claudemir pereira

O que se pode esperar (ou não) do Novo em 2020

Colunista também comenta a eleição para a Associação Comunitária do Bairro Tancredo Neves

Foto: divulgação
O deputado Giuseppe Riesgo é o principal nome local do ainda bebê partido Novo

Indefinição. Talvez essa seja a palavra mais adequada para definir o que é possível esperar do NOVO, o partido que elegeu o santa-mariense Giuseppe Riesgo para a Assembleia Legislativa. E é o próprio parlamentar que, com exclusividade, explica o que se pode (ou não) esperar do partido na eleição municipal de 2020. Acompanhe, na íntegra:

Coluna - De 1 a 10, por conta da decisão ter de ser referendada pelo Diretório Nacional, qual a chance de o NOVO ter candidato a Prefeito em Santa Maria?

Giuseppe Riesgo - Não tenho como chutar essa probabilidade. A verdade é que se tivermos candidatura na cidade será com prefeito e vereadores. Mas no momento estamos dependendo da decisão do diretório nacional, se Santa Maria estará nos planos ou não, tanto para candidatura a prefeito como vereador.

Coluna - Em caso de apresentação de nome, como ele será definido? O partido buscará aliança com outro partido?

GR - Será escolhido como todos os candidatos do NOVO país afora: via processo seletivo. Sem alianças com partidos que utilizem fundo partidário ou tenham valores diferentes dos nossos. Ainda não há partido assim, então a única possibilidade é não fazer alianças por enquanto

Em caso de NÃO apresentação de nome, o partido deverá apoiar alguém de outra sigla? E, nesse caso, quais seriam os critérios para definir?

GR - não sei. É provável que não apoiemos oficialmente outras siglas, mas isso não impede que os filiados o façam individualmente.

Coluna - E na eleição proporcional, o partido apresentará nomes? Quantos? O máximo permitido, que seriam 32?

GR - Difícil prever. Depende de quantos se inscreverem e forem aprovados no processo. Pode ser entre 0 e 32 (risos)

Coluna - Quais os critérios, também, para definir a nominata à Câmara?

GR - Alinhamento aos valores do NOVO. Defender o que o partido defende. Redução da máquina pública. Redução de gastos, burocracias e impostos. Foco no indivíduo como agente das mudanças e não em algum político salvador da pátria. Empreendedorismo, liberalismo econômico, etc.

Coluna - Alguma outra observação que o senhor queira fazer a respeito do NOVO e 2020?

GR - O NOVO está em um processo de expansão gradual e cuidadosa. É preferível ter poucas cidades com candidatura do partido que certamente representam as nossas ideias do que tentar ganhar o máximo possível de prefeituras e vereadores sem a certeza de que serão bons representantes. Queremos qualidade, não quantidade. Mudar o Brasil não é uma tarefa da noite para o dia, requer paciência e dedicação.

Uma grande peleia política na zona oeste
A eleição é para uma Associação Comunitária. No caso, a do Bairro Tancredo Neves. No entanto, pela população e importância óbvia daquela região da cidade, o evento acabou se tornando uma grande peleia política com a participação direta de um punhado de partidos políticos na disputa pela direção da entidade que representa os moradores.

No pleito deste domingo, o PT, com direito a campanha de casa em casa contando até com o deputado Valdeci Oliveira e os vereadores Valdir Oliveira e Celita da Silva, apoia a chapa 1, de situação, "União pela Tancredo". O candidato a presidente é o militar aposentado Ubirajara Santos.

Pela oposição, se juntam, explicitamente, lideranças de agremiações como o PC do B, Cidadania, MDB, PV e PSB. Eles apoiam a chapa 2, "T. Neves para Todos", que tem como candidato a presidente o vigilante João Maurício Santos.

Na torcida contra o PT, mas olhando de soslaio todos os movimentos que levarão os "tancredenses" às urnas entre 9 da manhã e 5 da tarde, estão pelo menos dois dos partidos grandões. No caso, os governistas PSDB e PP.

Será neste sábado o trololó do Progressistas
A desculpa mais habitual, nesses casos, é transferir a culpa para a idade. Pode ser. Talvez seja. Mas o fato objetivo é que houve uma falha no bestunto claudemiriano, a pondo de fazê-lo, no último final de semana, antecipar em sete dias um evento do PP que acontece apenas neste sábado.

Foto: Renan Mattos (Diário)
Luiz Carlos Heinze é o mentor dos encontros que podem alavancar futura candidatura ao Piratini

Se trata, aqui, do "Seminário de Capacitação de pré-candidatos e assessores para atuação em campanha eleitoral." O nome pomposo revela a grande disposição do Progressistas em, no plano regional, com a liderança muito especial de Luiz Carlos Heinze, com um desempenho expressivo em 2020, alavancar a pretensão do Senador (não assumida publicamente, mas...) de virar governador do Estado.

Dito isto, ao que conta, no momento: neeeste sábado, no Teatro Santa Maria, entre 9 da manhã e 2 da tarde, haverá palestras de Fábio Bernardi (publicitário para lá de experiente em embates eleitorais), Carla Viegas (fonoaudióloga e especialista em comunicação e oratória política) e Rodrigo Giacomet (cientista político). Sempre com a presidência local de Mauro Bakof.

CAMALEÃO
O distinto público (sim, ele existe, ainda que não necessariamente discurse) tem mesmo dificuldade para entender qual é a do PTB em Santa Maria. Ao mesmo tempo em que ostenta uma aguerrida opositora na Câmara, Deili Silva, e um edil que também invariavelmente vota com a oposição, Ovídio Mayer, tem o próprio presidente, Jair Binotto, com graúdo Cargo de Confiança no Executivo. Pooois é.

SÓ OLHANDO
Enquanto os grandões se mexem, ao mesmo tempo que alguns médios buscam articular-se, é fato que agremiações relevantes (embora menores) observam os movimentos atrás de uma melhor colocação no "mercado" eleitoral. Ou trabalham em silêncio. Nessa prateleira, em Santa Maria, pode-se colocar o PL (que já foi PR), que tem na presidência Miguel Passini e conta como estrela maior o ex-vereador petista Luiz Carlos Fort.

MAIS DOIS
Se todos os boatos e rumores (e até fofocas) se confirmarem, o Republicanos (ex-PRB) de Alexandre Vargas triplicará sua presença na Câmara de Vereadores, no último ano da Legislatura. Dá-se como possível, provável e até "certo" que o partido conquistará, na "janela da traição" de março, o passe de Jorge Trindade (Rede) e, olha só, até mesmo João Ricardo Vargas (PSDB).

É NADA? OU...
Secretário de Obras do Estado, José Luiz Stédile, esteve em Santa Maria nesta quarta-feira. Veio tratar de regularização fundiária, entre outras atividades. Claro que houve tempo também para um rapapé político com militantes do PSB. Detalhe, os nomes mais vistosos da sigla na cidade, Fabiano Pereira e Leopoldo Ochulaki (o Alemão do Gás), não deram as caras. Bueno, pelo menos não apareceram nas fotos.

PARA FECHAR!

Foto: Renan Mattos (Diário)/Francisco Harrisson seria o "ficha 1"

No emedebismo local ainda há muitas questões a ser resolvidas, antes de qualquer decisão definitiva sobre o pleito de 2020. No entanto, algo parece consensual: o MDB, por sua cúpula e agregados, trabalha com dois e somente dois nomes para compor a chapa majoritária, como candidato a prefeito: o vereador Francisco Harrisson e a vereadora (secretária de Cultura) Marta Zanella. Não necessariamente nessa ordem.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190