colunistas do impresso

É o tempo que passa para todos nós, ou nós que passamos no tempo?

A missão que escolhemos, ou a missão que as circunstâncias nos colocaram para cumprir, têm um tempo.

Às vezes sou surpreendido pelos acontecimentos e fatos envolvendo pessoas e fico a perguntar: é o tempo que passa para todos nós, ou nós que passamos no tempo? Como somos finitos, é natural que entendamos que passamos pela vida terrena, com menor ou maior tempo de vida, cumprindo nossa missão. A missão que escolhemos, ou a missão que as circunstâncias nos colocaram para cumprir, têm um tempo.

Às vezes conseguimos cumprir com prazer e de forma realizadora; outras vezes, saímos frustrados com a sensação de que poderia ter sido melhor. Mas passa, o nosso tempo passa. Nessa caminhada, no tempo que a vida nos reserva, somos muitas vezes surpreendidos com boas e más notícias. Sim, porque muitas delas, as notícias, nem sempre são boas, mas mesmo assim não nos resta outra alternativa do que seguir em frente. Pode parecer impossível, mas é preciso desacelerar o ritmo frenético que nos impõe o cotidiano e tentar seguir em marcha mais lenta porque talvez isso seja determinante para fazer a diferença entre simplesmente ver o tempo passar, ou aproveitar a passagem do tempo. Todos nós nascemos, crescemos cumprimos a nossa missão, modesta ou mais relevante ou evidente. Em determinado momento, quando alcançamos esse momento, percebemos que já estamos passados.

Já não desempenhamos com o mesmo vigor o que até então realizávamos. Sinal de que o tempo está passando e para algumas tarefas já passou. A consciência da passagem do tempo é primordial para que possamos entender como a vida é curta, e como perdemos minutos preciosos do nosso tempo com inutilidades. Envelhecer é um privilégio, e viver é um milagre diário, portanto, aproveite a vida ao máximo, pois no piscar de olhos tudo pode mudar. Temos de ter a consciência que não somos eternos e não sabemos, nem por perto, quando a vida finda. Para uns, finda ainda quando crianças; outros quando jovens. Enfim, não tem idade para encerramos nosso ciclo. Dirão alguns: felizes os que atingem a terceira ou quarta idade. Nem isso é possível afirmar.

Alguém pode ter uma vida curta intensa em felicidade e realizações; outros em longeva existência não conseguem a plena realização. Atingem certos objetivos, mas nem sempre isso significa felicidade. Longevidade não é sinônimo de felicidade; é apenas mais tempo. Portanto vamos comemorar sem pensar que o tempo está passando contra nós. "Ah, encha a taça: - de que vale repetir. Que o tempo passa rápido sob nossos pés: Não nascido no amanhã, e falecido ontem, Por que angustiar-se frente a eles se o hoje pode ser doce?" Omar Khayyám. O tempo é muito lento para os que esperam; muito rápido para os que têm medo; muito longo para os que lamentam; muito curto para os que festejam; mas, para os que amam, o tempo é eterno, disse Henry Van Dyke. Em resumo, é isso que interessa, e pelo que devemos lutar porque quanto ao resto não está nas nossas forças mudar o percurso da vida. Aproveite a vida em toda a plenitude. O tempo passa mais rápido do que um vento.

Seja feliz hoje, porque o amanhã ninguém pode prever como será. Esqueça as mágoas do passado e viva o momento presente. O amanhã é apenas um futuro que ainda não aconteceu, segundo Isaias Ribeiro. Esqueçamos que o tempo passa. Que o tempo voa diante de nós e façamos de conta que a vida é hoje, não tem amanhã.


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 

© 2021 NewCo SM - Empresa Jornalistica LTDA


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7188
(55) 3213-7190