contatos Assine
sociedade

A prosperidade é questão de consciência

04 Abril 2018 15:28:00

Colunista propõe uma reflexão sobre o sentido da prosperidade e como podemos treinar para alcançá-la


A satisfação quanto a nossa vida é o que chamamos de prosperidade. Todos queremos ser prósperos ainda que a grande maioria de nós não saiba o que isso significa nem muito menos como conquistar. Ao contrário do que o nosso inconsciente coletivo acredita - assim como todos nós que NÃO estamos ATENTOS -, a prosperidade não está na quantidade de bens materiais que possuímos, no poder que exercemos sobre os outros ou nos prazeres sensoriais, sempre provisórios e temporários.

Estas questões atendem apenas aspectos da esfera material, emocional e talvez mental do todo que sou/somos.Como, além de matéria, emoções e mente, também somos energia e espiritualidade, é simples perceber que talvez estejamos gastando energia e tempo com apenas alguns dos nossos "corpos" e ainda por cima os mais densos e limitados.

A prosperidade também está na satisfação das nossas necessidades e vontade do plano material, o que inclusive inevitavelmente ocorrerá se atendermos aspectos mais sutis e elevados - em ordem decrescente: espiritual, energético, mental e emocional. O problema é focar exclusiva e prioritariamente em apenas parte do que somos. E é a correção deste foco o primeiro passo para iniciarmos uma relação saudável e inteligente com a prosperidade.

"Tudo vive do alimento material - mas o alimento material vem do imaterial. O imaterial é produzido pela invisível essência dos atos" (Krishna, Bhagavad Gita).

Pensemos que muito para além dos chefes (externos ou internos, normalmente o pior de todos...) que temos na nossa vida material, há um chefe superior que, guiando cada aspecto de tudo o que vive, apenas não impõe sua Verdade e Luz porque é da sua essência o respeito à liberdade (livre-arbítrio) de todos. Se dos chefes "inferiores" recebemos remuneração financeira e, por vezes, outras formas de remuneração (o reconhecimento e elogio, por exemplo), por que seria diferente com esse outro "chefe"?

O "chefe" maior também nos remunera e presenteia, fazendo refletir seus agrados a todas as dimensões da vida do seu bom "funcionário", até porque a espiritualidade é a causa primeira e, como disse Krishna, "o alimento material vem do imaterial".

Jesus transmitiu igual mensagem. Não concordo que os ensinamentos dele sejam contrários a que tenhamos conforto material, ainda que a simplicidade seja de imenso valor e contribua imensamente na nossa caminhada. O que Jesus disse foi que não é possível agradarmos a dois senhores. Se servirmos, dedicando tempo e energia, à Riqueza, só ela receberemos. Se servirmos à Suprema Consciência, Deus ou como preferirmos chamar, colheremos os frutos no plano espiritual e, como consequência natural, sobre todos os demais.

"Considerai como crescem os lírios do campo; não trabalham nem fiam. Entretanto, eu vos digo que o próprio Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles. Se Deus veste assim a erva dos campos, que hoje cresce e amanhã será lançada ao fogo, quanto mais a vós, homem de pouca fé? Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isto. Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo. Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado." (Mateus, 6, 28-34).

Além de nos remunerar em todos os aspectos da nossa vida, o "chefe" maior nos remunera sempre com perfeita justiça ao que, por nossos pensamentos e ações, realizarmos, uma vez que é livre de egos.

Saindo da metáfora do "chefe" ou mesmo de um grande homem dotado de todo poder do mundo, trata-se de leis e princípios universais que regem o Universo e, portanto, cada pensamento ou movimento celular. E uma destas leis é a Lei do Karma, segundo a qual toda ação (lembrando que pensar também é agir) gera uma consequência equivalente (justiça).

E de que forma, então, devo agir para ser beneficiada pela Lei do Karma, co-criando realidades prósperas? Em primeiro lugar, buscando evitar desejar qualquer tipo de resultado com minhas ações - seja resultado financeiro, de reconhecimento social e inclusive espiritual. Em segundo lugar, quanto ao método ou modo de agir, se esforce para estar sereno física, emocional e mentalmente. E, por fim, aja com o máximo de amor que puder. De acordo com Krishna, "O imaterial é produzido pela invisível essência dos atos." E como uma outra importante lei universal é o Amor, ele é que deve ser a "invisível essência dos atos".

Para criar a sua prosperidade, que também se tornará a de muitos outros, amplie consideravelmente sua atenção à dimensão espiritual da sua vida, buscando agir com o máximo de amor a cada encontro, ação e pensamento. Isto é espiritualidade. Isto é Deus. Não precisa mudar de trabalho, se separar, mudar radicalmente de vida, a não ser o fato de buscar estar sempre sendo o mais amorosx que puder.

E a remuneração virá. Inclusive remuneração material, como simples consequência do bom trabalho realizado no plano espiritual.

Treine sua mente. Medite. A prosperidade é questão de consciência.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249