contatos Assine
vida e saúde

Figurinha fácil

Colunista Denise Rodrigues fala sobre relacionamentos

Denise Rodrigues


Vocês já namoraram, ficaram e o relacionamento terminou não de boas e de repente tu te torna uma figura que segue ou é seguida pelo (a) ex numa rede social. Tempos modernos? Tudo superado? Que nada! Tudo vigiado e conferido. Dedo na ferida mexida a cada clic.

A Mãe Medianeira e os porcos

Depois de o relacionamento ter melado, por um bom tempo não tem como manter vínculo de amizade nas redes sociais. É insalubre. Não ajuda. É torturante. Ficar vendo a criatura a todo instante, é um tormento, é terror mental. Diga-me qual é o fundamento disso?

Quando um relacionamento termina e uns terminam de maneira muito triste, ele precisa ser sepultado. Temos que passar pelo luto do término, superar dores e tudo que se somou às coisas ruins que fizeram com que a relação acabasse e para que isso de fato aconteça, tem que existir um afastamento real e virtual.

O vínculo de amizade que se pode manter depois de terminada uma relação afetiva, nas redes sociais vira um processo masoquista que está a serviço de mera espionagem e comparação da nova vida da pessoa e com quem ela está no momento. Tudo não passa de um processo onde os "atores" precisam mostrar que estão bem, lindos e maravilhosos e que tudo flui às mil maravilhas e que ser deixado(a) pelo ex não fez a menor diferença e, aliás, foi a melhor coisa que aconteceu. Queres enganar a quem?

A outra questão que mantém os ex ligados nas redes sociais é o sentimento de culpa. Deixar a pessoa no real e repetir no virtual, ou seja, é deixá-la duas vezes e uma delas com muita plateia. Então é melhor não tirar a criatura como amigo(a), coitado(a). Outra situação é seguir a pessoa dando likes das suas escolhas na vida, aonde vai, com quem está, o que come, etc e toda essa aprovação é como passar a mão na cabeça e dizer: eu não quis ficar contigo, mas eu gosto de ti, viu? Pena, usa no travesseiro.

Um rompimento precisa de tempo para curar as feridas, cicatrizá-las de dentro para fora, entender qual a tua participação no ocorrido, porque tu deixaste ou foste deixado, por um ponto final e não correr o risco de ficar repetindo os mesmos comportamentos.

Câncer do reto

Nesses casos o tempo é um remédio e tanto. O tempo vai se encarregar de solidificar ou não algum traço de amizade entre os ex, daí podemos pensar em redes sociais e outras coisas.

Respeitem seus sentimentos, chorem, não banquem ser o que não são. Parem de fazer teatro. Se te "fu" na vida real não queira bancar aquela pessoa que superou tudo num passe de mágica, pois a sujeira pode estar indo para debaixo do teclado.

Sai do álbum e deixa de ser uma figurinha fácil.


fale conosco

redação
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
atendimento@diariosm.com.br
ouvidoria@diariosm.com.br
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190