contatos Assine
sociedade

O desafio atual da convivência

07 Novembro 2018 16:03:00

Em sua estreia como colunista do Diário, Juliano Trindade aborda as dificuldades de viver em sociedade

da redação


Vivemos em tempos de turbulência, com nervos à flor da pele. Surgem, frequentemente, na convivência nossa de cada dia, dificuldades de compreensão oral, escrita, gestual... Pouco nos foi ensinado sobre ouvir e tentar compreender o outro compreender o outro, sem sobrepor o nosso pensamento ao que está sendo dito por ele. Pouco aprendemos sobre escutar o outro como outro sem o eco de nossas próprias palavras.

O ser humano é um lutador por natureza. Ele precisa lutar diariamente para vencer obstáculos e, assim , atingir seus objetivos. Nossas dificuldades se acentuam quando aumentam o número de interlocutores, pois estamos ainda aprendendo a ouvir e a conviver em comunidade. Viver em comunidade é estar próximo a todo tipo de pessoa, é conviver com ideias antagônicas, com propostas que nosso quadro de referências não permite contar, concordar.

Viajar é trocar a roupa da alma

A história evolui desde sempre, ensinando-nos que o confronto respeitoso - sem deixar de ser confronto - é benéfico à evolução. Aprende -se quando se discute e se convive ao longo da vida. Nosso crescimento ocorre muito por conta das discordâncias, discordando uns dos outros descobrimos muita vezes novas formas de ver e novos caminhos a seguir.

Nos últimos tempos, infelizmente o fato de não concordar com o posicionamento e ideias das outras pessoas passou a ser um fator complicador, ainda que as diferenças sejam muito pequenas. Parece mesmo que as pessoas não estão tendo paciência de conversar, de ouvir e de entender as propostas alheias, sem obrigatoriamente aderir ou concordar. Quando isso ocorre, conflitos se aprofundam desnecessariamente, machucando pessoas e piorando as condições de convivência.


Foto: Pixabay

Com o advento das redes sociais, as discussões se ampliaram de forma significativa. Uma opinião, às vezes simples, sobre um assunto que nem é polêmico, ganha repercussão e passa ser a abordada de forma positiva ou negativa mas como a forma de cada pessoa ver fosse única e indiscutível. Muitos problemas também são de linguagem apenas, resultantes da dificuldade ler o outro como outro... e não como uma repetição do que cada um está pensando.

VÍDEO: você quer ser alguém ou qualquer um?

Aprender a ouvir o outro, a contribuir com as discussões de forma propositiva, não impositiva, com respeito e leveza é fundamental. Impor nossos desejos a outros é criar conflitos muitas vezes inúteis e provoca posições extremas que não ajudam em nada.

Como indivíduos e como membros de uma comunidade podemos propor projetos e ideias que beneficiem a todos, que melhorem a qualidade de vida e tragam melhoras significativas às comunidades. Precisamos, entretanto, saber ouvir, estar abertos a novas propostas, saber aprender, e conviver com o que nos rodeia. Certamente não é através da agressão ao outro que mudanças ocorrem. O mundo evolui com o crescimento coletivo e com a discussão de projetos que promovam o bem de todos.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249