quando houver prevenção dos agentes causais primários, sim porque alguns podem ser evitados com uma ótima alimentação, redução de peso e redução do consumo de álcool.

Há outras causas do câncer de mama segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer) como: idade da primeira menstruação menor do que 12 anos; menopausa após os 55 anos; mulheres que nunca engravidaram ou nunca tiveram filhos (nuliparidade); primeira gravidez após os 30 anos; uso de alguns anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal (TRH) na menopausa, especialmente se por tempo prolongado; exposição à radiação ionizante; predisposição genética (pelas mutações em determinados genes transmitidos na herança genética familiar - principalmente por dois genes de alto risco, BRCA1 e BRCA2).

Os agrotóxicos lançados na natureza também tem ação cancerígena, portanto torna-se urgente elaborar projetos sérios que tenham efetividade quando se tratam de segurança alimentar e nutricional da população brasileira.

Como higienizar os alimentos de forma adequada

Estima-se que, por meio da alimentação, nutrição, atividade física e gordura corporal adequado, é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama no Brasil, e estimular a prática de atividade física regularmente e manter o peso corporal adequado torna-se uma atitude urgente de todos.

O que evitar

  • As carnes processadas: todos os produtos com carne, como, por exemplo, os embutidos, toucinho, salsichas, mortadelas;
  • As pipocas de micro-ondas;
  • Os refrigerantes comuns ou "diet, light;
  • A farinha refinada;
  • O açúcar refinado;
  • Alimentos ricos em frutose
  • Biscoitos recheados;
  • Os bolos de confeitaria;
  • Molhos, cereais e bebidas que o contenham.
  • Alimentos gordurosos;

A relação entre o consumo de produtos de origem animal com o aumento do risco de desenvolver alguns tipos de câncer já foi comprovado por diversas instituições, inclusive pela Organização Mundial da Saúde (OMS), SBV (BRASIL 2018), e se recomenda no máximo 300g de carne vermelha na semana.

Os alimentos já estudados e ainda em estudos que reduzem a incidência de câncer são os minimamente processados, e os in natura.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde, 2012) comer cerca de 450g/dia de frutas, verduras e legumes que contêm nutrientes, tais como vitaminas e fibras, auxiliariam as defesas naturais do corpo.

Quando se consome uma ótima quantidade de hortaliças, e nenhum alimento ultraprocessado a saúde andará de mãos dadas. Alguns alimentos especificamente vem sendo estudados e testados como promovedores, quimiopreventores, contra o câncer.


O que consumir com frequência

  • Crucíferas contém glicozinolatos e estão nas couves, brócolis, repolhos, couve chinesa entre outros.
  • O consumo de alho pode reduzir o risco de desenvolver alguns tipos de câncer, como o de mama e o gástrico, cebolas, alho porró.
  • Açafrão da terra, ou cúrcuma pode matar células cancerosas em laboratório e também reduz o crescimento de células sobreviventes.
  • A maçã é capaz de prevenir contra tumores malignos, em especial aqueles de pulmão, intestino, boca, mamas e do trato digestivo.
  • Linhaça, diferentes estudos têm associado às lignanas presentes na linhaça como prevenção do câncer de mama.
  • O azeite de oliva em um estudo espanhol publicado em 2015 mostrou que uma dieta mediterrânica com um consumo diário de quatro colheres de sopa de azeite de oliva é eficaz na redução do risco de câncer de mama.
  • Peixes ricos em ômega-3 e ômega-6, pois reduzem o colesterol elevado que é fator de risco para CA de mama.
  • Soja faz o papel de fitoestrógeno, e tem um grupo de substâncias encontradas nas plantas e que agem como versão mais fraca do estrogênio humano, limitando o efeito potencialmente prejudicial do estrogênio humano.
  • Cenoura. Segundo uma pesquisa realizada na Harvard School of Public Health, nos Estados Unidos, a cenoura eficaz na prevenção do câncer de mama.
  • Fibras dietéticas são essenciais em todos os casos, pois estudos mostram a redução de 30% no risco câncer em mulheres que consomem 25 a 30 gramas de fibras por dia, são encontradas nos vegetais, cascas de fruta, cereais integrais, a aveia é uma grande aliada no contexto de promoção de saúde, quínua, amaranto, linhaça.
  • Frutas vermelhas por sua capacidade antioxidante, assim como a vitamina C presente em muitas hortaliças promove a saúde e previnem o câncer.


A alimentação é só uma grande parte da história de vida saudável, mas faz toda a diferença quando se trata de manutenção de saúde e consequente prevenção do câncer, opte por uma alimentação adequada e nutritiva, opte pela vida!

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249