contatos Assine
vida e saúde

O peso que nossos filhos carregam nas costas

26 Dezembro 2017 14:00:00

Colunista convida fisioterapeuta para falar sobre um problema que pode causar danos à coluna de nossos filhos


Olá, queridos leitores. 

Na coluna desta semana, convidei a fisioterapeuta da Clínica Saúde em Movimento, com atuação nas áreas de RPG, pilates e osteopatia , Lidiane Barbosa e Silva (na foto ao lado), para conversar com vocês sobre um situação preocupante no futuro de crianças e adolescentes. O problema do peso das mochilas, apesar de já ter sido alertado por especialistas, continua sendo motivo de preocupação nos consultórios médicos. Para ajudar os pais e alunos, que estão em época de compra de material escolar, Lidiane dá algumas dicas de como escolher a mochila adequada e como carregá-la quando as aulas começarem. 
Desejo a todos um feliz Ano Novo! 

Com vocês, o texto da especialista:

"Têm sido frequentes os estudos sobre o peso das mochilas escolares e sua influência sobre a postura e o surgimento de problemas de coluna em estudantes. A mochila, que foi projetada inicialmente para facilitar o transporte do material escolar e trazer conforto para o aluno, tem sido uma vilã no que se refere à saúde. Atualmente, o peso máximo recomendado por especialistas, não deve ultrapassar 10% do peso corporal do aluno. Mas existem dados que mostram que a maioria dos estudantes carregam mais de 5k quilos na mochila diariamente.

Esse excesso de peso transportado pode causar dores musculares na coluna cervical e região dos ombros, sobrecarga sobre as articulações do corpo e surgimento de problemas posturais como a escoliose e a hiperlordose lombar. Para aquelas crianças que precisam se deslocar até a escola caminhando isso pode ser ainda mais significativo, tendo em vista o tempo em que precisam transportar todo esse peso.

Mesmo a mochila de rodinhas, projetadas para minimizar o transporte do peso do material escolar, tem sido causadoras desses problemas, visto que, na maioria das vezes são transportadas da forma inadequada. Em geral essas mochilas são "puxadas" pelos alunos, obrigando o mesmo a fazer uma rotação do tronco. O ideal é que elas fossem transportadas sendo "empurradas" à frente do corpo pela criança.

É importante que pais e professores fiquem atentos a esse problema, a fim de se evitar o surgimento de problemas posturais irreversíveis. Se percebidos a tempo, existe a possibilidade de correção dessas patologias. E, mais importante, é a prevenção. Algumas recomendações podem ser úteis para essas crianças e adolescentes.

  • A primeira delas é respeitar o limite de peso da mochila a ser transportada, ou seja, não deve exceder 10% do peso corporal desse aluno.
  • As alças devem ser largas e acolchoadas protegendo os ombros, também devem ser ajustadas para que a mochila fique bem ajustada às costas do indivíduo (nunca devem ficar pendentes ultrapassando a altura da coluna dos mesmos). Nunca devem ser carregadas num ombro só, isso facilita o surgimento da escoliose.
  • As mochilas de rodinhas, como já falado, pode ser uma opção, mas deve ser carregada da forma adequada para evitar a rotação da coluna (o que também facilita o surgimento da escoliose).
  • Para aqueles indivíduos que inevitavelmente precisam carregar peso em excesso, é importante que façam um trabalho que incluam alongamento e fortalecimento musculares, buscando minimizar o efeito nocivo dessa carga. Trabalhos que incluam reeducação postural também são importantes, manter a postura ereta durante o transporte é fundamental.
  • Outra dica valiosa, é que essas crianças e adolescentes devem sempre ser incentivados a praticar atividade física. Isso mantém a musculatura corporal fortalecida e alongada e ajuda a evitar diversos problemas posturais."

Foto: Pixabay (Divulgação)


fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249