Deni Zolin

Pelo menos 3 grandes grupos estão interessados na concessão da RSC-287

Na semana que vem, ocorrerá o leilão na Bolsa de Valores de São Paulo, que definirá qual empresa assumirá a rodovia e instalará pedágios

18.306

Na semana que vem, será conhecida a empresa ou consórcio que vai assumir a concessão da RSC-287 pelos próximos 30 anos, o que prevê a instalação de três novas praças de pedágio e a duplicação total dos 204 km até o ano de 2041. Na próxima segunda-feira, as empresas terão de entregar as propostas na Bolsa de Valores de São Paulo, e às 10h do dia 18 de dezembro, haverá a abertura das propostas e o leilão presencial. Vencerá a empresa que apresentar o menor valor da tarifa de pedágio.

O secretário estadual de Parcerias, Bruno Vanuzzi, disse ontem à coluna que há pelo menos três grandes grupos interessados na concessão, pois já apresentaram pedidos de esclarecimentos. Ele não pode dar detalhes de quais empresas são, mas pelo que a coluna apurou com fontes do setor, há pelo menos um grupo estrangeiro interessado em assumir a rodovia. Cada concorrente precisa pagar uma caução de R$ 27 milhões como garantia para participar do leilão.

Com UTIs lotadas, hospitais de Santa Maria tentam alternativas

Vanuzzi lembrou que, recentemente, um leilão de rodovias do Mato Grosso teve só uma empresa interessada por trecho, o que fez o preço da tarifa não cair. Isso pode ser reflexo da instabilidade econômica causada pela pandemia. Por isso, a demonstração de que três grupos estão interessados na RSC-287 é um bom sinal.

- Esperamos que até mais empresas concorram, e quanto mais participarem, maior a concorrência. Diante disso, estamos mantendo a previsão de redução da tarifa - afirmou Vanuzzi, lembrando que a estimativa é que o preço do pedágio fique 20% a 25% abaixo da tarifa-teto, de R$ 7,37, que consta no edital.

Tarifa-teto é o valor máximo que os motoristas poderão pagar para carros caso não haja concorrência no leilão. Se houver três ou mais empresas, cada uma pode ir cobrando os lances das concorrentes e ir oferecendo valores menores, até que seja definida a vencedora.

Na prática, se a tarifa final ficar 20% a 25% abaixo dos R$ 7,37, o valor ficaria entre R$ 5,52 a R$ 5,89.

Startup da UFSM vence concurso estadual com projeto de tecnologia inovadora

Após o leilão presencial, existe o prazo para habilitação da vencedora, em que são analisadas as questões técnicas. Também haverá prazo para recursos. A estimativa do Estado é que o contrato seja assinado até março e que a empresa assuma a rodovia até a metade de 2021, quando passará a cobrar pedágio só nas duas praças atuais da EGR. Daí, nos primeiros 12 meses de concessão, terá de fazer melhorias na rodovia. Só então a concessionária poderá cobrar a tarifa nas três novas praças de pedágio que serão construídas, uma delas perto do Trevo do Santuário, entre Santa Maria e a Quarta Colônia, outra entre Paraíso do Sul e Novo Cabrais, e a última, em Tabaí. As obras de duplicação dos trechos urbanos ocorrerão entre o 3º e o 5º ano, e dos trechos rurais de Tabaí a Paraíso, do 6º ao 9º ano. De Paraíso a Santa Maria, do 19º ao 21º ano, ou antes disso, se o volume de tráfego atingir uma meta definida.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190