Deni Zolin

Metade das empresas de ônibus do Brasil pode falir, diz entidade

Colunista Deni Zolin comenta situação dramática da economia e do setor de transportes

18.306

Apesar da necessidade de tentarmos manter a sanidade mental e a esperança, é preciso ser realista. E, infelizmente, o cenário da economia aponta para um futuro extremamente grave no Brasil, nos mais diversos setores, com quebradeira geral e desemprego em massa. Neste mês, quando vencer o prazo dos 60 dias de salários subsidiados pelo governo, é possível que as demissões cresçam muito tanto no comércio quanto no setor de serviços. Em Santa Maria, já há relatos de várias empresas fechando as portas. E no caso do transporte coletivo, há risco também de atrasos e demissões aqui na cidade, enquanto em todo o Brasil, a perspectiva é tenebrosa: o presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Vieira da Cunha Filho, acredita que metade das empresas de ônibus do Brasil acabarão falindo por não ter mais condições de operar, pois já estavam devendo e ficarão superendividadas devido à queda expressiva do movimento. A informação foi publicada pelo Diário do Transporte.

Santa Maria tem festival gastronômico online até 30 de maio

Segundo o site, Cunha disse que, enquanto há casos de má gestão, existe também o problema de empresas de ônibus que operam em cidades onde o sistema de transporte coletivo enfrenta problemas e já era deficitário. E agora com a pandemia, as empresas estão circulando com 50% a 60% dos veículos, mas transportando só 20% do volume normal de passageiros.

Santa Maria segue com bandeira laranja e restrições ao comércio seguem

Em Santa Maria, ao menos, não há sinais de empresas de transporte à beira da falência, mas a situação preocupa bastante os empresários do setor. Aqui na região, a empresa Vical, de Caçapava do Sul, havia anunciado que fecharia as portas e não faria mais o transporte coletivo na cidade a partir de 5 de junho. Na semana passada, voltou atrás e informou que vai manter as atividades e o serviço.

As ajudas do governo, como financiamentos a empresas, pagamento de parte dos salários e benefício dos R$ 600 a autônomos, têm contribuído para amenizar a crise na economia. Mas a situação é tão grave que essas medidas acabam sendo insuficientes, pois é quase impossível dar ajudas suficientes para manter empresas e empregos como era antes. Por isso, temos de nos preparar para um agravamento muito grande da recessão econômica e do desemprego daqui para a frente, nos mais variados setores.

Em tempos de pandemia, que tal estudar e praticar a escuta empática?

E no caso específico do transporte coletivo, o governo terá também de fazer algum programa de ajuda. Caso contrário, algumas cidades correrão o risco de ficar sem transporte público.



fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190