gastronomia

Produzir cerveja para comercialização exige responsabilidade

Se você já sentiu um sabor indesejado ao degustar uma cerveja artesanal, saiba que a culpa pode não ser da bebida

18.398


A fabricação da cerveja em casa exige uma série de cuidados que vem desde a escolha dos ingredientes, como o lúpulo

Há algum tempo, escrevi neste espaço sobre quando comecei a fazer cerveja em casa, em 2007. Até hoje, produzir a minha própria cerveja é algo que me traz muito prazer. Fermentar a própria cerveja e reparti-la com os amigos é muito bom, e traz grande satisfação. Por sinal, essa é a alma da cerveja artesanal. Mas, tenho visto algo que me traz alguma preocupação, que são os cervejeiros caseiros vendendo o seu produto, muitas vezes em pontos comerciais. 

Aí você pode se perguntar, mas preocupação por quê? Bem, quando fazemos cerveja em casa, em pequenos lotes, o produto fica sempre "sob os olhos" do produtor e quem consome está confiando nas práticas de quem fez, até porque conhece o produtor. Ou seja, você está bebendo a cerveja que seu amigo fez para que vocês pudessem compartilhar esse momento.

Mas, volta e meia escuto algo que me deixa triste: "não gosto de cerveja artesanal". Sempre que escuto isso, fico pensando o porquê, já que é um universo muito grande e que contempla estilos dos mais refrescantes até aos mais licorosos. Respeito quem faz a afirmação, mas normalmente vou buscar a causa, ou causas, e estas normalmente envolvem um "não gostei".

Pois o que tenho comprovado, na maioria das vezes, é que o produto que espanta o consumidor, envolve o que chamamos de "off flavors" que são os sabores e aromas indesejáveis. Eles são resultado de problemas na fermentação, causados muitas vezes por problemas de assepsia, isto é, cuidados com a limpeza durante o processo de fabricação.

Agora, chegamos ao ponto. Cerveja caseira produzida comercialmente, além de infringir a lei, pode oferecer riscos sanitários para o consumidor. Para estabelecer uma cervejaria comercial é preciso de registro no Ministério da Agricultura, que estabelece uma série de exigências e que não são feitas por acaso, mas por serem necessárias. Um extenso check-list com requisitos das instalações, procedimentos operacionais, responsável técnico habilitado, alvarás e licenciamentos.

Mesmo que a produção seja pequena, bem pequena, o Ministério da Agricultura, sem cobrar nada, emite registro, desde que atenda às exigências, e estas são bem razoáveis e fundamentadas.

O que escrevo é para incentivar a quem é cervejeiro caseiro que tem pretensões comerciais a buscar o registro, tratando o assunto com seriedade que ele requer, e também a alertar ao consumidor a procurar o número do registro do produto, que deve constar no rótulo, antes de comprar a bebida de um desconhecido. Isso evita aquele gosto indesejável na sua bebida e também a amargura de quem preza pelo correto processo de fabricação da cerveja artesanal.

Saúde!

Fabricar a cerveja artesanal para comercialização exige registro no Ministério da Agricultura e uma série de práticas que garantem a qualidade do produto




fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190