contatos Assine
vida e saúde

Como uma tragédia pode afetar a saúde mental de forma coletiva

Colunista Fernanda Jaeger fala sobre os sintomas do Transtorno do Estresse Pós-Traumático


Desde o dia 25 de janeiro acompanhamos notícias sobre a tragédia ocorrida com o rompimento da barragem da mineradora Vale S. A., na cidade de Brumadinho, Minas Gerais. Nesta sexta-feira, imagens chocantes do rompimento da barragem ganharam o mundo em vídeos gravados pelas câmeras de segurança da própria barragem.

É inevitável que a população fique aterrorizada com a devastação ocorrida pela lama que foi capaz de produzir tanta destruição e retirar a vida de muitas pessoas. Além da terrível perda de vidas, a destruição atingiu animais, casas, bens e o meio ambiente. O sofrimento a que todos foram submetidos- seja aqueles que vivenciaram diretamente a situação, os familiares, os trabalhadores - bem como aqueles que acompanham indiretamente, pode ser muito significativo e apresentar manifestações a curto, a médio e longo prazos.

O Transtorno de Estresse Pós-traumático pode ser uma das consequências dentre muitos outros quadros de sofrimento psíquico que surge com muita frequência após uma situação como essa. Trata-se de uma manifestação que se caracteriza pela dificuldade em se recuperar após a vivência de um acontecimento atemorizante ou apavorante que ameaçam a sua vida ou a vida de outras pessoas, como em casos de desastres, violências, situações de guerra e violação de direitos. É constituído por um conjunto de sinais e sintomas físico, psíquicos e emocionais, que incluem alguns dos seguintes sintomas:

  • Ter pesadelos e lembranças involuntárias e recorrentes da situação vivenciada
  • Apresentar comportamento de fuga ou esquiva
  • Diminuição de afetividade
  • Dificuldade de concentração
  • Desinteresse por determinadas situação que antes eram vistas como satisfatória
  • Sentimentos de impotência
  • Episódios de pânico
  • Alterações de sono

Outros sintomas podem se manifestar, mas é primordial que se busque auxílio frente aos primeiros sinais para que não ocorra o agravamento do quadro. O diagnóstico é feito com base em critérios específicos, por profissionais da área de saúde mental capacitados para tal finalidade, como psiquiatras e psicólogos. Neste sentido, é primordial que se busque profissionais da área que poderão oferecer formas de cuidado e tratamento especializado.

Diferentes estudos e experiências na área de saúde mental têm demonstrado que frente a situações traumáticas como essas, um tratamento preventivo pode auxiliar para que não ocorra o desencadeamento de tal transtorno. Caso não seja possível prevenir, o tratamento através de psicoterapia pretende diminuir os sintomas, prevenir complicações, auxiliar na recuperação e retorno a rotina como o retorno as atividades cotidianas, como o trabalho, estudos, atividades de lazer, entre outras. Outras formas de tratamento podem auxiliar neste processo, incluindo mais profissionais da saúde dependendo das condições de saúde da pessoa que está vivenciando tal sofrimento.

 Toda a minha solidariedade às vítimas, familiares, trabalhadores, voluntários que se encontram diretamente envolvidos nesta tragédia.  O mundo todo sofre neste momento por esta comunidade que precisa de muita força para reerguer-se e continuar caminhando! 


fale conosco

redação
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
atendimento@diariosm.com.br
ouvidoria@diariosm.com.br
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190