contatos Assine
opinião

Letra

01 Março 2018 13:19:00

É notável o quanto a população do torrão pátrio é vulnerável ao discurso gracioso, floreado, alegórico



Será por tão bela a língua portuguesa, que ao brasileiro satisfaz, historicamente, o discurso em lugar da atitude, sendo a última até subjugada pela primeira todos os dias?

É notável o quanto a população do torrão pátrio é vulnerável ao discurso gracioso, floreado, alegórico e ideal, sem qualquer compromisso com a materialização do que é ressaltado em palavras, e mais palavras, nada além de palavras.

Atentem para o nosso arcabouço legal, nosso elenco de leis estruturado em notas frias e padronizadas, mas de intenções e princípios que, de tão nobres, chegam a soar poéticas, sem passar disso.

Quão sublime é a redação da Carta Maior da República, a Constituição Federal, ao ponto de ter sido apelidada de "Constituição Cidadã", promulgada sob a moldura de discursos de notáveis que bradando os valores nela encerrados, chegaram a profetizar a gênese de novos e bons tempos para a nação. E só, nada de muito alterador, ou mesmo alentador sobreveio no plano dos efeitos cotidianos das vidas práticas.

Qual a razão então de, nem mesmo no que depende apenas de nós, homens e mulheres que compõem a coletividade nacional, beneficiários justos do sagrado direito de opinião, se conseguir efetivar as liberdades cidadãs que as leis e os discursos insistem em dizer sagradas e consagradas em nossas vidas?

Só para isso, opinar com liberdade e franqueza, tivéssemos nós a tolerância real - não apenas a constitucional ou formal, e paciência para escutar, como o respeito para contra argumentar, para o que só necessitamos de consciência própria e consideração mútua, creio, teríamos perspectivas de futuro diferente dos medos que nos assombram.

Aos que desagrada a figura do "mito", sequer deveria ser mensurável rasgar o outdoor em seu apoio, pois exercício de liberdade de opinião e manifestação de seus conterrâneos no sentido do que lhes parece melhor para a vida de todos, inclusive seus adversários.

Já os que ojerizam o "molusco" e seus correligionários, não poderia ser dada a possibilidade da ofensa moral contundente, vexatória e recorrente, pois seus apoiadores, de igual forma, viram na sua condução as mesmas possibilidades de bem comum.

O resultado de tais posturas é o surgimento de mais intolerância, no caso dos terceiros que, de tanto a tanto assistir às infâmias recíprocas, se exauriram dos polos e, além de relegar às opiniões somente indiferença, nada manifestam para não se assemelharem com o que entendem seja irracionalidade. Ou calam, simplesmente, para não se incomodarem com os chatos que cada lado tem.

No passo das coisas, a retórica, a opinião e a manifestação estão sendo tolhidas pelas pessoas em prenúncio do que poderá, quem sabe, vir a fazer o Estado.

A mim parece paradoxal não poder falar no país das palavras que encantam mais do que realidade.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249