contatos Assine
finanças pessoais

Bancarização do consumo: 72% dos brasileiros têm cartão de crédito

09 Agosto 2018 14:44:00

Colunista Vitor Hugo Ferreira fala sobre a sociedade dependente das instituições bancárias


O dito aqui não é novidade, já repeti tantas vezes e reitero por que será sempre atual. Ao se falar de instituições financeiras, não há índice negativo quando o assunto é renda, faturamento, juros e demais taxas associadas ao lucro que envolve capital econômico. O fenômeno comemorado entre investidores e vendedores de dinheiro, pois este é o produto das instituições financeiras, chama-se bancarização

A sociedade de consumo aposta na sedução, na venda de sonhos. Empacota e manda entregar felicidade. Eis a oferta dos fornecedores. Já tem algum tempo que deixamos de comprar produtos e utilizar serviços, compramos felicidade. Ainda que em metáfora, é o que nos prometem, é a utopia, a falácia da sociedade de consumo (consumista). 

Você está superendividado? Então, estas dicas vão te ajudar

A bancarização da população brasileira nos últimos dez anos apresenta dados alarmantes:

  • 72,4% dos brasileiros já possuem cartão de crédito
  • Existem 19.813 agências bancárias
  • São 165.228 correspondentes não bancários
  • 37,8 milhões de clientes no internet banking
  • 141,3 milhões de contas-correntes
  • 153,4 milhões de cartões de crédito

Apenas no ano passado, 35% de usuários de cartões de crédito pagaram o valor mínimo das faturas. É fato, o dinheiro de plástico chegou, popularizou o crédito, mas esqueceu que a fatura bate à porta dos consumidores, e vem acompanhada de juros não muito amigáveis. Anuncia-se em glória que o Brasil é o quinto mercado de consumo do mundo; que 5 trilhões de reais são gastos por ano; evolução das classes sociais brasileiras. Pergunto: a que preço? 

  • A que preço somos o 5º maior mercado de consumo? 
  • A que preço gastamos 5 trilhões de reais ao ano? 
  • A que preço ocorre a evolução das classes sociais? 

Não quero ecoar um discurso pessimista, mas vivemos uma vida a crédito, habito preconizado pela bancarização do consumo. Agiotagem consumerista que amarga a possibilidade de uma crise generalizada. 

Leia outras colunas com a temática Finanças Pessoais

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor registrou o expressivo número de 26.319 reclamações em face de instituições financeiras, e alguns dados apontam para um total de endividados, apenas, no estado de São Paulo de 52% da população paulista, que colaboram à soma de 1 trilhão de reais como o total da dívida dos ditos superendividados brasileiros. 

Fica aqui o alerta!
Caminhos? Alguns, mas nada, por ora, efetivo.

Uma alternativa vem com o projeto de atualização do Código de Defesa do Consumidor, que passou a preocupar-se com a prática consumista, impulsionada pela bancarização do consumidor. O projeto em comento trata a regulamentação da oferta de crédito, trazendo ao fornecedor (instituição financeira) a responsabilidade em promover o dever de aconselhamento e orientação ao consumidor, vedando, entre outras questões, a referência das expressões "sem juros", "gratuito", "taxa zero". 

Dever de aconselhamento? Ver para crer! 

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249