contatos Assine
moda

A 'moda' que liberta

17 Fevereiro 2018 14:25:00

Colunista faz uma reflexão sobre as críticas aos corpos e a moda que liberta os padrões


O corpo sempre foi alvo no sistema da moda e restrito à padrões de beleza (lembra da coluna Entre padrões de beleza: a moda de "um corpo" só?). Nesse meio, parece que só existe espaço para dois âmbitos: bonito ou feio, e não faltam "críticos" para distinguir um do outro. Desde o último Carnaval, as redes sociais concentram exemplos dessa relação após Bruna Marquezine publicar uma foto do seu look para curtir o Bloco da Favorita.

Plus size: truques de estilo para dar um up no look de Verão

Pipocaram críticas sobre os seios da atriz de 22 anos serem caídos e ela se tornou um exemplo de que o corpo alheio é capaz de incomodar. Contudo, se ele for gordo, que não é o caso de Bruna, parece "perturbar" ainda mais o outro, ao ponto de alguém tentar ditar regras sobre o que uma pessoa deve ou não vestir. Uma realidade que ainda existe dentro da moda como "gorda não pode usar" e que passa a ser desconstruído por comunicadores, modelos, blogueiras e youtubers de moda e beleza plus size. 

Num período em que pessoas se aprisionam à um mundo marcado por pressões estéticas, outras fazem parte de uma corrente que cresce: o body positive, um movimento que promove a positividade corporal, isto é, a imagem corporal que seja positiva. Nessa corrente, a youtuber Luiza Junqueira, do canal Tá Querida, lançou o vídeo "Tour pelo Corpo", mostrando partes do corpo e falando sobre elas na tentativa de inspirar outras mulheres sobre a importância da autoaceitação. 

O vídeo tem mais de 1 milhão de visualizações, 130 mil curtidas e 5 mil descurtidas. No início do ano, ele ainda deu origem à reflexões sobre gordofobia e maior visibilidade de um vídeo semelhante realizado por outra pessoa com corpo mais magro. 


No mundo fashion, em especial o plus size, o body positive ganha força num processo de construção e/ou afirmação da beleza. Acredito que a melhor "moda" é se sentir segura com o próprio corpo. Rompendo com estereótipos e crenças sobre o que uma pessoa gorda deve usar, o resultado é a realização pessoal. Desta forma, a moda revela que também pode ser um instrumento de transformação. 

Peças plus size para arrasar nas produções de final de ano

Assim como Bruna (que tem um corpo que atende a norma estética atual), blogueiras de moda plus size não só vestem tendências como exploram a beleza dos seus corpos e são seguras quanto a isso. Vale seios livres de sutiãs em roupas com decotes profundos, uso de transparências, cropped exibindo a barriga com ou sem estrias e outras tantas maneiras de se vestir que no passado eram rotuladas por "gorda não pode". Vale o amor próprio e a segurança! 

Foto: Ju Romano (reprodução)
Com decotão sem sutiã e barriga de fora, Ju Romano é uma das blogueiras plus size mais populares no país com conteúdo recheado de amor próprio 

Hoje, "gorda pode". Essa tendência não é restrita as fashionistas que trazem ao Instagram fotos repletas de aceitação e chegou às ruas. O body positive no universo fashion envolve uma moda que "liberta" de padrões. Ele permite uma maior sintonia em relação a moda e ao corpo, pois quem adere atua num processo de autodescobrimento. 

Entre padrões e resistência: o que é plus size?

Mas não basta amar apenas o próprio corpo, tem que respeitar a pluralidade de corpos, o corpo do outro... O outro. Isso é ser body positive. Hoje, a principal tendência de moda é da "(auto) aceitação" e não é passageira.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249