deni zolin

Tarso Genro admite que mercado de trabalho mudou e que é difícil restaurar a CLT

Em entrevista a um portal de notícias, ex-governador falou sobre a postura do PT em relação à reforma trabalhista

18.306

O ex-governador Tarso Genro (PT) deu uma declaração sensata quando falou, em entrevista recente, sobre a forma com o PT lida com questões como a reforma trabalhista. Ele citou como exemplo que não adianta o partido pregar o fim da reforma trabalhista e a volta integral da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), pois os tempos são outros. Vou reproduzir aqui um trecho da entrevista de Tarso ao UOL:

"Não adianta, por exemplo, o PT prometer se renovar e pregar a restauração da CLT. Os processos de trabalho foram fragmentados e hoje temos autônomos, horistas, PJs, precários, intermitentes... Trata-se, neste caso, de organizar um outro sistema público protetivo que envolva estes excluídos das legislações trabalhistas, que irão aumentar. Acho que o partido não acompanhou estas mudanças. E, a esta nova organização do trabalho, soma-se a tensão social resultante de questões de gênero, cultura, preconceito racial e condição sexual. Precisamos absorver as suas demandas e oferecer propostas concretas."

Até junho, UFSM terá 1º posto para recarga de graça de carro elétrico

Na entrevista, ele segue citando o caso do Chile: "Vou exemplificar usando a declaração de um amigo dirigente do Partido Socialista chileno sobre como eles foram atropelados pelas manifestações que assolaram aquele país. 'Fomos pegos de surpresa, não sabemos o que ocorreu'. Estamos fora. Queremos ficar dentro. Isto é o que está acontecendo conosco também. Mas não é só o PT que está fora. São mudanças que atingiram o mundo todo e levam toda esquerda a dificuldades. Estamos falando em vão, com formas discursivas que amplos setores da sociedade não prestam mais atenção."

Realmente, é preciso se dar conta de que estamos no século 21 e que as mudanças já são grandes nas relações de trabalho - e serão muito maiores daqui para a frente. Adequar-se a essas mudanças é necessário e não adianta mesmo ficar brigando com a realidade. Mas isso não impede que se busquem alguns mecanismos para tentar contrabalançar e dar alguma proteção aos trabalhadores, como sugere Tarso.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190