michele dias

Se essa rua, se essa rua fosse minha? Eu mandava o carro passar!

Colunista Michele Dias comenta a situação da Rua Sete de Setembro, bloqueada há um ano

18.398

Quantas vezes passei pela Rua Sete! Era caminho para a casa dos colegas e amigos de infância no tempo da Escola Santa Catarina. Era trajeto do ônibus da linha Brigada-Itararé que por muitos anos utilizei no tempo da Escola Coronel Pilar. Fazia parte do trajeto de carro com meus pais para sair do bairro e ir ao centro da cidade, para os passeios. 

Há pouco tempo, estive em Santa Maria e vi a rua fechada. Uma pena. Imagino o que o trancamento da via causa ao comércio local - pude comprovar o prejuízo relatado pelos empresários na reportagem do Diário. E não é só uma questão econômica, é também história, é preservação do patrimônio. O Bairro Itararé, o Perpétuo Socorro e toda região da Gare fazem parte do desenvolvimento da cidade, da história que chegou pelos acampamentos militares e em seguida pela linha do trem ainda no século XIX. 

Não é uma questão de saber qual prefeito elaborou o projeto, qual trancou a rua, quem tem culpa. Para evitar uma multa, o trecho foi interditado. É fato e foi necessário. Mas também é necessário estudar novas possibilidades. O que poderia ser feito para liberar o tráfego, garantindo a segurança dos pedestres e a conservação da linha férrea que atravessa a via? Quais órgãos dispõe de financiamento para projetos deste tipo? Quais os procedimentos e prazos? Custos? Se a abertura da rua é vontade de todos como mostram os depoimentos, os responsáveis precisam se mexer. Pode demorar? Sim, e acho mesmo que vai demorar; mas pelo menos a população interessada vê que se está a fazer alguma coisa. 

Claro que existem outros trechos que permitem o trânsito. O ônibus tem nova rota, existem vias laterais para desvios. Mas e aquele trecho da história? Que causa danos e que, inclusive, pode se transformar em perigo (se já não é perigoso) na questão da segurança. Lugares abandonados, ruas sem saída acabam por se tornar espaços de risco. 

Seria bom ler nos próximos dias a notícia de que algo está sendo feito pelos comerciantes, pela história, pela cidade.

*A opinião manifestada em colunas assinadas não expressa necessariamente a opinião do jornal


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190